Planejamento Financeiro

Educação financeira infantil: 9 hábitos que os pais devem estimular

Você sabia que a educação financeira infantil ajudará seus filhos a terem um futuro mais equilibrado? Entenda!

Para evitar que os filhos se tornem adultos que terão dificuldades em lidar com o dinheiro, os pais precisam entender a importância da educação financeira infantil. Ao incluir hábitos saudáveis relacionados ao dinheiro na vida das crianças desde cedo, os pais contribuirão para que os pequenos tenham um futuro mais equilibrado financeiramente.

A educação financeira infantil é um poderoso recurso para impedir o endividamento ou consumismo exagerado na vida adulta. Em contrapartida, ela proporciona a conquista de sonhos, como a compra de um carro ou de uma casa por meio de um planejamento financeiro cuidadoso.

Mas como fazer para que os pequenos entendam a importância de economizar, aprendam o básico sobre finanças e levem esses ensinamentos para toda a vida? Para descobrir basta seguir este post que preparamos com os 9 hábitos que todos os pais devem estimular em seus filhos! Confira!

1. Definir uma mesada para os filhos

A mesada é um valor que pode ser semanal ou mensal que tem como principal objetivo ensinar os filhos a administrarem um orçamento. É recomendável que o valor seja estipulado de acordo com os gastos da criança e que venha atrelado a algumas obrigações, como tirar boas notas na escola e também ajudar com os afazeres domésticos na casa — arrumar a própria cama, tirar o lixo da cozinha, cuidar do cachorro, entre outros.

Conceder mesada aos filhos é uma forma de fazer com que eles vejam também para onde o dinheiro está indo. Passe a encorajá-los a anotar tudo o que gastaram. Assim, ao fim de todos os meses, vocês são capazes de fazer uma análise para saber quanto foi possível economizar (ou não).

Caso as crianças queiram gastar a mesada com algo que não concorde, tente não interferir demais no assunto. Apenas aconselhe e espere para ver o que acontecerá. Sabemos que é difícil ver os filhos usando o dinheiro da mesada de uma forma que você não acredita ser a mais adequada, mas nesse momento é importante deixá-los tomar decisões por si próprios. As escolhas ruins os ajudarão a se conscientizar. Nas próximas vezes, eles provavelmente não cometerão os mesmos erros.

2. Permitir que as crianças ajudem a escolher os itens no supermercado

Alguns especialistas não veem com bons olhos o fato de os pais levarem os filhos quando vão fazer as compras no supermercado. Mas essa pode ser uma experiência extremamente positiva quando o assunto é educação financeira infantil. Aproveite o momento da compra para mostrar às crianças as diferenças de preço existentes para um mesmo item, como o chocolate por exemplo.

Caso os filhos sejam um pouco maiores e já consigam entender melhor sobre o funcionamento da casa, expanda a explicação da diferença dos preços para outros itens essenciais, como sabão em pó, detergente, arroz, feijão, entre outros. A partir do momento que as crianças entenderem quanto custam as coisas, elas automaticamente passarão a fazer parte do planejamento familiar. O resultado disso surgirá em forma de mais autonomia e compromisso com a casa.

3. Mostrar como as contas da casa são organizadas

Os pais são um modelo para os filhos. Por meio da observação de seu comportamento é que as crianças moldarão a base dos seus hábitos no futuro. Então mostre a elas de que maneira as contas da casa e o orçamento familiar são organizados.

Revele todos os detalhes do orçamento, incluindo os cortes que são necessários realizar nas despesas todos os meses para atingir uma meta maior. Mostre também os projetos da família de longo prazo e o que você faz constantemente para conseguir alcançar esses objetivos. Converse sobre as despesas fixas, como água, energia elétrica e internet, explicando como a família se organiza para manter todas as contas em dia. Tudo isso deve ser revelado para que os filhos consigam entender a importância de manter as finanças em ordem.

4. Ensinar as crianças a economizarem pensando no longo prazo

Muito além da mesada, ensinar as crianças a economizarem a longo prazo para adquirirem algo de maior valor também é ensiná-las a ter um objetivo. Seus filhos querem o último lançamento daquela boneca mais cara ou aquele videogame de última geração? Em vez de presenteá-los no Dia das Crianças com esses itens, que tal incentivá-los a economizar para realizar esse sonho?

Estimule seus filhos a juntarem todo mês uma parte da mesada. Dependendo da idade, faça uma tabela de metas de poupança e os ajude a descobrir quantas semanas ou meses serão necessários para comprar o item desejado. Para deixar essa experiência mais divertida, pegue uma caixa e peça para que as crianças coloquem nela um adesivo toda vez que o valor estipulado for alcançado.

