Cota de consórcio: entenda o que significa

Uma cota de consórcio representa a chance real de conseguir um bem de forma antecipada. Veja!
  • Atualizado em May 12, 2021
  • Publicado em November 20, 2017
  • Consórcio

A independência financeira é o sonho de muitas pessoas, certo? E isso não é à toa. Afinal, manter a cabeça tranquila, ter as contas em dia e traçar uma boa perspectiva de futuro são ótimas metas. Nesse sentido, é de grande auxílio compreender corretamente o que é uma cota de consórcio.

Ela é uma ótima alternativa para investir em bens duráveis, como carros e imóveis. Com uma eficiente organização das finanças pessoais, esse tipo de propriedade pode ajudar você a viver de forma mais confortável.

No entanto, para aproveitar os benefícios que essa decisão trará para a sua vida financeira, é necessário entender como ela funciona. Existem vários conceitos com os quais você precisa se familiarizar antes de ingressar nesse novo mundo. É nisso que este artigo ajudará você!

Se deseja entender melhor como funciona a aquisição de cotas e o que isso significa na prática, continue lendo este artigo!

O que é uma cota de consórcio?

No dicionário Caldas Aulete digital, "cota" ou "quota" admite diversos significados. No entanto, dois deles merecem destaque:

  • "parcela de um todo que cabe a cada um de seus possuidores ou aos que a ele têm direito";
  • "porção de alguma coisa concreta ou abstrata".

Passadas as apresentações, você sabe o sentido prático disso tudo aplicado na realidade de um consórcio?

Imagine, por exemplo, que você deseja comprar um automóvel. Depois de analisar, com a sua família, o seu planejamento financeiro, vocês chegaram à conclusão que não há como fazer essa aquisição à vista.

Ainda assim, existe a possibilidade de pagar um determinado valor mensal pelo carro. Dessa forma, o consórcio surge como uma opção mais do que interessante, tendo em vista que ele é uma espécie de economia colaborativa. Mas o que isso significa?

É simples: você vai se unir a pessoas que têm o mesmo objetivo, formando um fundo coletivo. A cada mês, enquanto o contrato estiver vigente, um ou mais integrantes do seu grupo serão contemplados com cartas de crédito. Isso ocorre por meio de sorteios ou ofertas de lance.

Ou seja, a cota de um consórcio representa a parte do valor total que foi comprada. Ela é um número de identificação individual, que representa você em meio aos outros envolvidos no processo. O histórico de seus pagamentos, o plano escolhido junto à administradora e a participação ficam vinculados a essa numeração.

Qual é a finalidade de uma cota de consórcio?

De forma resumida, a cota de consórcio tem como objetivo fazer com que você consiga realizar um projeto ou conquistar um sonho de vida de uma maneira muito mais planejada.

Ao escolher uma boa administradora de consórcio, que é a empresa responsável por unir os consorciados e cuidar de todas as etapas do processo, é possível fazer um investimento que possibilita o recebimento do valor almejado de forma segura.

É importante se lembrar de que, como não se trata de um empréstimo e o dinheiro é de quem está investindo, ou seja, seu, não há cobrança de juros nas parcelas. Em vez disso, o que existe é a taxa de administração, que é a forma de remuneração da administradora pelo serviço de gestão e gerenciamento prestado ao grupo de consórcio.

O prazo para receber sua carta de crédito varia, dependendo dos lances e sorteios realizados, mas ele não passará do período de duração do grupo de consorciados. A contemplação, portanto, pode ocorrer a qualquer momento.

Como ela influencia no processo de aquisição?

Por meio dessa modalidade de investimento, você encontra uma forma mais flexível para adquirir um bem. É válido ressaltar que podem ser bens móveis (veículos, aeronaves, máquinas, embarcações e equipamentos em geral) ou imóveis (casas, terrenos, apartamentos e reformas).

Entrar em um consórcio ainda simboliza maior controle financeiro, já que você sabe o quanto pagará por mês. Você também define o plano do seu consórcio de acordo com sua necessidade e possibilidade de pagamento.

