Entenda a importância da educação financeira infantil

Seus filhos sabem lidar bem com o dinheiro? Uma boa educação financeira infantil é importante para o futuro deles!
  • Atualizado em June 3, 2022
  • Publicado em March 16, 2017
  • Planejamento Financeiro

Os seus filhos sabem lidar bem com o dinheiro? Uma boa educação financeira infantil é importante para o futuro deles! Vivemos em uma sociedade capitalista, por isso, é inegável o quanto o dinheiro representa uma parte importante ao longo das nossas vidas. Sendo assim, a educação financeira infantil é fundamental para a formação do indivíduo e deve ser incluída, de maneira leve e lúdica, com noções básicas de como lidar adequadamente com as suas finanças.

Desde cedo, os pequeninos conseguem perceber que o brinquedo tão desejado, a roupa nova, o passeio nas férias e até o lanche na escola dependem de um recurso escasso, como o dinheiro. Por isso, inserir aos poucos a educação financeira na vida das crianças será uma contribuição importante para um futuro mais equilibrado financeiramente do seu filho. Contudo, os pais não precisam ser impositivos, pois é possível lidar com o assunto de modo sutil e natural.

É sobre isso que vamos falar neste post. Continue conosco, para entender melhor a importância da educação financeira infantil!

Como funciona a educação financeira infantil

Bom, de início, é importante explicar que a educação financeira infantil se trata do ensino das finanças ainda na fase da infância. O propósito desse tipo de educação é introduzir, instruir e moldar a relação que as crianças têm com o dinheiro. Dessa forma, elas aprendem o valor do dinheiro, os princípios básicos de organização financeira, a diferenciar desejos de necessidades e muito mais.

A educação financeira infantil tem como base alguns pilares fundamentais para a relação e o comportamento das pessoas com o dinheiro. Dentre as várias lições importantes que ela visa passar para a criançada, a principal é que os pequenos aprendam realmente sobre o valor que o dinheiro possui. Desse modo, assim que as crianças começam a compreender os números, já é possível aplicar a educação financeira, introduzindo o conceito de valores assim como o contato com moedas e notas.

Há vários métodos que podem ser usados para ensinar educação financeira para as crianças. A mesada educativa, por exemplo, é um deles. O objetivo é mostrar a importância que o dinheiro tem para as crianças.

Saiba a importância da educação financeira infantil

Ensinar as crianças a lidar com dinheiro, mesmo que seja apenas incutindo noções básicas, é o primeiro passo para elas conseguirem gerir as próprias finanças de modo mais sensato no futuro. Um início precoce nesse aprendizado ajudará os seus filhos a ganhar, poupar e gastar com sabedoria, visando a sua independência financeira.

O papel dos pais não é o de serem eternos provedores, mas sim o de ensinar o caminho para que os filhos andem com as próprias pernas e possam usufruir do prazer que o dinheiro pode proporcionar. Apesar de não ser uma disciplina obrigatória no ensino oficial, algumas escolas da rede particular já entenderam a importância da educação financeira infantil. Por isso, estão incluindo o assunto na matriz curricular.

Assim, entre outras disciplinas, a escola ensina a administrar um orçamento, controlar gastos e fazer uma poupança para o futuro. O especialista em educação financeira Álvaro Modernell chama a atenção para o fato de lidar bem com dinheiro leva a menos problemas financeiros e menos estresse. O resultado disso, significa mais qualidade de vida para os seus filhos quando se tornarem adultos.

Conheça as vantagens da educação financeira infantil

A partir dos primeiros anos de vida, quando a criança já começa a conhecer os números, ela aprende a contar e a pedir itens, nessa fase ela conseguirá aprender os primeiros passos das finanças. Inclusive, quanto antes essa educação for iniciada, melhores serão os resultados das vantagens que vamos abordar a seguir.

Responsabilidade e autocontrole

No começo pode ser que seu filho gaste todo o dinheiro, inclusive pode ser de um modo que você considere que está errado. No entanto, por mais difícil que seja ver o dinheiro ir embora tão fácil nas mãos dele, tente não interferir nas primeiras vezes. Afinal, essa prática servirá para que a criança tenha responsabilidade em fazer o dinheiro ser rentável.

Além disso, os pais precisam ser firmes, não dar mais do que o combinado e não fugir das datas de pagamento. Dessa forma, a criança aprende a ter o autocontrole e desenvolve a consciência de que ficará sem dinheiro por um tempo caso gaste tudo que tem ou mais que deveria. Nesse sentido, os filhos aprendem desde cedo a administrar os seus recursos.

Organização e planejamento

Quando a criança tem o incentivo dos pais, como um valor mensal, semanal ou recompensa por feitos importantes (leitura de livros e notas boas, por exemplo, ele passa a ter noções para criar o seu próprio planejamento financeiro. Isso também pode acontecer com as crianças que só ganham algum valor em datas comemorativas.

