Consórcio para profissionais liberais? Esclareça as suas dúvidas!

Você quer investir no seu negócio? Saiba como um consórcio para profissionais liberais pode ser a solução que você precisava.
  • Atualizado em February 15, 2022
  • Publicado em February 15, 2022
  • Consórcio

Em algumas situações, quem é autônomo pode se deparar com dificuldades para ter acesso a alguns serviços relacionados ao crédito. A maioria desses problemas surgem pelo trabalhador não possuir assinatura na carteira de trabalho ou contracheque para comprovar renda quando a instituição financeira requer esse tipo de documento.

Mas e como funciona em um consórcio?

Para esclarecer as dúvidas sobre esse processo, decidimos criar este conteúdo para esclarecer as suas principais dúvidas sobre a contratação de consórcio para quem atua com esse modelo de trabalho.

Continue lendo para saber todos os detalhes!

Profissional liberal pode ser consorciado?

A resposta é sim! As empresas e trabalhadores autônomos estão sempre buscando investir em seus negócios e continuar prosperando e veem o consórcio como uma excelente opção. Como esse compromisso é feito em grupo, esse processo se torna mais seguro e acessível.

Por isso, o foco é o planejamento financeiro e a capacidade de pagamento dos integrantes do grupo, uma vez que o consorciado com parcelas em atraso não pode participar dos sorteios ou ofertar lances.

Assim, é vantajoso manter todos os pagamentos em dia para aumentar as chances de receber a carta de crédito o mais rápido possível.

Como funciona o consórcio para profissionais liberais?

Vale destacar que, para se tornar um consorciado, a documentação relacionada a renda não será exigida no momento da contratação do consórcio. Essa obrigatoriedade começa a valer somente na hora do recebimento da carta de crédito.

Desse modo, até que você seja sorteado na assembleia ou faça o lance vencedor, não há necessidade de comprovar renda. Porém, a partir desse momento você deverá começar a preparar os documentos.

Se você se enquadra na categoria de profissional liberal, autônomo e, até mesmo, freelancer, é possível que não disponha de uma carteira de trabalho assinada ou um contrato que descreve a sua renda mensal.

Portanto, listamos algumas alternativas que são aceitas e efetivamente comprovam a sua capacidade de continuar realizando o pagamento das parcelas dentro prazo.

Extrato bancário

As empresas de consórcio estipulam qual deve ser a renda líquida mínima auferida pelo consorciado. Por exemplo, pode ser 3 vezes o valor da parcela. Por isso, o extrato bancário dos últimos meses ajuda a demonstrar a entrada de recursos e qual é o valor acumulado.

Essa é a melhor opção para quem tem conta corrente e pode acessar o extrato dos últimos seis meses para anexar a documentação comprobatória.

Declaração de Imposto de Renda

A obrigação anual de declarar o Imposto de Renda faz com que essa seja uma fonte confiável de informações financeiras. Afinal, os ganhos devem ser reportados corretamente na declaração.

Esse documento pode ser usado de duas formas com a apresentação:

  • da Declaração de Imposto de Renda Atual e o respectivo recibo de entrega;
  • das últimas DARFs de recolhimento de Imposto de Renda (carnê).

Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA)

Outra forma de comprovação de renda que é aceita pela administradora de consórcio é o Recibo de Pagamento de Autônomo. Esse documento é emitido por quem contratou o serviço do profissional sem caracterizar o vínculo de trabalho.

O RPA é aceito porque demonstra quanto o profissional recebeu pela prestação de serviços no período em questão. Porém, é importante comprovar a veracidade das informações para que o documento não seja considerado inválido para fins de comprovação de renda.

Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore)

O Decore desempenha a função de comprovar o recebimento para pessoas físicas. Contudo, a sua emissão é feita somente por profissionais de contabilidade com o devido registro nos Conselhos Regionais.

Geralmente, esse documento é apresentado por autônomos, profissionais liberais e empreendedores que fazem a retirada do pró-labore ou recebem pela divisão de lucros.

Apresentação de garantia

Uma garantia é requerida para a liberação da carta de crédito com o intuito de cobrir o saldo devedor caso o consorciado se torne devedor após a sua contemplação. Geralmente, o próprio bem é a garantia, ou seja, se você participa de um consórcio para carros, essa será a sua garantia. Há empresas que trabalham com o cadastro de um fiador que, em caso de inadimplência, será o responsável por arcar com as parcelas restantes.

Envio de documentos pessoais

No caso de consórcios para quem é profissional liberal, sempre será exigido a apresentação do CPF (Cadastro de pessoa Física) e os documentos de identidade aceitos pela administradora como:

  • RG;
  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação);
  • Carteira das Forças Armadas;
  • Carteira de Conselho de Classe.

Como escolher o melhor consórcio para você?

Quando falamos da gestão de empreendedores, a aquisição de um consórcio nem sempre tem uma finalidade pessoal. Há pessoas que decidem aplicar esse valor no negócio, como a compra de um carro para facilitar o atendimento aos clientes, investir na sua formação ou melhorar a infraestrutura do escritório.

Todas essas alternativas são excelentes motivos para se tornar um consorciado, mas é essencial escolher a administradora certa para criar uma parceria na conquista desse objetivo. Por isso, listamos alguns aspectos que devem ser considerados para essa decisão.

Busque administradoras credenciadas ao BC

Como a atuação das instituições financeiras é regulamentada e fiscalizada pelo Banco Central é preciso ter autorização para oferecer consórcios. Além disso, use a internet a seu favor para fazer pesquisas e verificar a reputação da empresa.

Isso ajuda a verificar a opinião de outros clientes e conhecer como foi a experiência de outras pessoas. Como resultado, essa prática ajuda a tornar o seu processo de decisão mais seguro.

Entenda as regras e termos do contrato

Ser pego de surpresa por uma cláusula que você não conhecia é bastante desconfortável. Por isso, leia atentamente toda a documentação fornecida sobre o contrato e quais são as condições para utilizar a carta de crédito.

Além disso, é importante saber quais são as formas de lance e quais são as penalidades em caso de inadimplência ou cancelamento da cota.

Pesquise as taxas cobradas

Ao se tornar um consorciado você está assumindo o compromisso de arcar com todas as parcelas, antes e depois da contemplação. Por isso, planeje como esse valor se encaixa no seu orçamento pessoal. Assim, é importante conhecer quais são todas as taxas incluídas, como seguro, contribuição ao fundo de reserva e a taxa de administração.

Por fim, a contratação de um consórcio para profissionais liberais é uma iniciativa promissora mesmo com todos os desafios de quem atua como autônomo.

Se você já decidiu que vai se tornar um consorciado, a Racon oferece a flexibilidade que você busca. Temos opções para adquirir uma casa nova ou reformar o seu imóvel. Oferecemos a liberdade para decidir os melhores planos e qual parcela cabe no seu bolso.

Pronto! Agora você já como um profissional liberal pode se tornar um consorciado. Aproveite e faça uma simulação em nosso site e encontre o melhor plano para o seu bolso!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
monetization_on
Consórcio

Guia prático: entenda como funciona o lance de consórcio

monetization_on
Consórcio

Entenda se entrar em um consórcio em andamento é uma boa alternativa

monetization_on
Consórcio

Saiba o que é alienação de bens e quando ocorre nos consórcios!