Tudo Sobre Consórcio

Guia prático: entenda como funciona o lance de consórcio

Tudo o que você precisa saber para dar um lance de consórcio e adiantar o sonho da casa ou do carro!

Muita gente tem o consórcio como a melhor opção para adquirir um carro ou uma casa para sua família, além de outros bens e serviços. Quanto maior é a urgência daquilo que se almeja, maior é a vontade de antecipar sua contemplação. Por isso, é imprescindível saber como funciona o lance no consórcio.

Receber seu bem de imediato, na hora da contratação, é uma alternativa que custa caro, pois exige o pagamento de juros altos, quando você não tem recursos para uma compra à vista. Isso tem levado cada vez mais pessoas a optar pelo consórcio como uma forma planejada de adquirir patrimônio. Vários consorciados oferecem lances para antecipar a contemplação e alcançar sua tão sonhada conquista mais rapidamente.

Essa é uma medida que pode agilizar esse processo. Mas é preciso ficar atento para entender quando vale a pena fazer uma oferta para aumentar as chances de contemplação. Para ajudar você a entender esse passo simples — mas muito importante para seus planos — acompanhe as explicações que trouxemos no post de hoje. Boa leitura!

O que é um consórcio?

O consórcio é um negócio eficiente e viável formado pela união de pessoas físicas ou jurídicas em grupos, com o objetivo de adquirir bens ou serviços específicos. Auxiliados por uma administradora, os membros realizam o pagamento de parcelas que cabem no bolso, de modo a criar um fundo para a compra desses bens.

Com as contribuições mensais de todos os membros, é formado o fundo comum, uma reserva financeira gerenciada pela administradora. É esse dinheiro que permite a emissão das cartas de crédito.

Os sorteios são realizados durante as assembleias mensais para saber quem será contemplado e, consequentemente, receberá sua carta de crédito. Mas não é preciso esperar ser sorteado para que isso aconteça. Você pode adiantar a chegada da carta de crédito dando um lance!

O que é o lance de consórcio?

O lance é o adiantamento de valores pelo consorciado. Uma vez ofertado, ele pode antecipar a contemplação. Suponha que alguém consiga economizar um pouco além do que esperava ou recebeu um dinheiro a mais, como:

- verbas rescisórias de um contrato de trabalho;
- restituição do Imposto de Renda Retido na Fonte;
- abono pecuniário de férias;
- 13º salário;
- herança familiar, entre outros.

Antes da assembleia do mês, você pode entrar em contato com a administradora e formalizar seu interesse em dar um lance, especificando o valor. Foi um lance vencedor? Ótimo! A partir desse momento inicia-se o processo de compra do bem desejado. Do contrário, não há diferença, você segue pagando suas parcelas mensais.

Mas dar um bom lance e conseguir alcançar sucesso não é algo tão simples. Você precisa entender os tipos de lance e saber qual é o mais adequado para o montante que possui. Além disso, deve ficar de olho nos movimentos do grupo para escolher o momento ideal para fazer sua oferta.

Posto isso, que tal conhecer os tipos de lance que existem?

Lance livre

No lance livre não existe um valor determinado para ofertar. Pode ser qualquer percentual sobre o total do consórcio. Normalmente, vence quem fizer a maior oferta.

Se houver empate, a administradora pode usar diferentes critérios para definir o vencedor. Geralmente, é feito um sorteio.

Lance fixo

Já o lance fixo deve atingir um valor (ou percentual) fixo, previamente determinado em contrato. Se mais de uma pessoa fizer a oferta, o desempate acontece conforme os mesmos critérios já citados. Como dissemos, nos dois casos (livre e fixo), você só paga o lance se ele for o vencedor.

O pagamento do lance pode ser feito com recursos do próprio consorciado ou descontando o valor da carta de crédito, que é conhecido como lance embutido.

