Meu Primeiro Carro

Carro ou moto? 5 dicas para ajudar na hora de tomar essa decisão

Não sabe se fica com a agilidade da moto ou com a segurança do carro? Veja várias dicas para fazer a melhor escolha!

Você está na dúvida se compra um carro ou moto? Como deve imaginar, veículos de transporte não são a mesma coisa. Logo, é necessário analisar os prós e os contras de um automóvel e de uma motocicleta para chegar a uma decisão fundamentada.

Além disso, levar em conta o uso do meio de locomoção, a finalidade que será dada ao veículo e sua relação de custo-benefício pode ajudar bastante na escolha certa.

Diversas despesas fazem parte do cotidiano de quem tem um automóvel, seja pela frequente utilização para ir ao trabalho ou mesmo desfrutar de bons momentos com a família nos dias livres.

Conhecer esses custos e ter consciência de que eles fazem parte da realidade de proprietários de veículos pode ajudar a fazer uma escolha mais acertada. Como dizem popularmente, um carro é como um filho, devido às despesas e atenção que exige para estar bem. Por isso, vale a pena se informar antes de realizar sua decisão final.

No post de hoje, trouxemos 5 dicas para auxiliar você na hora de optar entre um veículo de quatro ou de duas rodas. Você também descobrirá quais modelos escolher. Confira!

Como escolher entre carro ou moto?

1. Considere o seu estilo de vida

Carro ou moto podem atender a públicos idênticos em situações diferentes. Por exemplo, é comum pessoas terem os dois bens, para usos diversos, como o automóvel durante a semana e a moto no sábado e no domingo.

O contrário também vale quando o proprietário busca agilidade no trânsito por meio da moto durante os dias úteis e quer desfrutar de um passeio com a família ou cônjuge no fim de semana.

O fato de você já ter ou não veículos e o uso que fará da futura aquisição poderão determinar a melhor escolha para a sua realidade. Se você já tem um carro que supre as suas necessidades cotidianas, pode ser útil dispor de uma motocicleta para situações em que ela é mais vantajosa no trânsito.

Contudo, se você tem um automóvel que está aquém do que você necessita, pode ser melhor substituir o carro antigo por um mais moderno em vez de adquirir uma moto nova. Além disso, você deve aliar a sua decisão com o seu estilo de vida.

Se você gosta de viajar nos fins de semana e busca aventura, pode ser interessante comprar uma motocicleta, principalmente se os passeios são a dois. Entretanto, se você faz viagens com toda a família, um carro é mais necessário do que uma moto, não é mesmo? Considere as diferentes situações para saber melhor qual veículo precisa.

2. Leve em conta o consumo de combustível

No quesito gasto de combustível, os veículos de duas rodas geralmente ganham com facilidade dos de quatro rodas. Até mesmo as motos de média e alta cilindradas tendem a consumir menos do que automóveis.

As médias de gasto podem variar conforme os modelos e a carga transportada, ainda assim, nas piores hipóteses, uma moto de alta cilindrada carregada tem um consumo aproximado de um carro popular de alto rendimento (referente a quilômetros por litro).

Por isso, antes de decidir entre carro ou moto, faça uma previsão de qual será a sua distância percorrida com o veículo por semana ou por mês. Depois de ter uma noção dessa medida, faça as contas e descubra quanto pagará de combustível em cada modelo pretendido.

Considere ainda se o veículo é flex, já que em algumas regiões do país pode ser mais vantajoso abastecer com álcool.

Para ajudar a fazer essa comparação de uma forma bem embasada, separamos para você algumas informações importantes, tomando como base um modelo popular de carro e de moto. Continue lendo e confira!

3. Analise o custo de manutenção do carro ou moto

É certo que as motocicletas de baixa cilindrada têm baixo custo de manutenção, mas é bom lembrar que aquelas com motores mais potentes tendem a gerar maiores despesas para os proprietários.

A substituição de peças sai mais cara e pode ocorrer com maior frequência, como acontece com os pneus. Em alguns casos, a manutenção de uma moto e a de um carro podem ter custos semelhantes.

