Meu Primeiro Imóvel

6 dicas para usar um consórcio para construir sua casa própria

Confira, neste post, 6 dicas que garantirão a sua completa satisfação ao construir um imóvel utilizando o consórcio.

Criado originalmente para viabilizar a compra de carros, o consórcio já se consagrou como uma excelente alternativa de crédito para quem precisa adquirir uma imensa variedade de produtos e de serviços, mas que não tem o dinheiro para fazer o pagamento à vista ou prefere não desembolsar todo o montante de uma só vez.

Inclusive, o consórcio para construir a casa própria já se tornou uma forma muito conveniente de obter recursos para quem deseja realizar o sonho da construção de forma programada.

Porém, para que todos os benefícios do consórcio possam ser usufruídos na plenitude, é importante tomar alguns cuidados. Confira, neste post, 6 dicas que garantirão a sua completa satisfação ao construir um imóvel utilizando o consórcio.

1. Planeje a obra

Aderir a um consórcio a partir de uma estimativa superficial do valor da obra é um dos grandes erros que você não deve cometer.

Por um lado, se a estimativa do custo da obra for por baixo, o consorciado correrá o risco de não ter todo o dinheiro que precisará para finalizar a obra e terá que interromper a construção quando ficar sem recursos.

Por outro lado, se a estimativa for muito alta, as parcelas do consórcio ficarão mais elevadas do que deveriam ser, o que pode dificultar o pagamento.

Portanto, antes de aderir a um grupo de consórcios para construir, procure fazer um planejamento detalhado da obra em todas as etapas, desde o projeto até a contratação da mão de obra e compra dos materiais.

Tenha em mente também o cronograma da construção e procure calcular a possível variação dos custos da obra ao longo do período previsto para ela durar.

Quanto mais detalhado for o seu planejamento mais preciso será o orçamento da obra. Com isso, você poderá contratar o consórcio ideal para a sua necessidade, sem pagar parcelas com valores acima do que deveriam ser e sem correr o risco de ficar sem dinheiro para concluir a obra.

2. Preveja os gastos extras

Além do custo da construção em si, você precisa ter em mente outros gastos que poderão ocorrer após a conclusão da obra. Por exemplo, você precisará prever o custo da mudança e, eventualmente, o que vai gastar com a compra de móveis novos e com a decoração.

Como o consórcio servirá para cobrir o custo da construção e não essas outras despesas, você deve se preparar financeiramente para o momento em que obra terminar, a fim de contemplar os demais gastos.

Nesse ponto, também é importante ter em mente que imprevistos podem acontecer durante a construção, o que exigirá que você esteja preparado para lidar com eles. Por exemplo, é possível que uma parede mal executada tenha que ser demolida, o que implicará em desperdício de materiais e de tempo de mão de obra, onerando a construção.

3. Contrate profissionais capacitados

A contratação de profissionais qualificados para executar a sua obra pode minimizar a possibilidade daquele tipo de imprevisto causado por erros na execução das tarefas, que citamos no último tópico.

Portanto, procure por empresas ou por empreiteiras que sejam capazes de apresentar boas referências e de comprovar que executaram outras obras com boa qualidade.

Em nenhuma hipótese quem está construindo deve ficar à mercê dos prejuízos causados pelos maus profissionais. E esta condição é ainda mais inaceitável quando o dinheiro da obra vem de um consórcio.

Afinal, o valor da carta de crédito, que será definido pelo seu planejamento, não poderá ser alterado para cobrir eventuais defeitos de construção. Isso torna imprescindível que a qualificação profissional dos executores seja totalmente confiável.

4. Pesquise antes de comprar materiais

Os preços dos materiais de construção podem variar muito de uma loja para outra. Ao mesmo tempo, ainda que a inflação esteja sob controle, é preciso ter em mente que pode haver uma variação dos valores ao longo do tempo, o que prejudicará o seu orçamento, risco que pode ser eliminado pela boa pesquisa.

Portanto, sem abrir mão da qualidade dos materiais que você deseja comprar, é importante fazer uma pesquisa cuidadosa nos vários estabelecimentos existentes.

Inclusive, os grandes estabelecimentos que mantêm lojas virtuais permitem pesquisar pela internet, o que facilita bastante o trabalho. Porém, não se deixe levar pelas aparências. É possível que o pequeno depósito do bairro tenha preços mais interessantes do que os grandes fornecedores e somente a pesquisa cuidadosa permitirá que você descubra isso.

Depois de pesquisar, procure negociar o maior volume possível de materiais junto a um mesmo fornecedor. É possível que desta forma você consiga um bom desconto, o que permitirá investir em outros itens que poderão tornar a sua construção ainda melhor.

5. Entenda as formas de contemplação de um consórcio para construir a casa própria

Como nas outras modalidades, os consórcios para construir permitem que o consorciado tenha acesso à carta de crédito a partir de duas possibilidades: por sorteio ou por lance.

Os sorteios ocorrem mensalmente nas assembleias, quando são definidos os números das cotas que serão contempladas.

Já a contemplação por lance pode ocorrer por meio do lance livre ou fixo. No lance livre, é aceito qualquer valor ou percentual escolhido pelo consorciado, normalmente vence quem ofertar o maior lance. Em caso de empate, a administradora fará um sorteio para determinar o contemplado. Já o lance fixo estipula um valor (ou percentual) preestabelecido, determinado em contrato. Se mais de uma pessoa ofertar o lance fixo é realizado um sorteio para definir o contemplado. Nos dois casos você só paga o lance se ele for o vencedor. O pagamento do lance, pode ser feito com recursos do próprio consorciado ou descontando o valor da carta de crédito, que é conhecido como lance embutido, de acordo com as regras que constam no contrato.

Sendo assim, o consorciado só deverá iniciar a obra se, de fato, for contemplado. Para saber qual lance pode sair vencedor, é interessante acompanhar de perto as assembleias.

Por fim, o consorciado que não é contemplado no decorrer do plano, recebe a carta de crédito no encerramento do grupo.

6. Escolha a administradora com critério

A escolha da administradora de consórcios para construir é tão importante quanto o planejamento da obra. É indispensável que ela seja uma empresa credenciada pelo Banco Central para atuar nesse segmento, o que pode ser conferido no site da instituição.

Além disso, antes de fazer a contratação, também é importante conhecer os planos dos consórcios que as administradoras oferecem. Desta forma, poderá escolher aquele que seja mais conveniente para a sua necessidade, tanto em termos dos valores das parcelas quanto da duração dos grupos.

Agora que você já tem essas dicas para investir em consórcio para construir a casa própria, comece a se planejar! Leia também as nossas dicas de apps para ajudar a organizar as finanças e ficar mais próximo de conquistar a sua casa própria!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.