Dicas de materiais de construção: o que não pode faltar e como escolher

Confira as melhores dicas de materiais de construção para obras e reformas, sem dor de cabeça!
  • Atualizado em December 6, 2023
  • Publicado em September 15, 2020
  • Seu imóvel

É só falar em obra que muitas pessoas sentem a dor de cabeça chegar. De fato, construir é trabalhoso, mas existem algumas dicas de materiais de construção que ajudam a tornar sua obra descomplicada.

Uma construção bem planejada pode evitar diversos problemas, como prazos ultrapassados, desperdício de materiais e até gastos acima do orçamento estabelecido.

Por isso, é fundamental entender mais sobre o planejamento, além da escolha dos profissionais e dos materiais. Se você quer saber mais sobre isso, continue lendo para descobrir tudo sobre o assunto.

Como fazer um planejamento de construção de imóveis?

Um bom planejamento de construção passa por algumas etapas primordiais, como: definir e gerir um orçamento, planejar o projeto, contratar a mão de obra qualificada e, ainda, pensar em cada material que será utilizado (nas quantidades e especificações corretas, para evitar gastos desnecessários e acidentes).

O orçamento é o ponto-chave do planejamento, pois é ele que irá ditar o que sua obra terá ou o que você precisará abrir mão. Saber quanto está disposto a gastar ajuda até mesmo a definir um projeto e, claro, agiliza sua execução.

Afinal, não dá para planejar um imóvel enorme, com acabamentos luxuosos e afins, se o valor que você possui só abrange reformas mais simples.

Cair no saldo negativo durante uma construção é mais comum do que você imagina: se não houver planejamento, na ansiedade por iniciar logo uma obra ou reformar a casa antiga, o impulso de comprar todos os materiais de uma vez é grande.

Mas essa atitude precipitada pode comprometer seu orçamento rapidamente.

A sugestão é criar um cronograma para prever todas as etapas da construção. Assim, você pode adquirir os itens conforme a necessidade de uso vai se aproximando do prazo definido no planejamento.

Por falar nisso, vale a pena pesquisar sobre um consórcio para construção, que pode te ajudar a criar a casa dos sonhos, sem correr o risco de entrar no vermelho.

Leia também: Quais são as etapas de um bom planejamento de obra?

Dicas de materiais de construção: o que não pode faltar?

Definir uma lista de materiais de construção completa é desafiador, afinal, para cada obra, pode ser necessário produtos diversos. Ainda assim, existem alguns materiais que não podem faltar nas obras em geral, como: produtos de alvenaria, produtos elétricos, revestimentos e pisos, tintas e assim por diante.

Essa lista pode ser muito diferente a depender do grau da sua obra, se você está construindo um imóvel do zero, reformando toda a casa ou dando uma cara nova para um único ambiente.

De qualquer forma, confira adiante as dicas de materiais de construção que você pode precisar.

Lista de materiais de construção completa

  • tijolos e blocos;
  • cimento e areia;
  • argamassa e rejunte;
  • materiais hidráulicos (tubos, conexões e outros);
  • dispositivos elétricos (fios, cabos, interruptores, disjuntores etc.);
  • pisos e revestimentos;
  • tintas;
  • materiais de acabamento em geral.

Esses são alguns dos materiais de uso comum em construções. Claro, isso não significa que sua obra demandará todos eles, e você pode até mesmo precisar de itens que ficaram de fora.

Pensando nisso, faça uma lista completa de tudo o que é preciso para concluir seu projeto. Isso evita que você tenha prejuízo comprando materiais além do necessário ou que esqueça algo importante.

Como escolher materiais de construção?

A escolha de materiais de construção deve considerar diversos fatores, como: reputação das marcas, durabilidade dos materiais, qualidade dos produtos, preço e afins. Economizar é fundamental, mas a diminuição do custo não pode levar à perda de qualidade, por isso, atentar-se a cada um desses aspectos é primordial.

O material de construção é um dos recursos mais custosos de uma obra. Sua escolha é muito importante para fazer um bom imóvel, respeitar o orçamento e evitar problemas futuros, após a conclusão do projeto.

A seguir, entenda, com detalhes, como escolher bons materiais.

Pesquise a reputação da marca

Uma marca mais cara nem sempre é sinônimo de qualidade. Portanto, uma das melhores dicas de materiais de construção é pesquisar sobre as empresas. Dessa forma, você consegue identificar quais oferecem os melhores produtos.

