Planejamento Financeiro

Já faz sua reserva financeira? 8 dicas para conseguir cumprir o planejado

Está a fim de fazer uma reserva financeira eficiente? Então, este post é para você! Confira as dicas a seguir.

A nossa intenção é que tudo funcione sempre, não é mesmo? No entanto, não somos capazes de controlar imprevistos. O problema é que situações repentinas podem prejudicar as finanças pessoais. Por isso, é preciso montar uma reserva financeira, que também pode ser direcionada para realizar sonhos futuros (comprar um carro, ter uma nova casa ou fazer uma viagem).

Quando optamos por atitudes de longo prazo, torna-se possível contar com o suporte da quantia que está guardada para atender às necessidades e resolver emergências. Porém, nem todas as pessoas têm o costume de armazenar um valor para essa finalidade.

Para algumas, é difícil controlar os gastos; para outras, existe a desculpa de que o salário é insuficiente, mas basta ter disciplina e organização. Neste artigo, reunimos as melhores dicas para você montar a sua reserva financeira sem ter de fazer sacrifícios exagerados. Acompanhe!

1. Faça ou revise o planejamento financeiro

Para iniciar a organização financeira, é necessário saber como as contas estão. Portanto, registre no papel (ou em um aplicativo de controle financeiro) todas as suas despesas fixas, como contas de:

- água;
- eletricidade;
- assinatura de TV ou serviços de streaming;
- mensalidade (escola ou faculdade);
- internet;
- telefone.

Depois, registre as despesas variáveis, como:

- alimentação;
- gás;
- combustível;
- lazer;
- fatura de cartão de crédito;
- prestação de um bem (eletrônicos, eletrodomésticos, móveis etc.).

É necessário marcar todos os itens e subtraí-los da sua renda mensal para descobrir quanto dinheiro sobra no final do mês. Dessa forma, você conhecerá o seu hábito de consumo e conseguirá saber se tem uma boa quantia disponível ou se está sempre no vermelho. Poderá também criar metas de gastos para descobrir o quanto pode aplicar para cada coisa e qual parcela ficará livre para fazer sua reserva.

2. Economize o máximo possível

Sempre há algo que pode ser economizado ou eliminado das suas contas. Com um planejamento financeiro definido, basta mudar alguns hábitos para diminuir as despesas, como:

- colocar lâmpadas econômicas;
- utilizar a luz natural;
- mudar as torneiras;
- abreviar o tempo no banho;
- tirar da tomada eletrônicos que não estão em uso.

Verifique também se as compras impulsivas não estão dominando o seu orçamento mensal, como comprar calçados e roupas sem necessidade, optar por mercadorias de marca somente por nome, almoçar ou jantar fora de casa toda semana, e assim por diante.

É muito importante se esforçar para que seja possível conseguir economizar, desde que isso não interfira no seu estilo de vida. Comece de maneira gradual para aumentar o valor que será investido na sua reserva financeira.

3. Livre-se das dívidas

A próxima etapa é quitar dívidas para evitar problemas financeiros. Nesse sentido, deve-se incluir as contas e as mensalidades pendentes para diminuir as despesas. Caso tenha alguns débitos atrasados, pague-os o quanto antes para que os juros parem de subir, além de evitar ações judiciais, pois elas geram gastos processuais e honorários advocatícios.

Se estiver passando por isso, procure seu credor para negociar o pagamento e conseguir descontos. Nos parcelamentos, veja se existem descontos para quitações antecipadas. Essas estratégias também devem ser consideradas durante novas compras: opte sempre pelos pagamentos à vista para conseguir vantagens. Escolha a modalidade a prazo apenas para produtos/serviços de valores elevados.

4. Guarde parte do seu salário

Sabe por que muita gente não consegue guardar dinheiro? É porque elas gastam até o último centavo do seu salário. Quando isso acontece com frequência, além de não ter nada no bolso, ainda há o risco de ficarem no vermelho sem nada para suprir emergências.

Uma sugestão é que você separe uma quantia pequena, um percentual dos seus ganhos todo mês para não gastar tudo e guardar na sua reserva financeira. Por exemplo, se você ganha R$ 2.500, separe uma porcentagem desse valor para ser “esquecida”. Se seu objetivo for separar apenas 10%, R$ 250 deverá ser poupado todo mês. Ou seja, esforce-se para manter a casa e pagar as contas com os R$ 2.250.

5. Busque uma renda extra

Renda extra é uma dica bastante presente neste blog, pois elas fazem maravilhas na vida financeira das pessoas. Nesse caso, um trabalho secundário ajudará a aumentar o seu faturamento, permitindo guardar até mais do que o planejado. Portanto, se isso parece uma ótima alternativa, considere algo que você goste, saiba fazer e seja de interesse do público consumidor.

Existe uma infinidade de opções para aumentar a renda. Veja algumas sugestões para se inspirar:

- consertar eletrônicos e máquinas;
- dar aulas particulares (ou online);
- fazer artesanatos;
- fazer delivery;
- vender bolos, salgados e marmitas;
- produzir cosméticos (sabonetes e cremes);
- trabalhar como motorista de aplicativo.

Não importa o que você queira fazer, a recomendação é que isso traga um bom retorno financeiro e possa ser feito em momentos de folga. Você verá que esse sacrifício valerá muito a pena. Afinal, se der certo, você poderá transformar esse tipo de trabalho na sua principal fonte de ganho além de obter experiência profissional em outros ramos de negócio.

6. Transforme a economia em rotina

Como os gastos são significativos, você pode demorar um pouco para desenvolver o costume de guardar uma quantia para montar sua reserva. Por isso, uma ação que precisa praticar é transformar essa economia em um hábito. Garanta que essa quantia reservada não seja penosa, mas sim uma ação tomada naturalmente.

No início pode ser mais desafiador, pois a cultura do consumo imediato predomina na sociedade. Mas tente se reeducar em relação ao seu salário. Afinal de contas, quanto mais dinheiro você armazenar na sua conta, maior será a sua chance de manter seu padrão de vida em momentos inesperados.

7. Monte uma reserva emergencial

A importância da reserva de emergência é enorme, visto que situações que requerem dinheiro imediato podem surgir a qualquer instante. Por isso, na hora de reservar um percentual do seu orçamento, tente aumentar mais pouquinho o valor para atender a essa finalidade. Assim, se você passar por apuros, não comprometerá sua renda.

8. Invista o valor economizado

Um dos maiores erros cometidos na hora de guardar dinheiro é deixar de investi-lo. Avalie o seguinte: com a inflação e os reajustes frequentes nos valores de produtos e serviços, quando as finanças ficam paradas, você perde o poder de compra.

Nesse caso, é necessário buscar alternativas para investir e valorizar o capital reservado. Para isso, existe um bom catálogo de investimentos à sua disposição, que incluem:

- Certificado de Depósito Bancário (CDB);
- Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
Tesouro Direto.

É bom diversificar os investimentos para aumentar o patrimônio. O mercado imobiliário oferece opções atraentes para vários perfis de investidores, pois é uma alternativa segura que garante ganhos com revenda ou aluguel.

Para algumas pessoas, fazer uma reserva financeira pode ser difícil, pois se trata de um valor que não será usado imediatamente. Portanto, é indispensável defini-lo com prioridade para não perder a linha. Basta seguir as dicas mencionadas para acumular uma quantia considerável.

Se você achou este artigo útil, aproveite o gancho da leitura para baixar o nosso guia prático para se organizar e começar a investir.
Controle Financeiro Um Guia Pratico Para Se Organizar E Comecar A Investir Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.