É bem verdade que uma comparação mais precisa tem que considerar o uso que você pretende fazer do veículo. Se o propósito é rodar bastante, a vida útil das peças, em geral, será encurtada e, assim, você precisará levar o seu bem, seja carro ou moto, mais cedo para uma revisão na oficina.

Todavia, existem algumas previsões básicas que podem ajudar a ter uma noção do quanto gastará anualmente para manter um carro ou uma moto. A seguir separamos esses dados para que você possa se planejar. Confira!

Vamos começar pelos gastos médios com uma moto, tomando como base um modelo mais simples, de 150cc:

- valor médio do veículo: R$7.400;
- roda 38 km por litro de combustível: R$5,00 gasolina;
- primeira revisão feita com 1.000 km rodados: R$56,00;
- IPVA (em média, 2% do valor da moto): R$148,00;
- licenciamento anual: R$70,00;
- seguro DPVAT R$81,90.

Esses são apenas alguns pontos básicos necessários à manutenção de uma moto. Considere que você ainda terá que trocar os pneus após rodar com o veículo por meses a fio e fazer a troca de óleo, freio e demais peças que precisam ser renovadas.

Vamos agora aos custos gerados por um carro como forma de comparação, tomando como base um modelo popular 1.0 novo. Confira:

- valor médio do veículo: entre R$30.000 e R$40.000;
- roda 16 km por litro de combustível: R$5,00 gasolina;
- primeira revisão feita com 10.000 km rodados: entre R$170,00 e R$240,00;
- IPVA (em média 0,4% do valor do carro): entre R$1.000 e R$1.500;
- licenciamento anual: R$72,25;
- seguro DPVAT: R$63,69.

Como pode ver, algumas taxas de manutenção do carro são mais baratas do que de uma moto, como acontece no licenciamento anual e seguro DPVAT. Ainda assim, o custo geral de um carro sai muito mais alto que o de uma moto, e é preciso levar esse ponto em consideração para colocar na balança o que vale mais a pena para você.

4. Avalie a agilidade e a segurança

Não podemos negar que a motocicleta é um veículo prático. Com ela, é possível vencer congestionamentos e chegar mais rápido aonde se pretende ir. Porém, essa praticidade tem um custo. Por ser menor e se equilibrar em apenas dois pontos de contato com o solo, a moto é naturalmente mais vulnerável do que o carro quanto ao risco de acidentes.

Em alguns casos, um vento forte, o deslocamento de ar produzido por um caminhão na estrada ou a pista molhada são motivos para quedas. Mesmo que o piloto e o passageiro utilizem vestuário apropriado, como capacete, luva, jaqueta e bota, certos danos são inevitáveis. Além disso, uma simples chuva já tira bastante o conforto de se pilotar uma moto, bem como aumenta os riscos de derrapagem.

O carro, por sua vez, embora não seja tão ágil, tem condições de proteger motoristas e ocupantes mais do que uma motocicleta. O automóvel tem carenagens deformáveis, justamente para proteger as pessoas no interior do veículo, se ocorrer uma batida.

O carro também conta com airbags, que proporcionam segurança aos indivíduos em caso de colisão. Quanto ao conforto, os veículos de quatro rodas podem trafegar com mais comodidade em dias de chuva e podem levar bem mais bagagens do que uma motocicleta.

Tudo isso conta a favor, sobretudo se estamos falando de pessoas que acompanharão o motorista em seus percursos e viagens. Considere ambos os lados da moeda para tomar a melhor decisão.

5. Compare os preços

Não podemos esquecer do fator preço como quesito de preferência entre carro ou moto. É bem provável que os valores de um automóvel popular e de uma moto de alta cilindrada possam se equiparar. Por isso, analise o impacto da compra no orçamento da sua família, para aliar necessidade e desejo, além de não comprometer as contas.

Além disso, se você não conta com um veículo e tem família, pode ser um pouco desvantajoso começar comprando uma moto se ela for atender apenas seus interesses particulares e deixar de fora seus dependentes. Avalie bem como seria isso.

