Meu Primeiro Carro

Conheça 6 erros de uso que causam problemas para a embreagem do veículo

Evite problemas com embreagem no seu carro. Conheça 6 erros que você deve evitar na hora de dirigir lendo este artigo!

A correta manutenção do veículo é, sem dúvida, o que permite ao proprietário utilizá-lo com mais segurança e economia no dia a dia. No entanto, cuidados básicos no seu uso, como a aplicação de boas práticas de condução, também podem contribuir para uma maior durabilidade do bem. Nesse ponto, por exemplo, quando o carro não é automático, uma condução eficiente pode ajudar a minimizar os problemas com embreagem.

Talvez você não saiba, mas a embreagem é um dos componentes mais importantes para o correto funcionamento do veículo. Essa peça fica posicionada entre o motor e a transmissão, sendo a responsável por permitir que a força do motor seja levada para a transmissão e, posteriormente, para as rodas.

A ocorrência de problemas na embreagem, em muitos casos, não está relacionada a falhas na construção da peça, mas na maneira como o motorista aciona o pedal enquanto dirige. Diante disso, queremos ajudar você a aproveitar melhor o seu carro e evitar danos à sua embreagem.

Para isso, preparamos este artigo para explicar melhor o funcionamento desse importante componente e apresentar 6 erros de uso que podem causar problemas para a embreagem e que você deve evitar. Acompanhe!

Qual é a importância da embreagem para um veículo?

Um dos componentes automotivos que mais interfere na performance de um veículo é a embreagem. Isso porque, como dito, essa peça é a responsável por permitir que a força produzida no motor seja levada para a transmissão e, em seguida, para as rodas.

Por esse motivo, problemas com a embreagem podem gerar grandes transtornos na condução e usabilidade de uma moto ou carro, impactando principalmente na sua performance e no consumo de combustível.

Na prática, falhas na embreagem podem, por exemplo, impedir que toda a força do motor seja conduzida para o sistema de transmissão. Isso significa que o carro perderá o seu desempenho, o que pode ser muito arriscado em determinadas situações, como em uma rodovia, na hora de uma ultrapassagem.

Uma embreagem tem vida útil?

Como qualquer outro componente mecânico de um veículo, a embreagem também tem uma vida útil determinada. Essa peça, no dia a dia — principalmente no uso urbano, em que a troca de marchas acontece a todo momento —, sofre um desgaste natural a cada acionamento. O atrito entre as partes móveis, somado ao uso frequente, por exemplo, são fatores que afetam diretamente a sua durabilidade.

Na prática, estabelecer o tempo médio de uso de uma embreagem é uma tarefa complexa. Isso porque existem muitos fatores que podem interferir negativamente nesse aspecto, como as condições em que o veículo é utilizado e, principalmente, a maneira como o motorista o conduz.

Ao dirigir o seu carro, existe uma série de sinais que podem indicar que é hora de reparar ou substituir a embreagem. Ficar atento a cada um deles pode evitar danos mais graves ao sistema e poupar um bom dinheiro na manutenção. Nesse sentido, os seguintes indicativos devem ser sempre avaliados:

- veículo com quilometragem elevada;
- pedal de acionamento mais duro;
ruídos estranhos ao acionar o pedal;
- trepidação;
- sensação de perda de força do motor;
- motor com um ruído elevado, principalmente em razão de o giro estar mais alto.

Quais são os principais erros que causam problemas na embreagem?

Apesar de a embreagem sofrer um desgaste natural pelo uso, é possível melhorar a sua performance e durabilidade eliminando alguns vícios comuns durante a condução do veículo. A Seguir, listamos 6 erros que você deve evitar ao dirigir. Confira!

1. Colocar o carro em ponto morto enquanto se movimenta

Um erro muito comum cometido por motoristas — a pretexto de economia de combustível — é colocar o carro em porto morto e aproveitar o seu embalo em declives. Essa prática, além de configurar infração de trânsito de natureza média punida com multa (art. 231, IX do CTB), também pode causar graves danos ao sistema de embreagem e transmissão do veículo.

Isso porque, na hora de engatar a marcha, o motorista pode engatar uma marcha incompatível com a rotação do motor e velocidade, fazendo com que o disco da embreagem suporte um grande atrito repentinamente. Isso contribui para o desgaste prematuro da peça, além de forçar todo o sistema.

2. Manter o pedal acionado em paradas longas

Outro erro corriqueiro na condução do carro é manter o pedal de embreagem sempre acionado, mesmo com o veículo totalmente imobilizado. Em situações comuns, como a parada em semáforos, o recomendado é deixar o veículo em ponto morto, aliviando o uso do rolamento do sistema, que se mantém em contato com o platô.

3. Usar a embreagem em terrenos íngremes

Uma situação que gera ainda mais estresse para o sistema é quando se utiliza a embreagem para manter o carro estático em aclives. Em alguns casos, esse tipo de procedimento é necessário — como para arrancar em subidas.

Quando isso ocorre, o platô fica girando, enquanto o disco permanece parado, o que causa um alto desgaste aos componentes devido ao atrito intenso. Por essa razão, sempre que possível, o mais recomendado é utilizar os freios do veículo para imobilizá-lo, usando a embreagem apenas na hora de arrancar.

4. Manter o pé sobre o pedal

Essa parece uma ação inofensiva e que não causa nenhum tipo de prejuízo para a embreagem. No entanto, essa prática esconde alguns malefícios. O mais grave deles é quando o peso da perna do condutor pode ser capaz de acionar, ainda que parcialmente, o sistema de embreagem.

Quando isso acontece, o disco entre em contato com o platô, mesmo que de leve, gera uma espécie de lixamento, que pode não só desgastar as peças como causar o seu aquecimento.

5. Soltar o pedal bruscamente

Ao fazer a troca de marchas do carro, não se deve soltar o pedal de forma brusca, mas aliviá-lo de forma gradativa, para que os componentes em movimento não gerem um “tranco” e se danifiquem ao entrarem em contato novamente.

Assim, a lógica na condução é que quanto mais suave e imperceptível for a troca de marchas, mais o sistema está sendo bem utilizado, já que isso significa que existe uma harmonia entre a rotação do disco e da transmissão.

6. Arrancar em segunda marcha

Mais um erro grave no uso da embreagem e sistema de transmissão do veículo é fazê-lo arrancar em segunda marcha. Quando o motorista faz isso, altera-se a quantidade de força transmitida para as rodas, além de ocasionar um mal gerenciamento do giro do motor com a velocidade do veículo.

Por essa razão, é muito comum ouvir estalos na transmissão, sentir pequenos trancos ou mesmo acontecer de o carro “apagar”. Sendo assim, o correto é sempre arrancar em primeira marcha, cuja força transmitida pelo motor é a adequada para tirar todo o peso do veículo da inércia.

Por fim, como foi possível perceber, existem diversos hábitos prejudiciais na hora de dirigir que causam problemas com embreagem. Eliminá-los é, sem dúvida, o primeiro passo para conseguir aumentar a durabilidade dos componentes da transmissão, do motor e da embreagem do seu carro, além de ser uma forma de garantir sempre uma performance e um consumo adequado.

Agora, se mesmo adotando boas práticas, você está sofrendo com problemas constantes na embreagem ou em outros componentes do seu carro, talvez seja a hora de pensar na compra de um veículo novo. Para isso, o consórcio pode ser a melhor opção. Baixe este e-book e confira um guia completo sobre o assunto!
Guia Pratico Faca A Escolha Do Melhor Consorcio De Carros Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.