Planejamento Financeiro

7 dicas para fugir do cheque especial e não entrar mais nele

Quer saber por que evitar o cheque especial? Leia o nosso post e entenda melhor sobre esse modo de empréstimo pessoal!

De acordo com o último levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), o número de brasileiros inadimplentes subiu em 2018 e fechou o ano ultrapassando os 63 milhões de pessoas. Liderando o ranking estão as dívidas bancárias, que englobam o cheque especial, o cartão de crédito, os financiamentos e os empréstimos, constituindo verdadeiros vilões quando unidos à falta de planejamento financeiro.

Falando especificamente do cheque especial, a praticidade oferecida por esse benefício faz com que muitas pessoas recorram a ele para conseguir fechar as contas do mês ou manter o seu padrão de consumo. Mas o problema surge quando as finanças não são corretamente organizadas e os gastos passam a ser constantemente maiores do que o valor do salário mensal.

Pensando em ajudá-lo a evitar esses deslizes, preparamos 7 dicas de como fugir do cheque especial e não entrar mais nele. Acompanhe!

Saiba o que é cheque especial

O cheque especial nada mais é do que um empréstimo pessoal ofertado pelo banco. Ele permite que o correntista cubra suas transações, mesmo quando não existe mais saldo disponível. Ou seja, não havendo dinheiro suficiente para quitar com as despesas de um determinado período, você utiliza o crédito que o banco disponibiliza diretamente na sua conta.

Entenda como o cheque especial funciona

O cheque especial é um empréstimo pré-aprovado que fica disponível na sua conta-corrente para uso imediato. Portanto, se você tem alguma emergência e não possui dinheiro suficiente para cobrir os gastos, basta fazer o saque, a transferência ou o pagamento com o valor desse limite.

No entanto, tome cuidado! É justamente na facilidade do acesso que mora o perigo. Afinal, o cheque especial ostenta uma das maiores taxas de juros do mercado, podendo chegar a 305,7% ao ano, ou seja, é melhor evitar o uso.

Conheça 7 dicas para fugir do cheque especial

Como vocês puderam ver acima, a taxa de juros do cheque especial é altíssima. Além disso, o fato de ele ser liberado diretamente na conta corrente faz com que muitas pessoas utilizem o limite como parte da sua renda e, por causa disso, fiquem constantemente no vermelho.

Apesar de parecer complicado, evitar essa cilada, assim como sair dela, é algo possível. Então, para ajudar quem já está endividado e também aqueles que pretendem ficar bem longe do cheque especial, damos sete dicas nos tópicos abaixo.

1. Organize suas finanças

Muitas pessoas se endividam porque não conseguem organizar suas finanças. No entanto, não há grandes segredos nessa tarefa. Primeiramente, você deve saber avaliar quanto ganha e quanto gasta mensalmente. Caso as suas despesas sejam maiores do que a sua renda, será necessário avaliar as que podem ser substituídas por opções mais baratas e as que devem ser eliminadas da sua vida.

2. Controle os seus gastos

Controlar os seus gastos é uma das melhores maneiras de entender para onde o seu dinheiro vai. Para isso, você pode fazer uso dos diversos aplicativos financeiros disponíveis. Eles podem ser integrados à sua conta, categorizando suas despesas, montando gráficos e mostrando suas dívidas de uma maneira bastante didática e prática. Ou, se preferir, você pode recorrer à planilha e ir anotando toda quantia que entra e sai do banco.

3. Tenha objetivos

A melhor forma de aprender a cuidar do seu dinheiro é traçando metas de curto, médio e longo prazo. Ou seja, planeje bem aquela sonhada viagem durante as férias ou no feriado prolongado, programe a compra de um carro ou de uma casa nova.

Tendo um objetivo para a sua renda, você cuidará melhor do seu salário, aprendendo a fazer escolhas e elencar as suas prioridades. Com isso, a chance de cair no cheque especial por causa de compras desnecessárias é bem menor.

4. Troque suas dívidas

Se você já caiu no cheque especial, não precisa se desesperar. A organização financeira é essencial para que você consiga sair dele. Portanto, conheça as suas dívidas e identifique os fatores causadores. Após essa etapa, chega o momento de avaliar as taxas de juros. Caso o seu problema esteja concentrado no cheque especial, verifique com o banco quais acordos podem ser estabelecidos, para que a situação não se agrave.

Sempre existem formas de saldar as dívidas que apresentam taxas bem menores do que as dos cartões e cheques. Conseguindo um crédito, por exemplo, você pode pagar todas as contas e ainda ficar com uma parcela do dinheiro. Desse modo, essa é uma ótima maneira para sair do cheque especial e conseguir uma quantia para colocar suas finanças em dia.

5. Parcele suas dívidas

Se você não conseguir um empréstimo com taxas de juros menores, considere parcelar as suas dívidas. Como o cheque especial está diretamente ligado à conta corrente, muitas pessoas assumem a posição de fingir que nada está acontecendo, quando na verdade todo o dinheiro que cai é utilizado basicamente para cobrir o limite e pagar os juros.

Se o seu caso corresponder à impossibilidade de pegar um empréstimo, considere fortemente o parcelamento do seu saldo devedor e organize-se para liquidá-lo em poucos meses. Dessa maneira você evitará o gasto desnecessário com as taxas bancárias.

6. Evite o cartão de crédito

O cartão de crédito é outro grande vilão da saúde financeira dos brasileiros. Afinal, ele acarreta o mesmo problema que o cheque especial: dá a falsa sensação de que temos dinheiro em conta, quando, na verdade, não é o que acontece. Portanto, para evitar o endividamento, evite o uso do cartão de crédito e prefira comprar sempre no débito ou à vista.

7. Cancele o cheque especial

E por fim, mas não menos importante, uma das dicas mais radicais. O cheque especial pré-aprovado em sua conta corrente pode transmitir uma falsa impressão de que existe um saldo disponível. Porém, esse dinheiro, na verdade, não é seu.

Para evitar cair na armadilha, peça para o seu gerente que diminua ou até mesmo cancele o limite liberado para você. Assim, não será possível fazer planos contando com essa quantia e você passará a utilizar o seu dinheiro dentro das suas possibilidades, de uma maneira mais inteligente.

Organizar a vida financeira, quando o acesso ao crédito é tão fácil, pode não parecer uma das tarefas mais simples. Porém, se você deseja construir um patrimônio sólido e cuidar da sua aposentadoria no futuro, é importante planejar os seus passos desde o começo da vida profissional.

No momento de se organizar financeiramente, o cheque especial é algo que deve ser evitado a todo custo. E se não houver como, tente utilizá-lo o mínimo possível, compreendendo o que está por trás do seu endividamento. Além disso, pesquise maneiras de poupar e investir o seu dinheiro, mesmo que seja uma pequena quantia por mês. Uma excelente opção é escolher uma carta de crédito de imóveis para dar início à construção do seu patrimônio.

Se você está fugindo das dívidas ou procurando melhorar seus hábitos financeiros, leia outro texto que preparamos para você. Nele, ensinamos como o consórcio pode ajudar a melhorar sua vida financeira!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.