10 dicas para evitar compras por impulso e salvar seu planejamento

Você compra por impulso? Então, saiba como evitar esse comportamento e salvar as suas finanças! Confira nosso post!
  • Atualizado em October 26, 2021
  • Publicado em December 27, 2018
  • Planejamento Financeiro

Infelizmente, cair nas armadilhas de compra por impulso é algo muito comum. Não é à toa que o Brasil tem uma taxa elevada de pessoas endividadas, também, por conta da falta de controle financeiro. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a porcentagem de famílias com dívidas chegou a 66,5% no início de 2021.

As compras por impulso são a principal causa do aumento desses débitos. Sem pensar sobre as próprias despesas mensais ou nas consequências ruins do seu comportamento, o consumidor compulsivo coloca em risco as finanças pessoais e a realização de metas realmente importantes para a sua vida. Em muitos casos, acaba prejudicando até mesmo a sua família.

Você compra por impulso? Então, saiba como evitar esse comportamento e salvar as suas finanças! Confira nosso post!

Entenda a importância de evitar compras por impulso

É importante evitar compras por impulso para não se endividar, principalmente em épocas de crise. As pessoas que compram de forma impulsiva normalmente adquirem itens desnecessários que ficarão sem uso e guardados por algum tempo. Eles acabarão sendo descartados no futuro e o dinheiro não voltará para o bolso do consumidor.

Se você estiver decidido a não comprar mais sem ter certeza de que realmente necessita de um bem, conseguirá economizar o seu dinheiro para investir em seus projetos. Os valores economizados poderão ser investidos em aplicações financeiras e gerar rendimentos todos os meses. Em virtude disso, é possível planejar uma aposentadoria mais satisfatória.

Confira as dicas para evitar compras por impulso

Você se considera uma pessoa que faz compras por impulso? Tem o hábito de extrapolar as contas do cartão sem pensar no impacto financeiro que isso vai gerar no orçamento?

Se a sua resposta foi positiva, saiba que é preciso adotar estratégias para usar seu dinheiro de forma mais consciente. Afinal, as compras por impulso podem prejudicar bastante a sua saúde financeira.

Para que isso não aconteça, nas próximas linhas, você vai descobrir o que são, de fato, as compras por impulso, como identificar os principais sinais do problema e como evitar esse comportamento.

A seguir selecionamos 10 dicas possíveis de colocar em prática e que poderão ajudar muito a controlar esse impulso, além de melhorar sua vida. Confira!

1. Conheça quais são suas necessidades

Autoconhecimento é a solução para muitos problemas da vida, inclusive os financeiros. Se você compra por impulso, vale a pena investir um tempo para determinar o que realmente precisa e quais são seus gastos básicos do orçamento doméstico. De modo geral, eles podem ser:

  • aluguel;
  • condomínio;
  • contas de luz, internet e telefone;
  • comida;
  • saúde;
  • transporte, entre outros.

Também é possível incluir nessa lista o pagamento do consórcio de carro ou da compra do primeiro imóvel. Enfim, coloque tudo aquilo que é fundamental para viver ou que você já se comprometeu a pagar. Dessa maneira, fica mais fácil identificar o que é gasto extra e não necessário para a sua vida.

No entanto, como ficam as roupas, os sapatos, os perfumes, o celular, entre outros itens que desejamos comprar? Claro, todos nós precisamos deles, mas tenha cuidado com o exagero e evite gastar de uma forma que prejudique o pagamento das despesas essenciais.

2. Pesquise e espere um pouco para comprar

A variação de preços no Brasil é muito grande. Diante do sobe e desce dos valores cobrados, comprar sem planejar pode causar prejuízos. Então, quando você encontrar algo que deseja, mas que não é essencial, aguarde algum tempo antes de fazer a aquisição.

O ideal é esperar um mês ou mais e, enquanto isso, pesquisar o valor do produto ou serviço em outros lugares. Em muitos casos, dá para economizar bastante, encontrar promoções ou fazer um bom negócio ao pechinchar.

3. Evite comprar no calor da emoção

Seu dia não foi fácil? Enfrentou estresse no trabalho? Tenha calma! Respire e pense muito antes de sair para comprar nesse dia, pois você pode gastar mais do que tem ou até se endividar.

Em situações como essas ou em momentos de tristeza, existe uma tendência de que as pessoas comprem por impulso, uma vez que isso proporciona um prazer imediato. Embora provoque uma sensação de bem-estar, em pouco tempo esse sentimento acaba e ainda pode ser o gatilho para aumentar a angústia ou a raiva, especialmente se os primeiros sinais de que está no vermelho surgirem.

4. Dê preferência a compras à vista

Opte por pagar à vista e fique atento quanto aos juros no caso de compras no cartão de crédito. Se parcelou uma compra no cartão, não deixe para quitar a dívida no próximo mês, pois isso será uma grande cilada! Quem não quita a fatura total e paga apenas o valor mínimo verá a sua dívida crescer de forma inacreditável dentro de pouco tempo.

