Meu Primeiro Carro

Qual é a vida útil de um pneu e quais cuidados tomar?

Aprenda em nosso post quais são os principais cuidados com os pneus do carro e como garantir sua durabilidade.

 A manutenção preventiva é fundamental para garantir o melhor desempenho e a segurança de um automóvel. E um dos itens que precisa de cuidado e substituição de tempos em tempos é o pneu. Mas você sabe mesmo dizer quanto tempo dura um pneu de carro?

De modo resumido, a vida útil de um pneu varia de acordo com o uso do veículo, as condições de tráfego e também a forma como o motorista dirige. E mais: algumas atitudes podem fazer com que ela seja prolongada!

Se você quer saber como cuidar bem dos pneus do seu carro e garantir o maior rendimento, continue acompanhando este artigo. Apresentaremos as principais informações sobre o tema. Confira!

Qual é a vida útil de um pneu?

Após garantir uma boa procedência do veículo desejado, é preciso voltar os olhos para os diversos fatores que podem aumentar ou diminuir o tempo de vida de um pneu. Estima-se que em um carro de passeio essa peça deve durar de 40 a 60 mil quilômetros até o momento da troca.

Em alguns casos, como os de condução frequente por terrenos acidentados e estradas de terra, pode ser necessário realizar a substituição na metade da quilometragem média. Por isso é sempre importante conferir o estado de cada um dos pneus e fazer revisões com regularidade.

Como assegurar a durabilidade dos pneus?

Deve-se ficar atento com os pneus e tomar alguns cuidados para garantir sua longevidade, visto que o mau uso pode gerar despesas inesperadas. Veja a seguir 5 boas práticas para aumentar a vida útil dessas peças.

Preste atenção no recalibramento do pneu

O motorista deve calibrar os pneus de acordo com o manual do proprietário ou em um intervalo aproximado de 15 dias. Uma boa prática é fazer essa verificação, também, antes de viajar longas distâncias.

A manutenção da pressão adequada é extremamente importante. É necessário verificar os pneus que estão em uso e calibrar o estepe. Afinal, ele deverá estar pronto para uso em caso de algum acidente.

O calibre correto é definido conforme a quantidade de carga do veículo, geometria do pneu e prescrições do fabricante. A pressão alta demais é perigosa, podendo causar o rompimento da peça, além de reduzir a área de contato com o solo e prejudicar a frenagem de emergência. Já a baixa pressão provoca uma redução de até 30% na vida útil de um pneu, além de diminuir a precisão da direção, o que pode causar acidentes graves.

Fique atento à forma como dirige

O motorista também interfere na vida útil de um pneu. Quem dirige fazendo frenagens bruscas, passando por muitos buracos e com velocidade excessiva acaba prejudicando a peça, que, consequentemente, precisará de mais revisões mecânicas. Além disso, a própria manutenção de freios também tende a ser mais constante. Evitar exageros na direção pode fazer você economizar!

Escolha o tipo de pneu correto

Comprar um pneu específico para alta performance e usá-lo na cidade, ou vice-versa, pode ser uma péssima ideia. Tente encontrar um equilíbrio entre tipos de terreno, clima predominante e uso do carro. Em caso de dúvidas, leia as indicações do manual ou procure seu mecânico.

Adquira pneus em fornecedores de confiança

Para garantir que os pneus tenham boa durabilidade e sejam seguros, é importante adquiri-los de fornecedores confiáveis, que vendam peças novas e de marcas reconhecidas no mercado.

A escolha do local onde você vai efetuar a compra é relevante porque o armazenamento interfere muito na vida útil de um pneu. Quem compra em locais que não têm um estoque limpo, organizado e disposto de acordo com as normas do fabricante perde em longevidade antes mesmo de fazer a instalação.

O ideal é conservar os pneus em um local coberto, seco e arejado. Caso eles fiquem guardados por mais de 4 semanas, devem ser colocados em prateleiras na posição vertical, a pelo menos 10cm de altura.

Realize manutenções adequadas

Para cuidar dos pneus, é importante manter a pontualidade no alinhamento, balanceamento e rodízio. Além de realizar a manutenção periódica de acordo com o manual do veículo, procure um mecânico sempre que perceber algum sinal ou barulho diferente.

As aplicações de produtos nos pneus também devem ser feitas com responsabilidade, com mecânicos de confiança que prestem serviço profissional. É melhor evitar as intervenções estéticas caseiras, especialmente aquelas à base de petróleo. Essas práticas podem afetar a borracha.

Quais problemas são causados por pneus irregulares?

Além de ser um componente essencial para o uso do automóvel, o pneu também interfere no desempenho e na segurança. Por isso, é importante ficar atento às condições de conservação durante a direção e realizar a manutenção adequada. Desse modo, você também evita algumas consequências. Veja!

