Planejamento Financeiro

7 dicas para evitar compras por impulso e salvar seu planejamento

Você compra por impulso? Então, saiba como evitar esse comportamento e salvar as suas finanças! Confira nosso post!

Infelizmente, cair nas armadilhas de compra por impulso é algo muito comum. Não é à toa que o Brasil tem uma taxa elevada de pessoas endividadas, também, por conta da falta de controle financeiro. De acordo com a Agência Brasil, a porcentagem de famílias com dívidas chega a 62,2%.

Sem pensar sobre as próprias despesas mensais ou nas consequências ruins desse comportamento, o consumidor compulsivo coloca em risco as finanças pessoais e a realização de metas realmente importantes para a sua vida. Em muitos casos, acaba prejudicando até mesmo aqueles que ama.

Entretanto, como evitar que isso aconteça? Como comprar de forma mais consciente? A seguir selecionamos 7 dicas possíveis de colocar em prática e que poderão ajudar muito a controlar esse impulso, além de melhorar sua vida. Confira!

1. Conheça quais são suas necessidades

Autoconhecimento é a solução para muitos problemas da vida, inclusive os financeiros. Se você compra por impulso, vale a pena investir um tempo para determinar o que realmente precisa e quais são seus gastos básicos do orçamento doméstico. De modo geral, eles podem ser:

aluguel;
- condomínio;
- contas de luz, internet e telefone;
- comida;
- saúde;
- transporte, entre outros.

Também é possível incluir nessa lista o pagamento do consórcio de carro ou da compra do primeiro imóvel. Enfim, coloque tudo aquilo que é fundamental para viver ou que você já se comprometeu a pagar. Dessa maneira, fica mais fácil identificar o que é gasto extra e não necessário para a sua vida.

Mas, e como ficam as roupas, os sapatos, os perfumes, o celular, entre outros itens que desejamos comprar? Claro, todos nós precisamos deles. No entanto, tenha cuidado com o exagero e evite gastar de uma forma que prejudique o pagamento das despesas essenciais.

2. Pesquise e espere um pouco para comprar

A variação de preços no Brasil é muito grande. Diante do sobe e desce dos preços, comprar sem planejar pode causar prejuízos. Então, quando você encontrar algo que deseja, mas que não é essencial, aguarde algum tempo antes de fazer a aquisição.

O ideal é esperar um mês ou mais e, enquanto isso, pesquisar o valor do produto ou serviço em outros lugares. Em muitos casos, dá para economizar bastante, encontrar promoções ou fazer um bom negócio ao pechinchar.

3. Evite comprar no calor da emoção

Seu dia não foi fácil? Enfrentou estresse no trabalho? Tenha calma! Respire e pense muito antes de sair para comprar nesse dia, pois você pode gastar mais do que tem ou até se endividar.

Em situações como essas ou em momentos de tristeza, existe uma tendência para que as pessoas comprem por impulso, uma vez que isso proporciona um prazer imediato. Embora provoque uma sensação de bem-estar, em pouco tempo esse sentimento acaba, e ainda pode ser o gatilho para aumentar a angústia ou a raiva, especialmente se os primeiros sinais de que está no vermelho surgirem.

4. Dê preferência a compras à vista

Além disso, opte por pagar à vista e fique atento quanto aos juros no caso de compras no cartão de crédito. Para você ter uma ideia, em média, o brasileiro gastou 10% da renda para pagar juros em 2017, segundo artigo do site UOL. E, ainda de acordo com a publicação, isso é mais do que as despesas com educação e vestuário!

Se parcelou uma compra no cartão, não deixe para quitar a dívida no próximo mês, pois isso será uma grande cilada! De acordo com dados do Banco Central, a taxa de juros para quem não quitou ou atrasou o pagamento mínimo da fatura varia entre 28% a 498% ao ano, conforme o banco.

5. Fique de olho nos gastos do dia a dia

Muitos associam a compra por impulso com um item bem caro. No entanto, às vezes isso acontece com os pequenos gastos do dia a dia. Por exemplo, você sabe o custo mensal gerado por aquele cafezinho na padaria todos os dias?

Então, suponha que o preço de uma unidade seja de R$3,20 — valor médio no país de acordo com uma reportagem feita pela Folha. Ao fim de 30 dias, o gasto com a bebida será de R$96,00 no total. Em 1 ano isso representa R$1.152,00!

É claro que ninguém quer obrigar você a parar de tomar café fora de casa. Porém, procure avaliar se esse é mais um hábito compulsivo e que pode até prejudicar o seu orçamento.

Uma boa dica para reverter o problema é reservar uma quantidade específica e pagar por esses pequenos gastos em dinheiro, além, é claro, de acordo com o seu planejamento financeiro.

6. Não caia no efeito manada

Já ouviu falar do efeito manada? É quando a compra por impulso ocorre por incentivo de alguém ou por que a pessoa quer fazer parte de um grupo. Um pensamento bem comum relacionado a isso é: está todo mundo comprando, então vou comprar também!

Sem dúvida, pensar assim não é nada saudável para a sua vida financeira. Para evitar esse comportamento, vale a pena identificar os momentos em que isso acontece e não sair para fazer compras com outras pessoas que tenham a mesma compulsão.

7. Guarde e invista o seu dinheiro

Por fim, a última estratégia para controlar a compra por impulso é guardar dinheiro e investi-lo em algo que deseja muito. Comece com pouco, por exemplo, poupando R$100,00 por mês. Se fizer isso, em 5 anos terá uma quantia de, no mínimo, R$6.000,00.

Além disso, também é uma boa ideia investir o que poupar em um consórcio para a compra da casa própria ou de um automóvel. Assim, você firma um compromisso para pagar mensalmente as parcelas do serviço e consegue — por meio de sorteio ou lance — ser contemplado e ter acesso à carta de crédito para adquiri o bem desejado.

Seguindo essas recomendações será possível evitar a compra por impulso e ainda dar passos mais sólidos rumo à conquista dos seus sonhos! Então, aproveite o embalo e confira neste post 7 dicas para controlar seus gastos

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.