A grande vantagem do lance embutido é que não é necessário ter o dinheiro em mãos (no total ou em parte). Mas, antes de fazer a oferta, é preciso ver se o novo valor da carta de crédito (valor líquido abatido o valor do lance) atende aos seus planos pessoais, aqueles que você tinha quando contratou o consórcio.

Ainda vai ser possível comprar o bem desejado? Essa decisão não vai reduzir muito as opções de escolha? Essas são perguntas importantes que devem ser feitas antes de optar por um lance embutido.

Carro ou casa usados como lance

Uma outra opção pode ser utilizar uma casa ou carro quitados e em nome do consorciado como parte do lance. Ela é muito útil para quem pretende trocar seus bens por outros melhores ou mais novos.

No entanto, é preciso conferir se a administradora oferece essa opção. Em caso positivo, uma corretora avaliará o valor do bem, que vai corresponder ao lance dado.

FGTS como lance

Em consórcios imobiliários, é possível usar até 100% do saldo do FGTS como parte ou total de um lance embutido. Para isso, o consorciado deve apresentar seu extrato à administradora.

Conforme regras previstas no Sistema Financeiro Habitacional (SFH), o FGTS pode ser utilizado para aquisição de imóvel residencial ou construção em terreno próprio se:

- o imóvel estiver localizado em área urbana;
- o titular da conta não tiver usado recursos do FGTS para compra de outro imóvel ou pagamento de consórcio;
- o proprietário não tiver outro imóvel em seu nome no lugar que mora ou trabalha. Consulte as regras para utilização junto ao agente financeiro da Caixa.

É preciso sempre lembrar de consultar possíveis mudanças na lei, para garantir que todos os requisitos estão sendo atendidos e permitem a utilização do fundo de garantia. Consulte a administradora para mais informações.

Como fazer um bom lance?

Pode-se estimar um valor mais propício a dar um bom lance, mas isso vai variar muito conforme as condições da oferta. É algo que vai além do montante, e não há um valor específico que garanta a contemplação. O que é um bom lance em um mês pode não ser em outro!

Mas existem algumas dicas que podem ajudar a tomar a decisão sobre o melhor momento e valor para dar um lance com mais chances de sair vencedor. Confira!

Leia o contrato

Parece óbvio, não é mesmo? Acontece que nem todo mundo está atento aos detalhes do contrato quando formula um lance. Antes de mais nada, fique atento ao que diz o documento sobre as regras e especificidades estabelecidas pela administradora.

Para ter chances, você deve segui-las à risca e tentar entender como essas limitações podem interferir nas ofertas feitas pelo seu grupo. Assim, há chances melhores de traçar um plano mais efetivo.

Estude o perfil do seu grupo de consórcio

Para dar um lance realmente competitivo, você precisa entender qual o potencial de oferta dos demais consorciados. Se a sua condição estiver abaixo das do restante do grupo, você provavelmente não vai ter êxito. Observe os lances já dados por outros consorciados em assembleias anteriores para balizar sua análise.

Avalie alguns meses, quem sabe um ano, e tome nota das variações dos valores durante os meses. Em geral, há muita gente fazendo grandes ofertas nos primeiros meses. Mas, depois dessa fase inicial, os lances arrefecem, o valor cai e você pode conseguir ganhar com uma oferta menor.

Outra recomendação útil é tentar acompanhar as assembleias. Algumas administradoras já adotaram a prática de realizá-las em ambientes virtuais. Há ainda aquelas que realizam as suas de acordo com o resultado da Loteria Federal.

Nas assembleias, você fica sabendo de todas as informações importantes relativas ao seu grupo, o que pode ajudar a sentir se as chances de vitória estão aumentando ou não. Faça observações pontuais do seu grupo para saber como ele se comporta e reunir informações úteis para fazer lances com maiores chances de sucesso. Observe, sobretudo:

- o valor médio do lance;

- percentuais de lances vencedores;
- a reincidência de ofertas feitas por uma mesma pessoa;
- os valores dos lances que já foram aceitos.

