Meu Primeiro Imóvel

7 características essenciais no imóvel para ter pets no apartamento

Confira dicas de como tornar seu apartamento seguro e confortável para você e seu pet.

Se você pensa em ter pets no apartamento deve cuidar para que o seu animalzinho de estimação tenha conforto e espaço suficiente para o seu bem-estar. Isso porque os animais gostam de brincar e, se ficarem em um ambiente muito pequeno e desconfortável, podem ficar tristes e até mesmo adoecer.

Claro que morar em um apartamento pequeno não impede que você tenha um bichinho, mas você precisa adaptar o seu lar para a chegada dele.

Animais alegram a casa e tornam nossos dias muito mais felizes. Eles nos divertem e são uma excelente companhia. Mas, para você ter um amiguinho peludo no apartamento, seu imóvel precisa ter algumas características básicas.

Quer saber quais são elas? Então, continue a leitura do post de hoje!

1. Opte por um piso de fácil limpeza

É normal que, nos primeiros dias do pet no apartamento, ele faça suas necessidades pela casa — principalmente se ele for um filhote. Por isso, você deve optar por pisos fáceis de limpar, como os de porcelanato, vinílico e cerâmica. Esses revestimentos são muito práticos e quando o pet fizer suas necessidades, basta um pouco de água e sabão para limpar o local.

Esses tipos de piso não mancham, não sofrem arranhões com as unhas do animal e não retém cheiro. Enfim, são perfeitos para um lar que possui bichos de estimação.

2. Evite tapetes e carpetes pela casa

Tapetes e carpetes são ótimos para quem gosta de um apartamento bem decorado, pois dão outra vida e estilo ao ambiente. Mas, em casa onde tem pet não adianta ter esses acessórios.

Carpetes e tapetes são difíceis de lavar e, por isso, você não vai conseguir manter uma boa higiene. Então, sua casa vai ficar com um cheiro desagradável por dias, até que você mande o acessório para a lavanderia.

Além disso, o pet pode rasgar o tapete ou deixar pelos espalhados pelo tecido, principalmente gatos ou cães mais peludos.

Uma alternativa é tentar adestrar e educar o animal, de modo que ele não apresente esse tipo de comportamento. Se você tiver certeza de que o seu cão ou gato não vão destruir esses itens, não precisa se preocupar ao investir neles.

3. Verifique se as regras do condomínio sobre a circulação de pets

Cada condomínio tem suas regras, que devem ser seguidas pelos condôminos. Mas, nenhum deles pode proibir que você tenha seu bichinho de estimação. Está no Código Civil (artigo 1.335, inciso I): é direito do condômino usar, fruir e livremente dispor de suas unidades. Impedir esse direito, quando seguidas as devidas regras, é inconstitucional.

Então, você tem o direito de ter um animalzinho. A permissão vale para o tamanho que for: não se pode dizer, por exemplo, que só raças de cachorros pequenos são permitidas. 

O que pode ocorrer é que o condomínio defina quais as áreas adequadas para pets e proibir sua circulação, por exemplo, na garagem ou no playground. Deixar o animal solto, sem coleira, nos locais de uso comum do prédio também pode ser proibido.

Se você levar seu pet para passear no jardim, por exemplo, não esqueça de recolher os dejetos. Alguns condomínios podem utilizar de advertências ou até mesmo multas em caso de reincidência.

Vale lembra que alguns municípios definem um número máximo de animais. Em Porto Alegre (RS), a criação, hospedagem, adestramento ou manutenção de mais de cinco animais, no total, das espécies canina e felina, com idade superior a 90 dias, caracteriza canil ou gatil de propriedade privada.

4. Estabeleça um lugar exclusivo para ele

Como os seres humanos, os animais também precisam de um espaço só para eles. Claro que isso não significa que para ter um pet no apartamento é necessário que você faça um quartinho só para ele. Se o apartamento tiver espaço, ótimo, caso contrário, crie um cantinho exclusivo para seu bichinho.

Um lugar com uma cama, vasilha com água, comida e alguns brinquedinhos para ele se divertir durante o dia, principalmente nos horários que ficar sozinho em casa. Não precisa ser um espaço muito grande, mas confortável.

Além disso, seu animal precisa ter seu próprio banheiro. Se você tem um gatinho, ponha uma caixa de areia em um canto específico da casa. Já no caso de você ter um cão, aposte em tapetes descartáveis higiênicos.

5. Certifique-se de que as janelas tenham telas de proteção

Além de conforto, seu animal também precisa de segurança. Por isso, as janelas devem ser protegidas com telas ou grades, pois seu bichinho pode cair na tentação de pular a janela. Esse risco é maior no caso de gatos, mas um cãozinho também pode sofrer um acidente.

Se o seu apartamento possui uma sacada, ela também deve ser fechada para que seu animal não corra riscos.

6. Tenha cuidado com as plantas

Não dá para ter plantas e pets no apartamento ao mesmo tempo. Isso porque além de ter o risco de o animal derrubar os vasos de plantas e ainda fazer aquela bagunça, ele ainda pode cheirar ou comer sua plantinha.

E vale lembrar que algumas plantas como: Copo-de-leite, Comigo-ninguém-pode, Antúrio, Avenca, Azaleia, entre diversas outras, são tóxicas e fazem mal para seu pet. E mesmo que você tenha somente flores, o sistema digestivo do animal não foi feito para digerir folhas e vegetais. Então, caso você goste de suas plantinhas, deixe-as em um local que seu amigo peludo não tenha acesso.

7. Garanta a segurança do pet

Alguns cuidados são primordiais para que o animal não se machuque dentro de casa. Por isso, você deve tomar cuidado com fios desencapados no ambiente e deixar objetos cortantes fora do alcance. Lembre-se de que eles podem se machucar brincando com algo que não devem.

Brincos, anéis, pulseiras e outros acessórios também devem ficar longe do alcance dos bichos, que podem engolir esses itens ou se machucar com suas pontas. Produtos de limpeza, perfumes, cosméticos e os tão desejados chinelos e sapatos também oferecem riscos aos animais, que podem se intoxicar ao ingeri-los.

No caso de gatos, que sobem em tudo, os donos ainda precisam ser mais cautelosos. Por isso, tome cuidado com os objetos de decoração, pois seu felino pode subir nas estantes e prateleiras e quebrar alguma dessas peças. Além do prejuízo financeiro, seu pet ainda pode se machucar, caso o utensílio seja de vidro, por exemplo.

O fogão é outro fator de risco para gatos, que podem se queimar com o fogo, panela ou líquidos quentes, como óleo e água, por exemplo.

Essas são algumas características indispensáveis para quem tem pets no apartamento. Caso você zele pela segurança e bem-estar de seu bichinho, deve analisar se tem condições e espaço físico o suficiente em seu lar para receber um amigo de quatro patas.

Você gostou do post e quer ter acesso a outros conteúdos interessantes? Então, veja neste post qual a melhor opção de imóvel pra você!

Racon Blog

Por Racon Blog

Data Publicado em 19 de Março de 2018

pets no apartamento pets no apartamento animais em apartamento animais em apartamento

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.