Tudo que você precisa saber sobre consórcio de veículo

Quer saber tudo sobre consórcio de veículos? Leia o nosso post e aprenda mais sobre essa modalidade de aquisição!
  • Atualizado em January 5, 2021
  • Publicado em January 5, 2021
  • Seu carro

Você sabia que o consórcio de veículos é a modalidade de consórcio mais antiga? Foi com a chegada da indústria automobilística em solo brasileiro, lá no início dos anos 60, que os funcionários do Banco do Brasil tiveram a ideia de se reunir em grupos com a intenção de comprar veículos.

Com o sucesso e o crescimento da iniciativa, o poder público foi aos poucos lançando medidas que regulamentasse essa opção de investimento a fim de garantir a segurança jurídica e financeira dos consorciados.

Se você está interessado em adquirir um carro, uma moto ou outro tipo de veículo, leia o nosso post com tudo que você precisa saber sobre o consórcio de veículos.

O que é o consórcio de veículos?

O consórcio de veículos é uma maneira planejada de juntar dinheiro para comprar um carro, uma moto ou outros tipos de veículos.

Dessa maneira, pessoas (tanto físicas quanto jurídicas) que têm o mesmo objetivo se organizam em grupos, que são geridos por uma administradora de consórcio devidamente cadastrada pelo Banco Central do Brasil .

O valor do benefício desejado é diluído em um prazo acordado entre os integrantes do grupo, que se compromete a realizar o pagamento de parcelas conforme estipulado no contrato.

Como funciona o consórcio de veículos?

O funcionamento do consórcio de veículos não é muito diferente dos outros tipos de consórcio, como o de imóveis ou serviços. Como dito, as pessoas interessadas em comprar determinado bem reúnem-se em um grupo com um prazo previamente acordado.

Para ter acesso ao valor da carta de crédito é necessário ser contemplado, o que pode acontecer a qualquer tempo durante o prazo do plano contratado, por sorteio ou por meio de um lance. Explicamos melhor como cada uma dessas possibilidades funcionam nos tópicos abaixo.

Assembleia geral ordinária

Antes de explicar como maneiras de contemplação, é necessário deixar claro o que é uma assembleia geral ordinária e como ela funciona.

A realização da AGO é uma exigência do Banco Central, por isso deve estar prevista no contrato de prestação de serviços. A administradora é a responsável pela organização, fixação e divulgação do dia, hora e local.

A assembleia geral ordinária destina-se à realização dos sorteios, à divulgação dos lances e à notificação dos contemplados. É nela também que a administradora presta contas de como vai a arrecadação do grupo, número de inadimplentes, contemplações realizadas, atualização da carta de crédito, entre outros.

Também há a realização de assembleias extraordinárias, cujo intuito é a resolução de assuntos administrativos e burocráticos.

Contemplação por sorteio

O sorteio é uma das maneiras de contemplação no consórcio de veículos. Por ele, uma ou mais pessoas recebem o direito de ter acesso ao valor da carta de crédito. A ideia é que, até o final do prazo determinado pelo grupo, todos os participantes sejam contemplados.

Cada consorciado tem uma cota numerada e o sorteio acontece entre elas. Há administradoras que utilizam o resultado da Loteria Federal, outras preferem realizar em assembleias virtuais ou presenciais. Todas essas informações devem estar dispostas no contrato.

Vamos supor que o grupo seja para adquirir um carro no valor de R$30.000,00, parcelados em 24 meses. Se o consorciado for sorteado no quarto mês, ele terá acesso ao crédito para a aquisição do bem, e deverá continuar pagando as parcelas até o final do prazo estipulado.

Contemplação por lance

O lance se assemelha à antecipação de parcelas. Ele funciona como se fosse um leilão e, geralmente, o consorciado que oferecer o lance mais alto, ganha.

Na assembleia geral ordinária primeiramente acontecem os sorteios e, depois, a administradora divulga os lances, que devem ser ofertados com a antecedência estipulada no contrato, que pode variar de horas a dias. Falamos a seguir sobre os principais tipos de lance.

Lance livre

No lance livre, como o próprio nome diz, o consorciado tem a liberdade de oferecer o valor que ele quiser. Ele funciona como um leilão e, geralmente, ganha quem fizer a maior oferta. A regra mais comum é que o lance deve ser de, no mínimo, 1% do valor total da carta de crédito.

E se houver empate? Nesse caso, o mais comum é que o impasse seja resolvido por meio de um sorteio entre os ofertantes. Porém, como as regras são impostas pelas administradoras, nunca esqueça de ler o seu contrato com atenção.

Lance fixo

Já na modalidade do lance fixo, a administradora estipula a porcentagem que deve ser ofertada. Como todos os consorciados interessados vão oferecer o mesmo valor de lance, a disputa costuma ser resolvida por meio de um sorteio exclusivo.