Acumule entre 20% e 50% do montante do crédito

Um bom lance geralmente está nessa faixa de valor. Por isso, costuma valer a pena esperar mais um ou dois meses para acumular uma reserva que se encaixe nesses percentuais. Mas, claro, existem exceções. Portanto, não deixe de avaliar o perfil do grupo.

Uma dica para conseguir fazer esse acúmulo é traçar um bom planejamento financeiro. Assim, você consegue poupar sem comprometer as necessidades rotineiras, que são mais imediatas e não podem ficar paradas.

Analise suas próprias finanças

Lembre-se de fazer um cálculo cuidadoso e respeitar suas condições financeiras na hora de elaborar o lance do consórcio. Planejar é a chave para o sucesso. A ansiedade, por sua vez, é uma péssima conselheira nesses casos. Seja racional e não se esqueça de que a pressa é inimiga da perfeição — e das finanças!

Por falar nisso, vale lembrar que seu orçamento pessoal vai mudar bastante com a contemplação. Ela traz gastos extras, com documentação, transferência de titularidade e outras burocracias. Além disso, um novo carro, por exemplo, traz despesas com manutenção e combustível. Tudo isso deve estar previsto em suas contas mensais. Cabe com folga no seu orçamento? Então, prepare seu lance!

Observe algumas variáveis

Observar determinados quesitos pode fazer muita diferença na hora de ofertar um valor. Há, por exemplo, administradoras que estabelecem um limite mínimo/máximo para os lances, e isso deve ser levado em conta para conceber uma boa estratégia.

A condição financeira do país também precisa ser considerada. Em períodos de recessão, dificilmente alguém vai fazer ofertas que estejam muito além do esperado ou altas demais. Esses momentos são mais propícios para receber a carta de crédito, mesmo com uma oferta baixa.

Aliás, ainda seguindo esse mesmo raciocínio, os meses do início do ano podem ser mais propícios para vencer com uma oferta abaixo da média. Neles, as pessoas costumam estar mais apertadas ou destinando seu dinheiro para outras finalidades, como:

- pagar os gastos feitos no fim do ano;
- deixar os impostos de veículos e imóveis em dia;
- comprar material escolar para os filhos, entre outros.

Por outro lado, períodos de férias escolares e recebimento do décimo terceiro, por exemplo, podem ser mais movimentados no que diz respeito à oferta de lances.

Faça os cálculos corretos

Ao se planejar, pense sempre no seu lance e no percentual que ele representa do valor total da carta de crédito. 

Independentemente da quantidade de parcelas restantes, é recomendável tentar atingir a maior porcentagem possível para fazer uma boa oferta. Tenha em mente que é melhor dar um único lance certeiro do que muitos ineficientes.

Isso tem mais um lado bom: você vai antecipar a quitação do seu consórcio. O bem fica alienado à administradora enquanto houver saldo devedor e não pode ser vendido ou negociado. Um lance ajuda a deixá-lo completamente livre mais cedo. Além disso, se você deseja acumular patrimônio, pode dar início a outro consórcio mais rapidamente.

Não hesite em dar o lance

Uma vez que você reuniu as condições para dar um lance, tente! Caso não seja o contemplado, você já sabe que não perde o dinheiro — muito pelo contrário. Na verdade, vai ganhar um pouco mais de experiência para formular propostas melhores na próxima oportunidade.

Mais cedo ou mais tarde você receberá seu novo bem: isso é um fato. As tentativas são apenas os meios de antecipar essa conquista. E se você preferir não se arriscar, não tem problema. Logo também será contemplado pelo sorteio e vai usufruir do bem.

E então, entendeu como funciona o lance no consórcio? Como você percebeu, ele é a sua chance de adiantar ainda mais o sonho de ter um determinado bem e aproveitá-lo. Com a devida preparação, ele pode ser uma ferramenta para conquistar seus objetivos. Afinal, quanto antes você adquirir sua casa ou automóvel, melhor. Saiba mais sobre lances em um infográfico simples e direto sobre o tema!

Dois Tipos De Lances Possiveis Durante Um Consorcio

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.