5 dicas para quem vai casar conseguir economizar no início da vida juntos

Como se sabe, viver a dois exige muito planejamento e organização financeira. Então, veja 5 dicas para quem sonha com uma vida financeira equilibrada!
  • Atualizado em February 5, 2021
  • Publicado em February 5, 2021
  • Planejamento Financeiro

Marcada de grande expectativa, a vida a dois, ou seja, sob o mesmo teto, depende de uma boa dose de equilíbrio financeiro. Geralmente, isso se faz ainda mais necessário durante os primeiros anos de convivência do casal. Nesse contexto, a melhor coisa a ser feita é se planejar. Daí a importância de seguir algumas dicas de organização financeira para quem vai casar em breve.

Pode parecer e, muitas vezes, elas são um tanto quanto óbvias. Porém, também é verdade que uma parcela dos casais desconhece a relevância de determinadas ações. No pior dos casos, eles até as conhecem, mas não dão a devida atenção a medidas que são fundamentais ao sucesso da vida juntos.

Dito isso, as dicas para quem vai casar listadas a seguir são indispensáveis aos casais que ainda não planejaram as finanças em conjunto. Ao mesmo tempo, também servem como um lembrete extra aos mais organizados. Se você se identificou com qualquer uma das situações, continue a leitura e confira as dicas imperdíveis que preparamos!

1. Conversem para alinhar as expectativas financeiras

Casamento é sinônimo de confiança, companheirismo e compartilhamento mútuos. No último ponto, entram diversos aspectos, com destaque para as finanças. Pouca coisa pode ser mais complicada em um relacionamento a dois do que expectativas financeiras divergentes, concorda?

Para evitar qualquer tipo de frustração é preciso que as partes envolvidas estejam à vontade em unir suas contas bancárias. Isso não significa, necessariamente, que a liberdade de gastos individuais deva ser sacrificada. Na verdade, a ideia consiste em adquirir o hábito de sempre comunicar os gastos.

Independentemente da quantia disponível, o casal precisa praticar a transparência financeira ao máximo. Como não poderia deixar de ser, aquelas aquisições de elevado valor agregado devem ser determinadas após a concordância do casal. Comprar um carro, uma moto ou uma residência e só depois alegar o fator surpresa, definitivamente, é uma péssima ideia!

Em vez disso, o casal deve conversar e definir as prioridades do casamento. O ideal é colocar no papel quais serão as realizações financeiras de curto, médio e longo prazo. Ao mesmo tempo em que as conquistas traçadas se concretizam aos poucos, é necessário pensar na distribuição das rendas individuais nas despesas rotineiras. O raciocínio se aplica tanto aos gastos obrigatórios quanto àqueles voltados a atividades de lazer.

2. Dividam as responsabilidades financeiras

Ponto delicado, este item precisa ser observado nos seus mínimos detalhes. Isso porque é muito comum que um dos membros do casal tenha uma remuneração mais alta do que a do outro. Em certos casos e em dado momento, como no início da vida juntos, a discrepância salarial costuma ser considerável.

Não à toa, uma das principais dicas para quem vai casar reside em evitar competições de qualquer ordem — muito menos financeira. Ocasionalmente, a pessoa que ganha mais até pode dizer que não se incomoda de arcar com uma quantidade maior de gastos. Contudo, a experiência demonstra que, de forma gradual, esse comportamento tende a contribuir com o desgaste do relacionamento.

Uma maneira interessante de resolver a questão é encarar as circunstâncias como temporárias. Então, se o atual recorte financeiro do parceiro não é dos melhores, tudo bem que o outro forneça cobertura. Lá na frente, talvez os papéis econômicos se invertam.

O que importa, de fato, é que ambos estejam dispostos a compreender as dificuldades dos dois lados e ajudar de modo espontâneo. Aprender a fazer o dinheiro render é igualmente decisivo para o sucesso do casal.

3. Paguem as contas em dia

Se o amor é o sentimento que une, o acúmulo de pendências financeiras representa tormentos que causam instabilidade na relação diária do casal. Para não atrasar o pagamento das contas, basta, em primeiro lugar, comprometer-se somente com aquelas que sejam proporcionais aos ganhos do casal. Assim, antes de ir morar juntos, vocês precisam chegar a um acordo a respeito dos gastos fixos.

Em segundo lugar, é aconselhável criar um calendário que contemple todos os vencimentos do mês. Conforme os pagamentos forem concluídos, a pessoa responsável por efetuá-los pode sinalizá-los. Para confirmar se está tudo em dia, tudo o que o casal precisa fazer é consultar o status de cada conta no calendário.

Atualmente, recorrer a apps para pagar as contas é outra excelente opção a fim de evitar eventuais esquecimentos. Dinâmicos, eles notificam os usuários com base na proximidade do dia dos vencimentos.

4. Criem um planejamento financeiro do casal

Além de tudo isso, faz-se igualmente imprescindível não só elaborar um planejamento financeiro completo, como revisá-lo de forma contínua. Esse cuidado cumpre a função de verificar se o alcance das metas está ocorrendo de acordo com o programado — e, se não estiver, quais são as possíveis causas.

Às vezes, falta o uso de soluções práticas, efetivas e verdadeiramente econômicas. Aderir a um consórcio na compra do primeiro imóvel, por exemplo, tende a ser uma saída mais tranquila do que as demais alternativas do mercado, como o financiamento.

5. Façam uma reserva de emergência

Em qualquer momento da vida a dois, uma boa organização financeira também precisa de um fundo emergencial. O propósito do dinheiro alocado é o de se precaver contra eventos inesperados. Como nunca se sabe o que pode acontecer, ter à disposição uma reserva financeira é outro item elementar na manutenção de um relacionamento harmonioso.

Os imprevistos podem ser simples, como uma reforma para conter uma infiltração, ou mais complexos, como a necessidade de encarar um tratamento médico urgente. Seja qual for o problema, o casal deve estar preparado para diminuir os impactos e se distanciar, ao máximo, da realização de empréstimos fora do orçamento.

Com estas dicas para quem vai casar, o estabelecimento de uma vida financeira conjunta harmônica e, sobretudo, econômica, pode se transformar em realidade. Contudo, sabemos que, principalmente no início, colocá-las em prática costuma ser um enorme desafio. Felizmente, o aprimoramento constante da educação financeira e a adoção simultânea de algumas ferramentas facilitam bastante a organização das finanças do casal.

Uma delas é a planilha de gastos, que ajuda a dividir as responsabilidades assumidas a dois. Então, aproveite para baixar gratuitamente nossa planilha de divisão de despesas e tenha uma vida financeira muito mais tranquila!
planilha-para-dividir-despesas-tenha-em-maos-o-controle-financeiro-da-casa
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Curso de educação financeira gratuito? Veja 7 dicas e comece agora!

attach_money
Planejamento Financeiro

Lugares para viajar em SP: 10 opções para descansar

attach_money
Planejamento Financeiro

Boleto fraudado: 6 dicas para identificar se o documento é falso