Fazer uma pesquisa na internet pode ajudar a tirar a prova da qualidade dos materiais, principalmente se você encontrar avaliações de clientes. Tais comentários indicam se os consumidores ficaram satisfeitos com o resultado.

Confira a durabilidade dos materiais

Durante a pesquisa, pode ser que você se depare com alguns materiais em preços atrativos. No entanto, é crucial pensar no ciclo de vida do material de construção.

Pois é, os produtos não duram para sempre: alguns vencem, enquanto outros estragam e se tornam inutilizáveis. Ou seja, você faz a compra pensando em economia, mas acaba perdendo dinheiro, pois precisa recomprar na hora de fazer a obra.

Sendo assim, pesquise sobre a validade dos produtos e saiba por quanto tempo é possível manter determinado item guardado para ser usado posteriormente.

Uma tinta vencida, por exemplo, pode ter sua fixação reduzida, prejudicando a qualidade do acabamento.

Analise a qualidade dos produtos

Principalmente quando se fala em itens mais frágeis, como pisos de cerâmica, pesquisar a qualidade do material é indispensável. Peças que quebram com facilidade e ficam armazenadas por muito tempo podem ficar comprometidas por causa do longo período no estoque.

A mudança de temperatura faz o material rachar, a umidade tende a ocasionar o mofo e o produto pode cair durante a passagem dos funcionários pelo estoque. Tudo é possível!

Para os que vêm embalados de fábrica, como argamassas e cimentos, é recomendado evitar promoções de ponta de estoque.

Não é uma regra, mas o valor muito baixo pode indicar que os produtos não foram acomodados corretamente e podem apresentar problemas no uso. Sem contar a possibilidade de estarem próximos da validade. Tenha cuidado!

Ocasionalmente, os estabelecimentos lançam promoções de itens fora de linha. O valor até pode ser convincente à primeira vista, porém, considere se determinado produto será substituído no futuro.

Os azulejos, por exemplo, são produzidos por coleções. Quando o lote atinge o tempo de mercado, a fabricação acaba e não tem mais como comprar um modelo igual. Logo, adquira peças extras para evitar problemas.

Faça uma pesquisa de preços

O mercado de material de construção é competitivo. Essa é uma vantagem e tanto se o objetivo é economizar dinheiro. No fim das contas, lojistas e fornecedores querem fidelizar a clientela, e dar descontos é uma forma de fazer isso.

Nesse ponto, faça pesquisas em diferentes locais, sobretudo para produtos que irá comprar em maiores quantidades ou são mais caros. Como o investimento será elevado, negocie preços e formas de pagamento com os comerciantes.

Comprar tudo no mesmo estabelecimento e pagar à vista pode aumentar a fatia de descontos.

Com o dinheiro em mãos, considere também outras vantagens oferecidas pela loja. Além do prazo de entrega, avalie as condições e facilidades. Alguns fazem entrega gratuita a partir de determinado valor, e esse fator pode ser considerado na hora de fechar negócio.

Qual a validade de materiais de construção?

Todos os materiais de construção têm uma durabilidade específica e, para conferi-la, basta consultar suas descrições. Alguns produtos tendem a durar mais tempo, como tintas fechadas, por exemplo. No entanto, outros precisam ser adquiridos pouco tempo antes do uso, como a areia e o cimento.

Os produtos de alvenaria, como tijolos, blocos cerâmicos e de concreto, apresentam resistências e dimensões padronizadas. Eles devem ser comprados sem fissuras e rachaduras para evitar reformas repentinas.

Já no caso do cimento, devido ao risco de empedramento, o ideal é comprá-lo na hora de começar a obra. Em paralelo, é importante pensar na quantidade de modo que não sobre produto, causando prejuízo, já que ele perde o uso com o tempo.

Em relação aos pisos, você pode conferir o índice PEI, que aponta a resistência à abrasão. Os números variam de 1 a 5 e apontam as formas de uso apropriadas para cada tipo.

3 dicas de construção para suas obras

A seguir, elencamos 3 dicas para otimizar a construção.

1. Invista em mão de obra qualificada

Por mais que você tenha um conhecido que saiba fazer, ou até mesmo pense em se arriscar sozinho em algumas etapas da obra, o mais indicado é procurar por um profissional especialista em determinado serviço.

