Como fazer uma boa gestão de empresa familiar? Confira aqui

Empresas familiares têm grande potencial para crescer! Confira como otimizar a gestão desse modelo de negócio.
  • Atualizado em July 6, 2021
  • Publicado em July 6, 2021
  • Planejamento Financeiro

Um dos maiores desafios da empresa familiar é justamente separar a identidade do estabelecimento do contexto familiar. Muitas vezes, é nesse cenário que conflitos e problemas de gestão surgem e é difícil chegar a um consenso devido à proximidade dos relacionamentos.

Contudo, os resultados do negócio não devem ser prejudicados por causa de disputas internas. Sabendo disso, criamos este conteúdo para demonstrar como é possível transformar o gerenciamento do negócio e aumentar o nível de profissionalização.

Continue lendo para conhecer todos os detalhes!

Como otimizar a gestão de empresa familiar?

A verdade é que empresas familiares têm grande potencial para atuar de forma confiável e eficiente. Para que isso seja possível, é essencial criar um ambiente em que todos estão focados na criação de um negócio duradouro e bem-sucedido.

Assim, é preciso conhecer quais são os principais desafios e quais táticas podem ser adotadas para superá-los.

Invista na formação profissional

No Brasil, muitos empreendimentos são criados por necessidade, ou seja, funcionam como uma forma de renda para a família em momentos de adversidades financeiras. Não há nada de errado com essa ação que soluciona um problema imediato.

Contudo, uma vez estabelecido, um negócio começa a afetar a vida de outras pessoas, como os funcionários que são contratados. Nesse momento, outras famílias também dependem do sucesso desse estabelecimento.

Também existem compromissos com clientes, fornecedores e parceiros que devem ser cumpridos, portanto, para solidificar o negócio é preciso focar na qualificação. Quem não tem experiência com a gestão empresarial pode cometer erros graves ao se tornar um empreendedor.

Assim, é essencial dedicar tempo e recursos para adquirir os conhecimentos e as competências necessárias para assumir a liderança e lidar com o gerenciamento de um negócio. Isso ajuda a desenvolver a competitividade, reduz problemas financeiros e cria um relacionamento positivo.

Implemente a governança corporativa

Essa é uma iniciativa que ajuda a criar uma distinção entre a estrutura familiar e a estrutura empresarial. Por exemplo, é possível decidir quem terá envolvimento com o dia a dia da empresa.

Os gestores devem ter a qualificação e formação para assumir essas funções, portanto os laços familiares são deixados de lado para avaliar qual é a melhor alternativa para a empresa.

A governança corporativa também ajuda a criar um equilíbrio entre os interesses do negócio e as expectativas da família. Essa é uma das formas de estabelecer comunicação, solucionar conflitos e estabelecer regras. Com isso, alguns princípios devem ser seguidos, como:

  • critérios de sucessão dos sócios;
  • direcionamento da estratégia;
  • manutenção dos valores familiares e corporativos;
  • relacionamento entre os sócios e herdeiros;
  • regras para a participação da sociedade.

Dessa forma, quanto mais claros esses direcionamentos mais simples será contornar eventuais problemas.

Foque na solução de conflitos

Muitas vezes, desentendimentos entre parentes podem transbordar para o ambiente da empresa. Como estamos falando do contexto familiar, é natural que esses conflitos não sejam apenas relacionados ao processo decisório, mas que tenham origem em problemas pessoais.

Há decisões que podem ser tomadas por meio do conselho familiar, enquanto outras têm caráter puramente estratégico e devem deixar o emocional de lado. O objetivo é que o negócio prospere por gerações e, com isso, é importante preservar esse relacionamento da melhor forma possível.

Outro fator que costuma gerar conflitos tem relação com a participação dos acionistas. Há casos em que o sócio decide não trabalhar na empresa e apenas colher os frutos do seu investimento. Por outro lado, há aqueles que entendem que participar do dia a dia é uma parte integral da gestão.

Por isso, é recomendado criar um acordo de acionistas que determina as principais regras quanto à tomada de decisão, a entrada ou saída de sócios e a formação de um conselho. Essa é uma medida que ajuda a evitar que a empresa se desfaça porque não conseguem solucionar conflitos internos.

Planeje o processo de sucessão

Uma situação que gera inúmeros problemas é a questão de sucessão do gestor. É preciso entender que imprevistos acontecem e que nem sempre o proprietário ou diretor será capaz de permanecer nessa função. Declínio na saúde e falecimento do fundador são as principais razões que deixam uma empresa sem liderança e sem rumo.

Mesmo em empreendimentos de pequeno porte é preciso estabelecer quais passos devem ser seguidos quando o momento de nomear um novo responsável chegar. É preciso escolher o candidato ideal para assumir essa função e estabelecer um cronograma para o processo de transição.

Isso inclui a transferência de responsabilidades, o envio de comunicados aos sócios e colaboradores. Também pode levar a uma reestruturação dos cargos e da hierarquia e, consequentemente, afeta a imagem da empresa bem como a relação com o mercado.

Cuide da organização financeira

A gestão financeira é um dos pilares do empreendedorismo e, por isso, merece um tópico de destaque para discutir os seus vários elementos.

Separação patrimonial

É fundamental separar o patrimônio da empresa e o que pertence à família. Esse é um dos maiores desafios de empreendedores no que diz respeito ao controle das finanças. Por isso, essa é uma lição que deve ser assimilada logo de início para não comprometer os ganhos e gerar endividamento.

Planejamento financeiro

É preciso começar com a criação de um plano que descreva os ganhos e os gastos para manter o negócio funcionando. Isso ajuda a conhecer a expectativa da entrada de receitas e decidir de que forma esses recursos podem ser alocados.

Desse modo, o gestor dispõe de informações concretas para realizar investimentos, verificar a possibilidade de expansão e tomar decisões estratégicas.

Obtenção de capital de giro

Para que a empresa não fique estagnada é preciso investir para aumentar a capacidade produtiva, conquistar novos clientes e desenvolver produtos e serviços.

A fundação de uma empresa familiar é mais que um mecanismo para aumentar o capital e conquistar lucro. Estamos falando da construção de um legado que, quando bem-administrado, tem potencial para prosperar por gerações. Para que isso seja possível é fundamental criar um equilíbrio entre os interesses e as necessidades familiares e corporativas.

Independente de qual for o ramo da empresa familiar é sempre importante se preocupar com a sustentabilidade, por isso confira 6 vantagens de adotar medidas de sustentabilidade.
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Economizar, poupar e investir: você entende a diferença?

attach_money
Planejamento Financeiro

Guardar dinheiro ou investir? Saiba o que considerar na decisão

attach_money
Planejamento Financeiro

Plano de aposentadoria privada: entenda melhor como funciona