A criança desenvolve a habilidade de organizar o seu dinheiro e de se planejar para evitar gastos desnecessários, bem como dividir os valores para utilizar na cantina da escola, por exemplo, e fazer uma reserva para comprar um brinquedo ou roupa nova.

Independência e autonomia

Ao lidar com o dinheiro desde pequenos, as crianças crescem mais conscientes dos recursos que precisam para conseguir algo. Portanto, elas aprendem a tomar as decisões no presente, bem como a planejar o futuro. Isso estimula o autoconhecimento, facilitando a autonomia para tomar as próprias decisões.

Quando adulto, essas habilidades estarão bem-treinadas e resultará em uma pessoa mais independente e segura de suas escolhas.

Os passos para ensinar educação financeira para as crianças

Veja, abaixo, as melhores ações para garantir uma boa educação financeira aos pequenos!

Mostre as prioridades

Esse passo não é tão recomendado com crianças muito pequenas, pois pode parecer cansativo para elas. Porém, os mais crescidos já podem entender que comprar um brinquedo ou uma viagem não é tão importante como comprar alimentos e produtos de higiene. Nesse sentido, comece explicando que existem prioridades a serem seguidas, como garantir os produtos que realmente precisam para manter o bem-estar.

Depois que esses itens estão garantidos, pode acontecer de comprar os produtos que ela ou outra pessoa quer para satisfação pessoal.

Veja como e quando falar de dinheiro com as crianças

Algumas pessoas hesitam em falar sobre dinheiro com os filhos por não se sentirem confiantes ao lidar com as próprias finanças. No entanto, você não precisa ser um expert financeiro, nem um modelo de sucesso para ensinar os procedimentos básicos às crianças.

Caso a sua situação financeira não esteja indo muito bem, tome medidas para se organizar e seja um bom modelo a ser seguido. Afinal, é pelo exemplo dos pais que os filhos aprendem. Inclusive, algumas mudanças de hábito ajudam muito no equilíbrio do orçamento.

Por volta dos 3 anos de idade, a criança já entende que o dinheiro é necessário para adquirir coisas, pois vai observar que você paga ao vendedor e recebe um produto em troca. No entanto, não existe uma idade específica para iniciar a educação financeira infantil, dessa forma, é bom prestar atenção aos interesses da criança.

Quando o próprio filho começa a pedir para comprar coisas, é importante que ele comece a aprender algumas noções básicas sobre o valor do dinheiro, sempre de maneira leve e amigável. A educação financeira infantil deve ser conduzida com naturalidade e não como uma imposição dos pais sobre as crianças.

Ensine na prática com a mesada ou semanada

Oferecer uma pequena quantia mensal ou semanal para as crianças, a partir de 6 ou 7 anos, é uma ótima forma de ensinar a lidar com o dinheiro. Portanto, para isso, é bom observar algumas recomendações:

  • explique à criança como as moedas e notas são divididas em diferentes valores — dê exemplos concretos do que pode ser comprado com cada quantia;
  • deixe claro quais despesas continuam a ser pagas por você e quais serão pelo dinheiro da criança;
  • não ofereça valores muito altos: contar um real para cada ano de vida da criança é uma boa referência — uma criança de 8 anos pode receber 8 reais por semana e assim por diante;
  • caso a criança gaste tudo de uma vez só, aproveite para iniciar a cultura sobre poupança e planejamento;
  • ensine finanças e matemática ao mesmo tempo — incentive a criança a anotar os gastos e a fazer contas para saber de quanto ainda dispõe “em caixa”.

Faça brincadeiras e jogos sobre finanças

Para as crianças, aprender brincando é sempre mais divertido, por isso os brinquedos, jogos e livros coloridos são bons aliados aos pais na missão de ensinar a lidar com o dinheiro. Até algumas histórias infantis, como “A cigarra e a formiga” e “A galinha dos ovos de ouro” podem ser úteis para introduzir conceitos financeiros importantes para as crianças.

É possível encontrar brinquedos simples, como a caixa registradora, que reproduz uma situação de compra e venda em uma loja, por exemplo. Aliás, aqui cabe uma observação, pois alguns pais resistem em levar os filhos ao supermercado para evitar que peçam para comprar supérfluos. Contudo, perdem uma excelente oportunidade de mostrar, na prática, como funciona o dinheiro.

Para os maiores de 8 anos, existem os jogos clássicos, como o tradicional Banco Imobiliário, que simula situações de compra e venda de terrenos, casas e empresas. A versão mais moderna do jogo inclui a maquininha de passar cartão de crédito.

Na mesma linha do clássico Banco Imobiliário, existem outras boas opções de jogos, como o Jogo da Mesada, que traz situações do cotidiano da criança, como a compra de um álbum de figurinhas ou de uma bicicleta nova. Além disso, o jogo incentiva o ganho de dinheiro com atividades extras e ensina a fazer empréstimos e a pagar juros.

Os jogos Monopoly são oferecidos em várias versões, como o Monopoly Junior, o Monopoly Milionário e outros. Existe, também, uma versão digital para jogar online.