Lembre-se de que é importante ensinar as crianças a terem metas e objetivos. Mostre a elas que sonhos como brinquedos, passeios e viagens também custam dinheiro. Portanto, se elas quiserem viver essas experiências, precisarão entender quanto cada uma delas custa.

5. Deixar que os filhos gerenciem o dinheiro em passeios

Ao deixar que as crianças gerenciem o dinheiro em passeios, como nas idas ao shopping, ao parque de diversões e ao circo, entre outros, os pais conseguem mostrar que tudo aquilo tem um preço. E faça mais do que apenas falar! Comece incentivando os filhos a pegarem determinada quantia no cofrinho de economias da família e afirme que aquilo terá que ser suficiente para bancar todo o passeio. Eles precisarão, assim, saber como administrar o dinheiro para comprar os ingressos, o sorvete ou a pipoca.

Ver como o dinheiro funciona na prática é uma das melhores maneiras de ensinar as crianças a lidarem com ele e entenderem sua importância. Ao perceberem o dinheiro indo embora na aquisição de coisas simples, como um passeio na roda-gigante, os pequenos passarão a ter mais consciência sobre esses gastos, que antes saíam do bolso dos pais quase que de forma mágica.

6.Entregar pequenas contas para os filhos pagarem

Quando os filhos são maiores, por volta dos 12 anos, entregue pequenas contas para que eles fiquem responsáveis pelo pagamento. Pode ser a mensalidade de um pacote controle do celular ou a assinatura mensal da revista que eles gostam, entre outras inúmeras possibilidades.

O valor não precisa ser exatamente alto. O importante é que a criança aprenda a lidar com os compromissos mensais e saiba programar sua mesada durante o mês levando em consideração gastos com lazer, alimentação e responsabilidades fixas.

7. Mostrar a importância da poupança

Uma das maiores lições que os pais podem passar para seus filhos é ensiná-los a poupar desde pequenos. Pensando nisso, abra uma conta poupança em alguma instituição bancária e os estimule a depositar 10% da mesada todo mês. Tracem algum plano de longo prazo juntos, como uma viagem para a Disney ou um intercâmbio para estudar línguas no exterior. Com esse estímulo, eles perceberão que é preciso ter foco para conquistar grandes objetivos.

8.Presentear com jogos sobre finanças

Uma ótima maneira de investir na educação financeira dos seus filhos é ensiná-los fazendo uso de jogos sobre finanças. Essa é uma forma lúdica e divertida de trabalhar neles o aspecto cognitivo das renúncias e escolhas que precisarão fazer durante a vida. Listamos abaixo alguns jogos que podem ajudar os pais nessa tarefa. Veja!

Banco Imobiliário Kids Disney Júnior

Esse jogo é indicado para crianças a partir de 5 anos e tem como objetivo comprar o máximo de propriedades que o jogador conseguir.

Jogo da Mesada

Esse jogo é indicado para crianças acima de 6 anos de idade e desafia os jogadores a passarem o mês inteiro com o dinheiro dado pelos pais. Para isso, eles precisam lidar com diversas tentações, como ir ao shopping center, pagar a escola de natação, comprar uma casa na árvore, entre outros. A brincadeira também introduz alguns conceitos básicos de transações financeiras, como empréstimos e juros. O vencedor é quem chega ao fim do mês com mais dinheiro.

Jogo da Vida

O Jogo da Vida é indicado para crianças acima de 7 anos. Simula situações da vida real, como fazer faculdade, adotar um cachorro, viajar para a Europa e precisar lidar com seu próprio dinheiro. Vence quem consegue chegar milionário no dia do juízo final.

9.Ensine que dinheiro não é tudo na vida

Para promover uma educação financeira de qualidade a seus filhos, é essencial ensiná-los que o dinheiro não é tudo. Isso é importante para que eles consigam enxergar o valor das coisas além do preço na etiqueta e desenvolvam a habilidade de serem felizes sem depender do saldo na conta do banco.

Para passar essa mensagem, que tal organizar piqueniques em parques levando lanches de casa, por exemplo? Mostre que, com organização e planejamento, é mais que possível desfrutar de diversos prazeres na vida que são de graça! Com isso, eles conseguirão ter clareza e persistência para poupar recursos a fim de alcançar metas maiores, como comprar uma casa, um carro ou fazer uma viagem.

E então, se sente pronto para implementar esses hábitos de educação financeira infantil na sua casa? Aproveite para conferir nosso post sobre como engajar os filhos pequenos no planejamento financeiro familiar e confira as dicas que compartilhamos para envolver as crianças no orçamento doméstico!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.