Se você já tem um dos veículos, pode optar pelo consórcio na aquisição de carro ou moto, como forma de diminuir os custos da compra. Afinal, por já ter um meio de locomoção, você poderá adquirir outro de maneira programada, sem pesar tanto no bolso.

Quais são os principais modelos de moto ou carro?

Confira, logo abaixo, os principais modelos de carros e motos disponíveis no mercado. Repare que cada um deles atende melhor a um tipo de necessidade.

Motos

Scooter

Simples de pilotar, uma moto scooter geralmente é o primeiro veículo na vida de muitos motociclistas. Algumas pessoas acreditam que as motocicletas dessa categoria sempre têm baixas cilindradas, mas o que as define é o design e a posição de pilotagem.

Na parte mecânica, a característica mais marcante é a transmissão automática, que elimina a manete de embreagem e o pedal de câmbio, facilitando o controle. As costas devem ficar eretas, e os pés, juntos ao assoalho. Sendo assim, a tendência é pilotar de maneira mais sentada em relação a outras motos.

Cub

Essas motos são intermediárias entre as scooters e as motocicletas street. Seu maior ponto positivo é a facilidade de pilotar aliada à resistência. Elas quase sempre têm câmbio semiautomático, dispensando o manete de embreagem. Ao pilotá-la, você terá o auxílio das pedaleiras para apoiar os pés. A troca de marcha, por sua vez, é manual.

Street

Veículos pertencentes a essa categoria foram desenvolvidos especialmente para os grandes centros urbanos. Por isso, são leves e resistentes, sendo um dos tipos mais comercializados. Na maioria das vezes, têm um motor monocilíndrico, que poder ir de 100cc a 250cc.

A presença de um câmbio com pedal faz com que ela seja superior em relação às scooters e cubs nesse aspecto. Elas também têm manete de embreagem.

Trail

São as preferidas de quem anda em terrenos acidentados ou gosta de passear em meio à natureza. Isso se deve, é claro, à suspensão de longo curso, que tem a capacidade de deixá-las mais longe do chão, o que é ideal para pisos irregulares. São vendidas com motores que vão de 125cc a 250cc.

Carros

Sedan

Carros sedan têm uma carroceria larga, o que ajuda a dividir bem os espaços entre motor, assentos e bagageiro — ele não fica muito próximo ao vidro de trás, valorizando o espaço interno. São pensados para os territórios urbanos e, por isso, combinam perfeitamente com um uso mais cotidiano.

Caso você queira comprar um carro novo apenas para ir ao trabalho ou passear com a família, não deixe de considerar essa possibilidade, ok?

Hatch

Esses modelos são mais compactos e apresentam uma traseira bastante reduzida em relação ao sedan. O vidro traseiro fica acoplado ao porta-malas, reduzindo um pouco as dimensões desse espaço. Em contrapartida, eles têm preços mais acessíveis e podem ser muito econômicos em relação ao aproveitamento do combustível.

SUV

SUVs são o que há de melhor na combinação entre resistência, conforto e luxo. Antigamente, eram opções restritas às classes de maior poder aquisitivo. Porém, na atualidade, esse cenário mudou e muitas famílias fazem uso desse tipo de carro no dia a dia.

A manutenção não é das mais baratas, mas eles têm motores mais fortes, e que podem ser híbridos — isso tende a gerar uma boa economia ao abastecer. O visual arrojado é um ponto forte que merece ser destacado.

Como você pôde perceber, a resposta a respeito da compra dependerá da realidade de cada pessoa, seja ela financeira ou de ordem pessoal. Reveja com calma cada ponto apontado no artigo e faça sua escolha. Temos certeza de que as informações dadas ao longo texto ajudarão você a ir mais longe na hora de adquirir seu veículo!

Ainda assim, leve em consideração vários critérios, como consumo, conforto, custos de manutenção, uso do veículo, bagagem, segurança e a finalidade da compra. Assim, você se aproximará de uma decisão mais fundamentada na hora de comprar carro ou moto.

Agora que você já sabe quais são as vantagens entre esses dois tipos de veículo, aproveite para conferir qual é o melhor custo-benefício entre as motos!

Guia Completo De Aquisicao Via Consorcio De Veiculos

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.