Planejamento Financeiro

Afinal, quanto devo economizar em cada fase da vida?

A resposta pode mudar de acordo com vários fatores. Veja o que levar em consideração e como economizar.

Você sempre ouve falar que precisa guardar dinheiro para as necessidades. Fazer seu pé de meia, montar uma reserva financeira, ter um colchão de segurança: seja qual for o nome dado, esse é ponto que não tem nem discussão. Mas é bem possível que se pergunte: "quanto devo economizar?".

Essa pergunta, por mais simples que pareça, é bem pertinente. A resposta pode mudar, de acordo com vários fatores e pontos de vista. Para ajudar, a gente preparou este post, em que explicamos o que você deve levar em consideração e como pode economizar, em cada fase da sua vida. Confira!

Por que preciso me preocupar em guardar dinheiro?

O dinheiro, em si, não é o ponto mais importante. A questão é o que ele permite que você faça e viva, e o quanto impede que passe por momentos difíceis. A maioria das pessoas pensa na primeira parte: usa o dinheiro para se divertir ou procura fazer o que tem vontade. Existe algo de errado nisso? Não. Mas o erro está em não pensar na questão seguinte.

Se, em algum momento, você passa por um problema de saúde sério, em que o plano não cobre e precisa de intervenções cirúrgicas, internamento ou outras demandas afins, de onde vai tirar dinheiro? Quando alguém muito próximo e importante precisa de ajuda, você quer poder fazer algo, certo?

Enquanto se é jovem, essas coisas não vêm muito à cabeça. Quem pensa em doença aos 20 anos? Mas, acredite: seu corpo, sua família e sua segurança financeira precisarão de cuidados — pode até não ser agora, mas provavelmente será em alguns anos.

Além disso, quem não guarda dinheiro sempre tem que pedir emprestado quando quer fazer algo maior, fora da rotina. Seja para comprar a primeira casa, o primeiro carro ou uma longa viagem. E recorrer a bancos pode sair bem caro para o bolso!

Quando você se preocupa com isso e guarda dinheiro antecipadamente — mesmo que não saiba ainda como vai usá-lo — tem uma fonte segura para as necessidades e para a realização dos seus sonhos.

Quanto devo economizar?

Então, vem a pergunta que abriu nossa conversa, certo? Quanto devo economizar? A resposta é: depende. O valor a guardar varia de acordo com o que você ganha e com as obrigações que possui.

É claro que a ordem é pagar as contas sempre antes de tudo e depois decidir o que fazer com o que sobra. Mas não deixe o seu planejamento financeiro por último, senão nunca sobrará nada.

A regra é: algo tem que ser economizado, em qualquer situação. Como se fosse um boleto a pagar todo mês. Se você estiver com muitas contas a pagar, vá eliminando algumas, aprenda a economizar, e depois comece a poupar.

Em cada momento da vida, você tem recursos e necessidades diferentes. Por isso, programe-se de uma forma diferente, de acordo com sua idade. Por exemplo:

Na faixa dos 20 anos

Se você ainda mora na casa dos pais e não tem gastos como aluguel, luz, telefone, seu foco deve ser poupar. As obrigações da vida adulta ainda não bateram todas a sua porta, então, aproveite o momento.

O ideal é poupar o máximo possível. Foque na sua formação profissional, investindo em cursos de línguas e em uma faculdade. Mas procure guardar cerca de 50% da sua renda. Parece muito? Quando você começa do zero, sim. Mas há formas de se ajudar e tornar isso um hábito!

Se você começar guardando R$ 50 por mês e aumentar esse valor em R$ 50 a cada mês (R$ 50 no primeiro, R$ 100 no segundo, R$ 150 no terceiro e assim por diante), ao final de um ano estará poupando R$ 600 por mês. Faça essa programação crescente até atingir sua meta de 50% do salário. No mês em que alcançá-la, você fixa o valor.