Se o objetivo é ensinar coisas um pouco mais densas para adolescentes, o jogo Power Grid vai mais além e ensina conceitos básicos de oferta e demanda, suprimentos e gestão financeira geral. Vale a pena conferir.

Converse sobre trabalho e remuneração

Por fim, os filhos adoram conhecer os pais, principalmente a profissão deles. Assim que possível, deixe-os fazer visitas ao seu trabalho e aproveite para ensinar como funciona a dinâmica de trabalhar e receber um salário. Além disso, explique como essa remuneração é utilizada durante o mês e ao longo do ano.

Razões para implementar a educação financeira infantil

Vamos conferir, agora, alguns dos principais motivos que tornam tão relevante a implementação da educação financeira infantil. Afinal de contas, essa é uma ação que acaba impactando diretamente na maturidade que a criançada vai adquirir no decorrer da sua vida para que possa lidar com esse assunto de maneira equilibrada, sempre tendo controle do dinheiro e evitando dívidas quando chegar na fase adulta. Então, vamos a essas razões!

Reconhecimento do valor do dinheiro

Quando não se fala sobre esse assunto com as crianças, elas crescem sem ter um posicionamento ou opinião. Mas é importante ter em mente que elas terão contato com esse assunto de alguma maneira, seja nos livros, nas séries, nas músicas, enfim, no dia a dia. O fato é que normalmente o que acorre é um estímulo ao consumo.

Assim, as crianças vão crescendo e já começam a pedir objetos, como brinquedos, sem ter uma noção de todos os elementos que acabam impactando o orçamento familiar. Lembrando que elas não foram orientadas em nenhum momento sobre tudo isso. Logo, elas não têm culpa.

É exatamente por esse motivo que a educação financeira se faz tão necessária, uma vez que ela evita um problema como esse. Educar em relação ao dinheiro faz com que as crianças tenham discernimento sobre conceitos, como trabalho, renda, dinheiro, economia, contas a pagar etc. Elas passam a reconhecer o valor de cada centavo e a formar suas opiniões.

Entendimento sobre o que é necessário e o que é desperdício

Bom, além de reconhecer o valor do dinheiro, a educação financeira infantil mostra que nem tudo que um salário pode comprar é realmente algo que compensa. Os pequenos começam a identificar duas categorias de serviços e de produtos:

  • necessário — aquilo que é importante ou até mesmo urgente, uma vez que é útil ou que vai trazer alguma vantagem;
  • desperdício — normalmente é aquilo que representa perda de dinheiro, que não é útil e que não apresenta benefícios.

Aprendizado sobre objetivos e metas financeiras

Outra razão que precisamos destacar aqui é que a criançada passa a compreender que não ter uma quantia de dinheiro no momento não impede que elas realizem desejos e sonhos. É para isso que as metas e objetivos financeiros existem.

As crianças começam a entender que é preciso poupar recursos, gastar de maneira controlada e bem planejada, pensar em maneiras de economizar no dia a dia, não fazer dívidas etc.. Ou seja, com a educação financeira, elas entendem que é possível conquistar muitas coisas com planejamento financeiro.

Reflexão sobre a importância de economizar e de investir

A educação financeira infantil permite que as crianças comecem a pensar sobre como é importante poupar e investir o dinheiro para garantir uma qualidade de vida desejada no futuro. Portanto, elas entendem que a liberdade financeira pode sim, ser conquistada quando se entende o padrão de vida atual e começa a controlar os gastos para sobrar dinheiro e poder investir.

Para concluir o nosso post, gostaríamos de lembrar que a educação financeira infantil pode incluir as primeiras noções de consumo consciente. Elas aprendem a administrar o dinheiro e a valorizar as coisas compradas por conta própria. Além de consumir somente o necessário, poupando os recursos próprios e evitando os desperdícios.

O que precisa ficar na mente, após a leitura deste texto, é que promover a educação financeira para os pequenos vai muito além do que simplesmente falar sobre como poupar ou gastar o dinheiro que se tem. É ajudar a criançada a entender melhor a função do dinheiro, como essa moeda circula e como construir uma relação saudável com ela.

Assim, as crianças passam a desenvolver mais discernimento sobre a realidade, aprendem a entender e controlar seus impulsos, a ter mais responsabilidades e, claro, começam a se preparar para, no futuro, terem equilíbrio entre saúde financeira e qualidade de vida.

Esperamos que você tenha gostado de saber mais sobre a importância da educação financeira infantil na formação das crianças e de como é possível abordar o assunto com leveza, para garantir mais segurança e sucesso na vida financeira do seu filho.

Nesse sentido, gostaríamos de sugerir a leitura de outro artigo que mostra como definir o valor da mesada para o seu filho!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Planejamento financeiro do casal: 9 ideias para executar em casa

attach_money
Planejamento Financeiro

Vale a pena investir em criptomoedas? Veja os benefícios e entenda se você tem perfil

attach_money
Planejamento Financeiro

Investir em startup: benefícios, riscos e como fazer de maneira ideal