Lance embutido

O lance embutido é, na verdade, uma modalidade de pagamento em que o consorciado oferece parte da sua carta de crédito como forma de pagamento. Essa modalidade é indicada para aqueles que não contam com o dinheiro disponível para ofertar um lance ou que não querem se descapitalizar.

Caso ele seja contemplado, o valor oferecido será descontado do valor devido. Ou seja, se a carta for de R$40.000,00 e o valor do lance for de R$8.000,00, o consorciado receberá apenas R$32.000,00 ao ser contemplado. Se você tem interesse em fazer uso dessa modalidade, deve ficar atento desde o início da contratação e verificar no contrato se a administradora permite o lance embutido.

Outro cuidado necessário é levar em consideração a oferta do lance no momento da escolha da carta de crédito. Caso contrário, ao desfalcar o valor a ser recebido você terá que comprar um veículo mais barato ou precisará complementar o que ficar faltando, o que não é a opção mais indicada.

Como é realizada a formação da parcela no consórcio?

Para garantir a segurança financeira de todos os participantes de um determinado grupo de consórcios, é necessário levar em consideração os quatro principais custos que envolvem essa operação e que refletem diretamente na maneira como a parcela é formada. Falamos melhor sobre cada um deles nos tópicos abaixo.

Taxa de administração

Todo consorciado paga uma taxa (indicada no contrato) referente à remuneração dos serviços prestados pela administradora, é a chamada taxa de administração. De acordo com o Banco Central, a administradora é livre para fixar a taxa que entender mais justa. Logo, vale a pena fazer uma pesquisa de mercado e comparar as opções.

A taxa não deve ser confundida com a cobrança de juros que existe em outras formas de parcelamento, uma vez que ela é calculada com base no valor total da carta de crédito, parcelada durante todo o prazo de pagamento.

Fundo comum

O fundo comum é a soma dos valores pagos mensalmente por todos consorciados a fim de formar o capital da carta de crédito, responsável pela aquisição do veículo.

É a formação do fundo do comum que servirá como saldo para realizar o pagamento das contemplações mensais.

Fundo de reserva

O objetivo do fundo de reserva é a proteção da saúde financeira do grupo e serve para cobrir eventuais inadimplências e outras despesas que possam surgir.

O valor cobrado para esse fundo é um percentual fixo e que pode variar de acordo com cada administradora.

Seguro

Outra variável que normalmente está embutida no valor da parcela diz respeito ao seguro do consórcio, que é utilizado para proteger os participantes caso aconteça algum imprevisto, como o pagamento de seguro de vida no caso de falecimento de algum consorciado ou o pagamento de um determinado número de parcelas se algum participante ficar desempregado.

É importante ressaltar que todas essas taxas devem estar previstas e descritas no contrato.

O que é a carta de crédito?

Você vai notar que a carta de crédito para carro é a protagonista aqui neste post, e é justamente por isso que você precisa entender como ela funciona e por que é uma boa opção para você.

Ao adquirir uma cota, você passa a fazer parte de um grupo de pessoas com um interesse em comum, que realizam pagamentos mensais, estipulados de acordo com o contrato. Todos esses pagamentos são reunidos em um fundo comum que garantirá a compra do veículo pelo consorciado que for contemplado. E é justamente o instrumento financeiro utilizado para a compra do bem que nós chamamos de carta de crédito.

A carta de crédito sempre vai corresponder ao valor contratado quando você aderir ao consórcio. Ou seja, se você participa de um grupo de R$100.000,00, a carta vai ser dessa quantia. Com ela, após a contemplação, o consorciado só pode adquirir um bem que pertença à mesma categoria do consórcio contratado. Logo, como estamos falando de veículos, não é possível utilizar o valor da carta para comprar um apartamento, por exemplo.

Como utilizar a carta de crédito?

Quando você for contemplado no consórcio, seja por sorteio, seja por ter oferecido um lance, poderá fazer uso da carta de crédito. Porém, como você ainda deverá continuar realizando o pagamento das parcelas até o final do prazo, a administradora precisará de algumas garantias financeiras.

Falamos melhor nos tópicos abaixo sobre as obrigações básicas que o consorciado deve cumprir antes de ter acesso à carta de crédito.

Entrega da documentação adequada

Uma das primeiras exigências da administradora será a entrega da documentação adequada para iniciar o procedimento de concessão da carta de crédito. Mesmo que você já tenha feito isso quando aderiu ao consórcio, é necessário passar novamente por essa etapa, tendo em vista que a situação apresentada no passado pode ter sofrido alguma alteração.