5. Fique de olho nos gastos do dia a dia

Muitos associam a compra por impulso com um item bem caro. No entanto, às vezes, isso acontece com os pequenos gastos do dia a dia. Por exemplo, você sabe o custo mensal gerado por aquele cafezinho na padaria todos os dias? Se essa despesa for diária, no final de um período de 30 dias somará um montante bem elevado.

É claro que ninguém quer obrigar você a parar de tomar café fora de casa. Porém, procure avaliar se esse é mais um hábito compulsivo e que pode até prejudicar o seu orçamento.

Uma boa dica para reverter o problema é reservar uma quantidade específica e pagar por esses pequenos gastos em dinheiro, além, é claro, de acordo com o seu planejamento financeiro.

6. Não caia no efeito manada

Já ouviu falar do efeito manada? É quando a compra por impulso ocorre por incentivo de alguém ou porque a pessoa quer fazer parte de um grupo. Um pensamento bem comum relacionado a isso é: está todo mundo comprando, então, vou comprar também!

Sem dúvida, pensar assim não é nada saudável para a sua vida financeira. Para evitar esse comportamento, vale a pena identificar os momentos em que isso acontece e não sair para fazer compras com outras pessoas que tenham a mesma compulsão.

7. Guarde e invista o seu dinheiro

Uma boa estratégia para controlar a compra por impulso é guardar dinheiro e investi-lo em algo que deseja. Comece com pouco, por exemplo, poupando R$100,00 por mês. Se fizer isso, em 5 anos terá uma quantia de, no mínimo, R$6.000,00.

Além disso, também é uma boa ideia investir o que poupar em um consórcio para a compra da casa própria ou de um automóvel, por exemplo. Assim, você firma um compromisso para pagar mensalmente as parcelas e consegue — por meio de sorteio ou lance — ser contemplado e ter acesso à carta de crédito para adquirir o bem desejado.

8. Analisar a fatura do cartão

Avalie a sua fatura do cartão de crédito para identificar as compras que foram realizadas por impulso no mês antecedente. Elas podem ser as responsáveis por estourar o limite e gerar juros que são bastante elevados. Corte todos os gastos que estão registrados nesse documento e que não são essenciais para a sua manutenção e de sua família.

Analise cada item adquirido e verifique se eles eram necessários ou se foram comprados porque alguém ofereceu uma promoção, ou outro tipo de vantagem financeira. Existem técnicas de vendas que podem induzir o consumidor a comprar por impulso, mas causam consequências negativas para as finanças. Você precisa aprender a controlar seus gastos!

9. Definir um orçamento para compras diversas

É indispensável fazer a definição de uma quantia que será utilizada para compras diversas. Não ultrapasse esse orçamento mensal, ainda que surjam oportunidades aparentemente vantajosas ou muito atraentes. Não compre itens sem pensar, já que quando fizer a soma dos gastos, poderá ficar surpreso ao perceber que pequenas despesas somam um montante enorme.

Tenha autocontrole e utilize uma planilha do Excel ou um aplicativo para controlar o seu dinheiro. Não faça compras adicionais sem considerar o seu planejamento financeiro e os objetivos traçados para a realização dos seus sonhos. Crie rotinas mensais para a aquisição dos produtos, alimentos e outros materiais fundamentais para manter a sua casa.

10. Entender o sentimento após a compra

Depois de comprar, identifique qual é o seu sentimento. Se você se sentir culpado depois de pagar por um produto ou surgirem dúvidas sobre a necessidade de determinado item, é sinal de que fez uma compra precipitada. É natural que após ter um momento de felicidade passageira, o consumidor sinta remorso por ter comprado por impulso.

A maioria das pessoas se sente tentada a fazer aquisições desnecessárias ao receber a oferta de descontos ou se deparar com promoções. Porém, não adianta comprar os itens apenas porque eles estão baratos se não forem adequados para as suas necessidades. Caso faça isso, terá a sensação de que está economizando, mas, na realidade, desperdiçará o seu dinheiro.

Essas são as 10 dicas para evitar compras por impulso e salvar seu planejamento! Saiba que é muito importante saber usar bem o seu dinheiro e que escolher um consórcio confiável é uma excelente opção.

Seguindo essas recomendações será possível evitar a compra por impulso e ainda dar passos mais sólidos rumo à conquista dos seus sonhos! Ainda preocupado com a sua situação financeira? Aprenda agora como fazer a sua reserva de emergência!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Passo a passo para declarar seu Imposto de Renda 2022

attach_money
Planejamento Financeiro

Quer saber onde investir em 2022? Confira 5 dicas neste post!

attach_money
Planejamento Financeiro

FGTS 2022: solucione as suas dúvidas sobre as novas regras!