Até mesmo para demandas "mais simples", como assentar um piso ou bancada, vale a pena orçar com profissionais da área e encontrar um que encaixe no seu orçamento.

Isso pode evitar a perda de materiais, os danos na estrutura da obra e até os riscos à  vida, já que você pode acabar se machucando durante a realização de tarefas que você não sabe direito como fazer.

2. Não negligencie a qualidade dos materiais

A compra de materiais de segunda linha, além de interferir no acabamento da obra, pode causar atrasos e até gastos extras.

Por sinal, você pode precisar comprar um material pela segunda vez para substituir o material ruim. Esse imprevisto pode atrasar a obra, já que será necessário refazer alguns serviços, e encarecer a mão de obra dos profissionais.

Isso sem contar nos problemas que os materiais ruins podem causar a longo prazo, que você só irá perceber algum tempo depois, quando já não será possível refazer rapidamente. Esse é o caso de um problema estrutural, por exemplo.

3. Fique de olho no acabamento

No processo de alvenaria, são utilizados cimento, concreto, ferro e tijolos para formar a estrutura da obra. Contudo, quando chega o momento de fazer os acabamentos, usam-se outros tipos de materiais. Abaixo, conheça alguns itens e onde são aplicados.

Pastilhas

São muito usadas no acabamento de banheiro, cozinha, lavanderia e piscina. Elas são versáteis e apresentam diversas cores, formatos e tamanhos. As pastilhas antiderrapantes são indicadas para os locais citados. Já as de vidro são ideais para paredes; e as mescladas podem formar mosaicos ou criar um efeito de texturas.

Mármores

São itens muito belos e de alta durabilidade. Os mármores são utilizados em balcões, pias e soleiras, mas também podem ser aplicados em paredes e até em pisos. Porém, possuem valor elevado, o que pode ser um impasse para a instalação em grandes superfícies.

Granitos

São usados em ambientes internos e externos da obra. Apresentam diversas cores (cinza, marrom, preto, verde ou até amarelo) e formatos, o que propicia várias possibilidades estéticas.

Cerâmica

É um dos itens mais comuns graças à variedade e ao preço amigável. Se a cerâmica for escolhida da maneira correta, pode conceder um acabamento elegante aos ambientes.

Porcelanatos

É um material versátil, bonito, de simples aplicação e fácil de limpar. Essa é uma alternativa que demanda um investimento financeiro maior, mas que compensa em resistência e durabilidade.

Madeira

A madeira tem presença garantida nos acabamentos, pois é resistente e fácil de trabalhar. Pode ser usada no revestimento de paredes, no piso (em diversos cômodos) e em móveis para a casa, especialmente os embutidos.

Dica extra: atente-se à sustentabilidade da sua obra!

A sustentabilidade deve ser um valor primordial durante uma obra para causar menos impactos no meio ambiente. A propósito, o uso de produtos sustentáveis vai além de providenciar uma construção ecologicamente correta: alguns materiais são mais baratos que os tradicionais, e outros facilitam a obra.

Um exemplo é o tijolo ecológico que utiliza até 80% menos cimento e é resistente às mudanças climáticas.

Toda durabilidade do material “verde” precisa ser amiga do meio ambiente, desde a fabricação até seu descarte final. Para garantir que o item é realmente sustentável, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) determinou que o consumidor precisa averiguar se a empresa produtora:

  • tem CNPJ;
  • apresenta licença ambiental liberada por entidade estadual;
  • aparece em listas que usam mão de obra ilegal;
  • expõe compromissos e valores exigidos pela lei para boas práticas ecológicas;
  • usa critérios consistentes para comprovar que seus produtos são sustentáveis.

Esperamos que as dicas de materiais de construção tenham sido úteis. Se estiver sem grandes recursos financeiros no momento para adquirir os produtos, optar por um consórcio para construção ou reforma pode ser a melhor opção.

Assim, você economiza recursos e ganha mais tempo para planejar e personalizar cada cantinho do jeito que sempre sonhou.

Gostou do tema? Aproveite para conhecer tudo sobre o consórcio para construção e entenda como essa solução pode ser interessante.
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
home
Seu imóvel

Para que serve o habite-se? Como emitir? Tudo sobre o documento!

home
Seu imóvel

Quanto custa a reforma de um banheiro? Como economizar? Veja 7 dicas

home
Seu imóvel

7 dicas para decoração de um apartamento pequeno