Excesso de gasto de combustível

Caso seja novidade para você, fique de olho na calibragem dos pneus do seu carro. Quando deixado em segundo plano ou realizado da maneira inadequada, o procedimento é um dos grandes vilões do aumento de consumo de combustível do veículo.

Perda da eficiência

Caso um ou mais pneus do carro estejam com desgaste avançado, o veículo também perde consideravelmente em desempenho. Para entender o problema, basta lembrar que o carro só atinge a máxima eficiência prevista no projeto quando todos os seus elementos estão em perfeitas condições.

Como os pneus são praticamente a interface entre carroceria e superfície da pista, o avanço de deterioração do componente prejudica a resposta do veículo aos comandos habituais do motorista.

Perda de estabilidade

A falta de balanceamento dos pneus pode alterar a qualidade da experiência do motorista e prejudicar a estabilidade do veículo na via. A substituição parcial também pode acarretar problemas de balanceamento.

Procure sempre comprar pneus com especificações de acordo com o manual do proprietário. Mesmo que não encontre da mesma marca, confira se a medida, o material e o índice de carga e velocidade são semelhantes. Não esqueça de deixá-los alinhados no mesmo eixo.

Ainda que sem desgaste por uso, a borracha tem validade máxima de 5 anos. Depois desse período é necessário realizar a troca, pois não há mais garantia de resistência estrutural, e isso pode causar acidentes.

Para conferir a validade da borracha, basta identificar o final da numeração que está depois das letras DOT na lateral dos pneus. Os 4 últimos números indicam a data de fabricação, 2 dígitos para a semana e 2 para o ano.

Por fim, eles devem ser substituídos assim que o sulco ou friso tenha profundidade inferior a 1,6 mm, o que indica desgaste. A necessidade de troca também pode ser aferida pela altura do indicador de desgaste TWI, que fica entre os sulcos e deve ser sempre mais baixo que eles. Pneus com alto desgaste correm maior risco de estouro, aquaplanagem, além de proporcionar dificuldades na frenagem.

Quais são os fatores que danificam os pneus?

Além das dicas infalíveis que mencionamos acima, você também deve ficar atento aos fatores associados à deterioração dos pneus do seu carro. Juntos, eles facilitam a compreensão acerca de quanto tempo dura um pneu de carro. Assim, você saberá exatamente o que deve evitar, a fim de ampliar o tempo de vida útil de um elemento tão importante do seu automóvel.

Uso indevido

Muitos motoristas têm dúvidas quanto ao que seria, afinal, uma utilização incorreta dos pneus. O equívoco mais comum se refere à mescla de tipos de pneus distintos. Outro erro relativamente frequente é a desatenção quanto à compatibilidade entre os pneus e as rodas.

Coloque também na lista a colocação de um estepe de dimensões diferentes das dos demais pneus do carro. Isso se torna um problema, principalmente quando o veículo ultrapassa a faixa dos 80 km/h.

Também são totalmente desaconselháveis pneus desenvolvidos para suportar carga e velocidade iguais ou acima do valor recomendado pela montadora e contido nas especificações técnicas do modelo do carro. Por fim, é de responsabilidade do motorista não trafegar com pneus carecas.

Distrações do motorista

Além adotar bons hábitos na hora de conduzir o veículo, você jamais deve negligenciar os barulhos emitidos por ele durante os deslocamentos. Seja em vias urbanas, seja em rodovias, é fundamental treinar o ouvido para detectar alterações sonoras.

Vibrações desconhecidas e pequenos ruídos, por exemplo, podem evidenciar algum problema derivado dos pneus. Em qualquer um dos casos, não hesite em levar o veículo em uma oficina para inspeção.

Clima

Por mais atual e melhor que seja a tecnologia usada nos pneus do seu carro, o componente não é imune a condições climáticas favoráveis a sua deterioração. Basicamente, tudo o que ocorrer em excesso, como neve, temperatura da pista, chuva e raios solares, é prejudicial à vida útil de um pneu.

Condições das vias

Outro detalhe imprescindível na vida útil dos pneus de um carro são as vias pelas quais ele trafega. Não se trata, entretanto, apenas da existência de buracos. Ao dirigir, é recomendável adquirir a prática de observar a presença de objetos estranhos nas vias, como pedras.

Depois de todas essas informações relevantes, você não só sabe quanto tempo dura um pneu de carro, mas também quais aspectos colaboram para diminuir esse período. O motorista deve tomar cuidado e fazer as manutenções adequadas para garantir a maior vida útil de um pneu. Uma condução responsável reduz as chances de acidentes e evita os gastos com uma manutenção corretiva.

Agora que você já entende tudo sobre a vida útil de um pneu, aprenda mais sobre alinhamento e balanceamento, para que servem e quando devem ser feitos!

Racon Blog

Por Racon Blog

Data Publicado em 18 de Outubro de 2018 | Atualizado em 5 Outubro de 2020.

vida útil de um pneu vida útil de um pneu pneus do carro pneus do carro

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.