Planejamento financeiro para autônomos: 5 boas práticas para realizar seus objetivos

Você é autônomo e está com dúvidas de como organizar a sua vida financeira? Conheça 5 boas práticas para garantir a saúde das finanças!
  • Atualizado em March 9, 2021
  • Publicado em March 9, 2021
  • Planejamento Financeiro

Saber administrar o seu dinheiro para evitar dívidas e alcançar objetivos é fundamental. Quando se trata de um negócio, essa atitude é mais importante ainda. É por isso que o planejamento financeiro para autônomos se torna uma prática indispensável.

Trabalhar por conta própria oferece diversas vantagens para uma pessoa. No entanto, existem alguns pontos negativos, sendo um deles o fato de nem sempre ter uma renda fixa. Por isso, a organização financeira se torna uma ferramenta imprescindível para manter o bem-estar e as contas em dia.

Pensando nisso, separamos 5 ótimas dicas para ajudar você a montar um planejamento financeiro eficiente e aplicável. Acompanhe este post para saber mais!

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro se trata da administração das finanças, sejam elas de um negócio, sejam elas pessoais. Isso é necessário para ter mais conforto e garantia de que os gastos estão compatíveis com os ganhos.

Além disso, a organização financeira é um dos passos principais para fazer um planejamento, em busca de alcançar objetivos pessoais e profissionais. Isso vale tanto a curto quanto a médio e longo prazo.

Quando se tem uma meta, é preciso definir todos os passos para alcançá-la, certo? Atualmente, na vida pessoal e profissional, quase todos os objetivos precisam de um suporte financeiro mínimo para serem atingidos.

Desse modo, o planejamento das finanças pode ser visto também como uma ferramenta para realizar os seus sonhos. Afinal, ao estar com a vida financeira saudável, é possível focar em outras áreas, a fim de trabalhar naquilo que você quer alcançar.

Qual a importância do planejamento financeiro para autônomos?

Um profissional autônomo aproveita diversas vantagens em sua carreira, porém, não tem os benefícios assegurados de alguém que trabalha pela CLT, como renda mensal fixa, contribuição para a previdência, vale-alimentação, vale-transporte, entre outros.

Por esse motivo, o autônomo precisa se organizar financeiramente no que diz respeito às receitas e despesas das vidas pessoal e profissional. Afinal, é preciso garantir tanto o bem-estar quanto os meios utilizados para realizar os serviços e manter a renda.

Nesse caso, é preciso ter mais disciplina e saber diferenciar o que é o planejamento para os negócios e quais são os planos para a vida pessoal. Isso ajuda a evitar dívidas em ambos e a manter o desenvolvimento.

Como fazer esse planejamento?

Tendo em vista a importância do planejamento financeiro para um profissional autônomo, chegou a hora de descobrir o que se deve fazer para garantir essa organização. A seguir, confira algumas excelentes dicas!

1. Separe as finanças pessoais das profissionais

Esse é um ponto importante para ser reforçado. Ao misturar o dinheiro destinado para cuidar da sua vida pessoal com o caixa profissional, você corre o risco de que alguma dessas áreas se torne desfavorecida.

Ao falar de finanças, isso pode trazer dívidas não previstas e gerar uma grande confusão. Sendo assim, para facilitar o seu dia a dia, nada melhor do que fazer essa separação. Para começar, é interessante ter contas separadas para administrar o financeiro da sua vida pessoal e para organizar o seu dinheiro profissional.

Caso você seja Microempreendedor Individual ou outro tipo de enquadramento, você pode abrir uma conta como Pessoa Jurídica. Isso traz facilidades para o controle do negócio e no pagamento dos clientes.

2. Faça uma análise dos seus gastos

O segundo passo é saber exatamente qual é a sua receita e quais são as suas despesas mensais. Dessa forma, é possível traçar estratégias para que ambas fiquem equilibradas. Caso os seus gastos fixos, que não têm como serem cortados, sejam maiores que o quanto você ganha, isso mostra a necessidade de procurar por uma renda extra.

No entanto, se o que faz com que as suas despesas sejam muito altas são os custos variáveis e não planejados, é possível fazer uma análise do seu estilo de vida e identificar onde economizar, a fim de sobrar mais dinheiro para o fim do mês.

É interessante, então, listar todos os seus custos de cada mês, seja fixo ou variável, como aluguel, internet, luz, água, financiamento, cartão de crédito, IPTU, mensalidades, convênios, entre outros. Utilizar planilhas, aplicativos ou fazer anotações em um caderno exclusivo para isso vai ajudar a visualizar melhor o seu panorama financeiro.

Para cuidar dos gastos envolvidos com o seu trabalho autônomo, é importante fazer anotações em outro espaço ou, se for necessário, contar com a ajuda de um contador. Além disso, vale a pena dar preferência por quitar as suas dívidas profissionais, a fim de continuar trabalhando adequadamente, e, a partir disso, analisar qual é o lucro. Assim, a sua renda mensal e o planejamento financeiro pessoal vão ser constituídos desse valor.

3. Monte uma reserva financeira

Imprevistos acontecem em qualquer área da vida. Por esse motivo, ter uma reserva financeira é fundamental para o seu planejamento financeiro, a fim de se preparar para situações inesperadas, sem se prejudicar financeiramente.

O ideal é poupar cerca de seis vezes o valor dos seus gastos mensais. Isso reforça ainda mais a necessidade de conhecê-los muito bem. Assim, caso aconteça um imprevisto, será possível manter o estilo de vida por mais seis meses, enquanto encontra maneiras de se ajustar.

Vale a pena também aplicar o valor poupado para a reserva financeira. Desse modo, ele pode render e gerar ainda mais lucros. No entanto, é preciso procurar investimentos de liquidez diária com resgate imediato, para que você possa retirar o dinheiro assim que precisar.

4. Planeje as suas folgas e férias

Outro benefício que o trabalhador autônomo não usufrui é o de ter folgas e férias remuneradas. Contudo, isso não significa que você não possa tirar um tempo para descansar. Só que, para isso, será necessário se planejar.

Programe o que você pretende fazer nesses momentos de descanso e calcule o quanto precisaria para ficar sem trabalhar nos dias planejados e para curti-los sem preocupações. Assim, guarde uma quantia mensal para arcar com esses custos, sem comprometer o orçamento planejado.

5. Invista no futuro

Independentemente de ser um profissional autônomo ou não, é necessário pensar no futuro. A Reforma da Previdência gera inseguranças em muitas pessoas, portanto, é interessante tomar as próprias atitudes para garantir a qualidade de vida na melhor idade.

Para isso, é necessário voltar o seu foco a um planejamento financeiro de longo prazo, a fim de focar em investimentos para um futuro confortável. Procure aplicações seguras que estejam de acordo com os seus objetivos e invista uma quantia para oferecer garantia a você e a toda a sua família.

Como visto, o planejamento financeiro para autônomos, apesar de seguir algumas estruturas da organização das finanças pessoais e de empresas, apresenta algumas peculiaridades. De qualquer forma, ele mostra como investir em educação financeira é importante para que um profissional seja cada vez mais bem-sucedido.

Gostou deste post? Então continue aprendendo sobre o assunto. Confira agora mesmo o nosso guia do planejamento financeiro para ter sucesso!
guia-do-planejamento-financeiro-para-ter-sucesso
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Franquia de seguro: entenda o que é e como funciona

attach_money
Planejamento Financeiro

Passo a passo para declarar seu Imposto de Renda 2021

attach_money
Planejamento Financeiro

Parcelar fatura de cartão de crédito: quando é uma boa ideia?