O que torna um condomínio sustentável? Confira 6 fatores!

Deseja entender por que é importante considerar os condomínios sustentáveis na hora de escolher onde morar? Leia este post!
  • Atualizado em July 29, 2021
  • Publicado em July 29, 2021
  • Sustentabilidade

Um condomínio sustentável é um espaço planejado para estar em harmonia com o meio ambiente. Esse é um conceito que envolve vários fatores, como a redução dos custos de energia elétrica, além de diversas ações são desenvolvidas para a criação de um plano de sustentabilidade que melhore a qualidade de vida e traga inovação às edificações.

A sustentabilidade em um condomínio também envolve a conscientização sobre o uso dos recursos naturais, a eliminação de gastos relacionados ao funcionamento e um orçamento mais enxuto. Há uma série de soluções disponíveis no mercado para criar um condomínio sustentável, melhorar as rotinas residenciais e os processos dentro dos edifícios. Essa é uma tendência que oferece diversas melhorias aos usuários.

Precisa saber o que é um condomínio sustentável e qual a importância desse conceito nos tempos atuais? Conclua a leitura deste conteúdo!

O que é um condomínio sustentável?

Um condomínio sustentável é um ambiente utilizado para a residência de diversas famílias cujo objetivo principal é minimizar os impactos ambientais. Ele é planejado e diversos cuidados são tomados para que os recursos naturais não sejam desperdiçados. Nele são aplicadas técnicas para impedir a poluição das águas e do ar, bem como de outros fatores que causam desequilíbrios ambientais.

A sustentabilidade também engloba a destinação adequada dos resíduos, o uso racional da energia elétrica, o aproveitamento da iluminação natural, a preservação das áreas verdes, a economia da água potável e muito mais. Dessa forma, um condomínio sustentável contribui para a construção de uma sociedade melhor que se preocupa com os jovens e as futuras gerações.

Qual a importância do condomínio sustentável nos tempos atuais?

Um condomínio sustentável é muito importante nos tempos atuais, pois a humanidade já causou consequências negativas para o meio ambiente de diversas formas. A construção das infraestruturas urbanas também impactam pela retirada das vegetações, uso de um enorme volume de água e poluição do ar causadas pelos maquinários.

A incorporação da sustentabilidade nos projetos ajuda a encontrar mais equilíbrio com a natureza, a manter as atividades humanas em harmonia com o ambiente e a preservar a atmosfera, os rios, as florestas e os mares. Ela possibilita a realização das atividades fundamentais como o trabalho, a diversão e as tarefas domésticas sem interferir no ecossistema.

Com a sustentabilidade, a sociedade conseguirá manter uma parte importante dos recursos naturais em perfeito estado de conservação para os seus descendentes. Por esse motivo, os condomínios sustentáveis se tornaram uma tendência mundial que está ajudando os usuários a se conscientizar sobre a realidade do nosso planeta e a sua importância para manter a vida na Terra.

Quais são as suas particularidades do condomínio sustentável?

Existem diversas peculiaridades em um condomínio sustentável. Por exemplo, as ações que evitam o desperdício de materiais e ajudam a superar os desafios diários. Essas atitudes costumam impactar o orçamento desses edifícios e de seus moradores. Veja a seguir quais são as particularidades desse tipo de estrutura que conta com soluções tecnológicas de ponta!

1. Energia renovável

A energia renovável deve ser utilizada nos edifícios sustentáveis para garantir a preservação dos recursos naturais. Uma opção bastante conhecida é o uso da energia solar por meio de placas que realizam a sua captação e as transformam em eletricidade para uso doméstico. Os equipamentos e as tecnologias geram energia limpa e reduzem impactos negativos para o meio ambiente.

2. Coleta seletiva de lixo

A coleta seletiva de lixo é outro fator que se destaca em um edifício sustentável. Os moradores realizam o descarte apropriado do lixo fazendo a sua separação antes de colocá-los para fora de sua residência. Os síndicos são responsáveis por apontar qual é o melhor lugar para acomodar os resíduos e separá-los em categorias, como material orgânico, papel, vidro etc.

A prática da coleta seletiva permite a avaliação e reutilização dos materiais descartados. Aqueles que forem recicláveis poderão ser comercializados para gerar uma renda extra que será investida no condomínio. Os restos de frutas, verduras e legumes são transformados em adubo para o cultivo de uma horta, assim como o óleo de cozinha gera o sabão para lavar utensílios.

Para que a coleta seletiva do lixo funcione, os moradores deverão ser conscientizados e reeducados para separar os resíduos da forma apropriada. As pessoas precisam compreender a relevância de realizar essa separação e descarte dos lixos residenciais.

3. Responsabilidade social

Um aspecto relevante de um condomínio sustentável é a responsabilidade social dos funcionários, moradores, administradores e síndicos. Essas pessoas se tornam responsáveis por manter as práticas sustentáveis, zelar pelo uso racional dos recursos e a separação dos materiais enviados para o descarte. O proprietário do condomínio se responsabiliza pela instalação dos painéis solares e dos sistemas de coleta das chuvas.

Portanto, os donos das unidades imobiliárias precisam concordar e assumir as obrigações referentes a esses investimentos em tecnologia e equipamentos. Já os aparelhos que serão instalados em áreas comuns, como torneiras automáticas, sensores de luzes automáticas e outros itens dessa natureza deverão ser pagos em conjunto pelos condôminos. Os síndicos conduzem as alterações e verificam se os condôminos estão cumprindo os acordos.

4. Uso de lâmpadas LED

A utilização de lâmpadas de LED reduzem consideravelmente os gastos com energia elétrica. Esses dispositivos contam com vida útil prolongada e não exigem manutenção constante como os convencionais. Eles proporcionam excelente custo-benefício a médio e longo prazo, eliminam o desperdício de eletricidade, podem ser usados em conjunto dos sensores de presença e outras tecnologias.

5. Reutilização de água da chuva

A reutilização das águas coletadas das chuvas gera economia nas faturas das empresas que prestam o serviço de fornecimento desse recurso. É possível instalar cisternas nas piscinas, recepção, salões de festa e outras áreas comuns. A chuva coletada poderá ser usada na irrigação das áreas verdes e na limpeza dos espaços comuns.

6. Criação de áreas verdes

A criação de áreas verdes ajuda a impermeabilizar o solo nas áreas urbanas. Elas devem ser planejadas e mantidas para evitar os desequilíbrios híbridos decorrentes das pavimentações de vias, edificações de casas e prédios. A prática é indispensável para evitar as inundações e as enchentes que invadem as estruturas físicas e as vias nas grandes cidades.

Viu o que torna um condomínio sustentável? Esses são 6 fatores que devem ser considerados na hora de escolher um local para a moradia. Dê preferência para condomínios que valorizam os gramados, os jardins e os bosques para ter mais contato com a natureza. Afinal, ela é fundamental para ter uma vida saudável e equilibrada.

Achou interessante? Aumente os seus conhecimentos sobre sustentabilidade e aprenda a fazer uma horta vertical em um apartamento!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
eco
Sustentabilidade

Confira 8 dicas de como reduzir o uso de sacolas de plástico!

eco
Sustentabilidade

Coleta seletiva: sabia que é possível implementar essa prática em casa?

eco
Sustentabilidade

Confira 5 dicas essenciais de como reduzir o consumo de plástico!