Sendo assim, geralmente os seguintes documentos serão exigidos:

  • documento de identificação com foto, como RG ou CNH;
  • CPF ou CNPJ;
  • comprovante de residência atualizado e em nome do consorciado;
  • comprovante de renda atualizado.

Algumas informações vão depender da situação do consorciado, como é o caso da comprovação de renda. Se você trabalhar sobre o regime CLT, serão solicitados os demonstrativos de pagamento, normalmente dos três últimos meses, e cópia da carteira de trabalho para comprovação.

No caso dos profissionais autônomos, será preciso apresentar a Declaração de Imposto de Renda completa e atualizada do período. Documentos adicionais, como o extrato bancário dos últimos seis meses, também poderão ser solicitados, de acordo com a necessidade.

Apresentação de documentos do veículo

Também será necessário entregar os documentos do veículo que será comprado. Logo, o consorciado deverá informar corretamente todas as informações, como marca, modelo, ano de fabricação, cor, entre outros.

Se o veículo for usado, ele deverá passar atender aos critérios estipulados pela administradora, por isso antes de decidir qual bem irá adquirir não deixe de entender todos os detalhes.

Outra informação importante diz respeito ao prazo para a utilização da carta de crédito. Normalmente, não é necessário comprar o carro imediatamente. Se você preferir esperar para aproveitar alguma promoção, basta avisar à administradora e manter o pagamento das parcelas em dia.

Para quem é indicado o consórcio de veículos?

Para saber se o consórcio de automóveis é indicado para você, é indicado para você, é necessário avaliar alguns pontos importantes. Como dissemos, essa é uma maneira de planejar a compra do bem desejado e não precisar recorrer aos financiamentos bancários.

Logo, se você pensa no seu futuro e busca maneiras de poupar o seu dinheiro, ampliar o seu patrimônio, comprar seu primeiro carro ou até mesmo trocar o seu atual, o consórcio pode ser uma ótima opção. Por outro lado, precisamos ressaltar que esse planejamento é realizado em médio e longo prazo, ou seja, se você tem urgência na compra do seu veículo, essa pode não ser uma alternativa viável.

Também vale a pena fazer uma autocrítica e avaliar o seu perfil de consumidor. Você tem um planejamento financeiro e o cumpre a risca? Ou costuma ceder a qualquer tipo de promoção e impulso? Se você se encaixar na segunda opção, o consórcio é uma maneira segura de garantir que o seu dinheiro seja destinado mensalmente a uma poupança que não poderá ser "atacada" toda vez que você resolver gastar mais do que pode.

Aliás, o consórcio é uma ótima maneira de começar a aprender lições fundamentais sobre educação financeira e a importância de poupar o seu dinheiro, fazer pequenos investimentos e garantir um futuro tranquilo.

Quais são as vantagens de aderir a um consórcio de veículos?

O consórcio de veículos é uma maneira econômica de planejar a sua compra em médio ou longo prazo, sem precisar recorrer aos financiamentos. Logo, essa é a principal vantagem que um consórcio apresenta.

No entanto, não é apenas a economia e a possibilidade de colocar o planejamento financeiro em prática que conquista diversos consorciados. Separamos alguns dos motivos nos tópicos abaixo.

Possibilidade de parcelar integralmente a compra

Uma das vantagens do consórcio é a possibilidade de comprar um carro sem entrada. Essa flexibilidade facilita a vida de quem não tem o dinheiro guardado ou não pode dispor de uma soma alta em espécie para a entrada.

No caso do consórcio, você escolhe o valor da carta de crédito e o prazo em que deseja pagar e pode parcelar integralmente o custo do bem.

Investimento seguro

O consórcio faz parte do rol de investimentos de baixo risco , destinado às pessoas que pretendem aumentar o seu patrimônio de maneira planejada e econômica.

Ausência de Juros

Uma das grandes vantagens do consórcio de veículos é que, ao fazer a adesão a um grupo, o consorciado não está contraindo uma dívida. Logo, como não está pegando dinheiro emprestado de ninguém, também não precisa arcar com juros.

No consórcio é preciso arcar apenas com as taxas já citadas, que tem um valor bem mais acessível se comparadas à outras formas de aquisição parcelada.

Possibilidade de negociar o valor do bem

Ao ser contemplado e ter o valor da carta de crédito em mãos, é possível fazer a aquisição do seu veículo à vista. Com isso, você tem maior chance de barganhar descontos e economizar ainda mais.

Reajuste da carta de crédito

Como forma de garantir que você não perca seu poder de compra enquanto aguarda a sua contemplação, o valor da carta de crédito é reajustado ao longo do tempo de contrato. Os critérios para que isso aconteçam variam entre as administradoras, mas devem estar expressos no contrato de adesão.