Lembre-se de que as preocupações que você não tem aqui vão surgir com o tempo. Hoje, pode andar de ônibus, mas quando crescer profissionalmente deve querer ter seu próprio carro. Sua saúde está ótima, mas o peso da idade chega. E você não sabe se estará preparado financeiramente quando essas necessidades surgirem.

Portanto, deixe para gastar apenas o que sobrar, depois de poupar e pagar suas contas!

A partir dos 30 anos

É nessa fase da vida que começamos a colher os frutos do quando investimos em nós mesmos. Profissionalmente, principalmente. Com um padrão de vida diferente e mais independência, seus gastos vão aumentar, então a poupança tende a diminuir (em termos percentuais), mesmo que você esteja ganhando melhor.

Pode ser, inclusive, que já tenha começado a formar sua própria família, com casamento e filhos. Então, é prudente que você economize cerca de 30% do seu salário. Você vai ter uma reserva financeira segura (que começou aos 20 anos), mas se preocupará, também, com a formação e a saúde dos filhos e com outras obrigações. Portanto, não deve parar de se precaver.

Ao chegar aos 40/50 anos

Nessa fase da vida você começará a se preocupar com aposentadoria. Suas dívidas estarão sob controle: filhos estudando, casa própria, carro na garagem. Mas os custos do dia a dia serão constantes, pois é provável que os filhos ainda precisem de seu suporte financeiro.

A saúde também dará sinais de que precisa de cuidados. Mesmo que esteja tudo bem, você terá mais visitas ao médico e precisará fazer exames com mais frequência, para manter o corpo funcionando da melhor forma possível e se precaver contra os problemas que os anos vão trazer.

Portanto, economize algo entre 15% e 20% nessa fase. Assim, reporá o dinheiro que precisar tirar de sua poupança.

Depois dos 60 anos

Se você tiver tomado as precauções que falamos, estará pensando em curtir sua aposentadoria. Depois de uma vida de batalhas, nada mais justo, certo? As viagens são uma das maiores compensações nessa fase. Com suas obrigações cumpridas, você vai querer curtir sua aposentadoria, com paz e tranquilidade.

O ideal, então, é poupar cerca de 10% do salário. Sim, ainda é preciso! Porque planos de saúde são bem caros para pessoas mais velhas. Qualquer procedimento médico tem custo alto e você não vai querer, nessa altura do campeonato, passar nenhum aperto financeiro.

Portanto, será hora de curtir o momento e se preocupar — apenas um pouquinho — com a segurança financeira.

Onde posso investir meu dinheiro?

Quando falamos em poupar, não estamos tratando apenas da poupança tradicional! Ela é segura, fácil de utilizar, mas tem seus contratempos. O retorno é bem baixo e, como o dinheiro fica sempre disponível, é fácil cair em tentação e passar a mão nele, a qualquer momento.

Siga as dicas abaixo para fazer a melhor escolha para poupar seu dinheiro!

Busque investimentos seguros

Nada de se aventurar em negócios de risco. É bem trabalhoso poupar, e você abriu mão de muita coisa! Por isso, não vale a pena perder dinheiro investindo em opções incertas. Lembre-se de que estamos tratando da segurança do seu futuro, portanto, busque investimentos seguros, com retorno garantido.

consórcio, por sinal, é uma ótima forma de investir em algo que vai te garantir um bem no final de todo processo e ainda o ajudará a ter mais disciplina na hora de lidar com o próprio dinheiro,

Foque em formação de patrimônio

Ter bens é uma das formas mais seguras de poupar. Se você faz consórcios de imóveis, por exemplo, terá mais de um — e muito cedo. Assim, tanto pode vendê-los, em caso de necessidades, como pode alugá-los e fazer dessa uma fonte de renda complementar que trará um retorno ainda melhor!

Agora que você já sabe quanto deve economizar em cada fase da vida, surge também a tal da pergunta: "por que algumas pessoas conseguem economizar tanto?". Assista nosso vídeo e veja o por quê.