Possibilidade de oferecer lances

O consórcio é uma maneira de planejar o crescimento do seu patrimônio, sem que você precise contrair dívidas para tanto.

Logo, se entrou um dinheiro extra, você tem a possibilidade de ofertar lances, adiantando algumas parcelas e, consequentemente, aumentando as chances de contemplação. Dessa maneira, você tem acesso ao valor da carta de crédito sem precisar contar com a sorte e antes do prazo estipulado inicialmente.

Possibilidade de lucrar mesmo em caso de desistência

Se por qualquer motivo você mudar de ideia e não quiser mais a carta de crédito, ainda tem a possibilidade de vendê-la. Se ela estiver contemplada, pode ainda cobrar um ágio em cima dos valores que já foram pagos e, com isso, garantir um lucro considerável. Vale lembrar que é preciso verificar com a administradora do seu consórcio como funciona esse processo.

Quais tipos de veículos podem ser adquiridos?

Muita gente quando pensa no consórcio de veículos imagina que as possibilidades estão restritas apenas à compra de carros ou motos. No entanto, as opções são diversas.

É possível adquirir carros de passeio e utilitários de todas as marcas e modelos, incluindo os importados. O mesmo vale para as motos, as modalidades, talvez, mais conhecidas pelos brasileiros.

Além disso, há ainda o consórcio de caminhões e veículos pesados, que incluem a compra de ônibus, tratores, implementos agrícolas e rodoviários. E, como se não fosse suficiente, ainda é possível a aquisição de aviões, barcos e embarcações de todos os portes.

O que considerar ao contratar um consórcio de veículos?

Como dito, o consórcio de veículos é uma maneira de planejar sua compra de forma econômica. Porém, para que nada fuja planejado e o consórcio se transforme em um problema, é preciso considerar alguns pontos antes de realizar qualquer contratação de consórcio de carros. Falamos mais sobre eles nos seguem a seguir.

Escolha a administradora com cuidado

O primeiro passo para contratar um bom consórcio é pesquisar sobre a credibilidade da administradora no mercado. Lembre-se de que a atuação delas é fiscalizada pelo Banco Central, logo, essa deve ser a sua primeira fonte de pesquisa. A administradora pode atuar? Ela está registrada nos órgãos responsáveis?

Em caso positivo, prossiga com a sua pesquisa em relação ao atendimento na pré-compra, durante e após a aquisição. Para tanto, busque as redes sociais e analise os comentários, as reclamações e os elogios. Também vale a pena buscar no Procon da sua região e em sites, como o Reclame Aqui, qual é a reputação da empresa.

Confie no seu consultor de consórcios

Estando tudo certo com a administradora, chegou o momento de marcar um horário com o consultor de consórcios para avaliar quais são as opções disponíveis. Não tenha medo ou vergonha e aproveite para tirar todas as suas dúvidas. É justamente para responder todas as questões que o consultor é tão importante.

Não esqueça de fugir das promessas mirabolantes, como a certeza de contemplação em caso de lances de valor X ou Y. Se isso acontecer, entre em contato com a administradora e verifique a possibilidade de ser atendido por outro profissional.

Tenha um planejamento financeiro

O ideal é que você já tenha um planejamento financeiro e saiba exatamente qual é o valor da parcela que caberá no seu bolso e não causará nenhum tipo de problema ao seu orçamento mensal.

A inadimplência prejudicará a sua capacidade de participar dos sorteios e de dar lances. Além disso, você precisará arcar com os juros em decorrência de algum atraso, dinheiro que poderia utilizar para poupar e realizar outros investimentos.

Portanto, simule o seu consórcio antes de realizar qualquer contratação e evite dar um passo maior do que as pernas.

Leia o contrato com atenção

O contrato é o documento que apresenta as regras da administradora, as possibilidades de lances, os índices utilizados para o reajuste da carta de crédito, a periodicidade da assembleia geral ordinária, entre outros pontos importantes.

Logo, é de extrema importância que ele seja lido com bastante atenção e que todas as dúvidas sejam retiradas antes da assinatura.

Estar bem informado é necessário para o fechamento de qualquer negócio, logo, agora que você já sabe tudo sobre o funcionamento do consórcio de veículos está mais preparado para fazer as melhores escolhas.

Para saber ainda mais sobre o assunto, não deixe de complementar a leitura com o nosso guia completo para aquisição de veículos por consórcio.
cta-guia-completo-de-aquisicao-via-consorcio-de-veiculos
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
drive_eta
Seu carro

Os 14 carros de luxo mais caros de todos os tempos

drive_eta
Seu carro

Dirigir descalço é proibido? Descubra aqui!

drive_eta
Seu carro

Os 7 melhores carros para 2021