O mais atraente nesse modelo de compra é, certamente, a chance de ser contemplado a qualquer momento. Você entra em um consórcio de veículos, por exemplo, com 60 parcelas. Já pensou o quão incrível seria se pudesse comprá-lo já na décima parcela? Ao ser consorciado, essa probabilidade existe.

O que é e como funciona um grupo de consórcio?

Um grupo de consórcio é a reunião de pessoas com o mesmo objetivo, geralmente a aquisição de um mesmo bem. Quem se encarrega de organizar o grupo é a administradora de consórcios, que também tem a responsabilidade de estabelecer o número de cotas, prazos e demais condições do contrato.

Apesar dos atrativos dessa opção, é necessário analisar com calma as condições e o prazo do consórcio. Esses elementos do contrato devem atender aos seus objetivos, senão dificilmente agregarão valor à sua vida financeira.

Além disso, é importante considerar a distinção das modalidades de ingresso no grupo de consórcio. Você pode entrar em um que ainda está em formação pela administradora ou em um que já está em andamento, caso exista vaga ou desistência.

Por fim, é o seu perfil que determinará a melhor escolha a ser feita. É por isso que você deve conversar com um representante da administradora de consórcio para optar pela alternativa que melhor se encaixa nos seus objetivos para independência financeira.

Como entrar em um grupo de consórcio?

Para quem tem interesse em ingressar em um grupo de consórcio, é importante considerar as diferenças entre seus dois estados possíveis:

  • grupo de consórcio em formação: é aquele que ainda está sendo organizado pela administradora dentro do prazo de 90 dias;
  • grupo de consórcio em andamento: é aquele em que as suas deliberações já foram estabelecidas e os recursos já foram aplicados, sendo possível ingressar a partir de uma cota vaga ou transferência.

O caminho para ingressar em um grupo de consórcio, seja um em formação ou em andamento, é uma administradora. A partir dessa consulta inicial, será possível se familiarizar com as características do contrato e estudar as opções disponíveis.

Ao entrar em um grupo de consórcio em formação, basta comprar uma das cotas que ainda não foi vendida.

No caso de um grupo de consórcio em andamento, é necessário optar por uma cota vaga. Isso envolve pagar a mesma quantidade de parcelas que os integrantes já aplicaram. Vale a pena conversar com a administradora para negociar o método de pagamento dessas parcelas segundo o contrato.

Outra possibilidade é o ingresso por transferência. Ela pode ocorrer se um dos consorciados tiver interesse em vender a própria cota. Algumas administradoras também oferecem esse serviço caso o consorciado deseje. Nesse caso, é importante ter consciência de que você está aceitando todos os termos do contrato do integrante substituído.

Como comprar uma cota de consórcio?

O primeiro passo para comprar uma cota de consórcio é encontrar uma administradora reconhecida no mercado e que seja transparente em suas políticas. Depois disso, o mais indicado é realizar uma simulação. Boas administradoras permitem que você faça isso sem nenhum compromisso.

Nessa hora, é possível fazer cálculos embasados na quantia mensal que pretende pagar ou tomando o valor do carro ou imóvel como critério. Experimente estipular a partir dos dois parâmetros, ok? Isso tende a ajudar na escolha de um plano que se adéqua melhor à sua realidade financeira.

Também é possível realizar a compra das chamadas "cotas contempladas". É possível encontrar esse tipo de oferta por meio de anúncios feitos pelos donos das cotas, por terceiros ou pelas empresas que oferecem esse serviço. Mas vale lembrar que é preciso ter alguns cuidados ao realizar esse tipo de transação.

Adquirir uma cota de consórcio desde a formação do grupo pode ser benéfico para o seu orçamento, já que é possível saber, desde o início, as condições e os valores, bem como ter uma noção exata do funcionamento da administradora, suas normas, entre outros. Por isso, considere qual a melhor alternativa para você.

O que analisar antes de contratar um consórcio?

Antes de mais nada, certifique-se de que você está lidando com uma administradora idônea e com credibilidade no mercado. Isso vale não apenas para consórcios, mas para qualquer contrato, afinal, é sempre importante fazer negócio com quem se pode confiar. Certifique-se de que a administradora é autorizada pelo Banco Central.

Passada essa fase, analise as condições do contrato: compare prazos e taxas para escolher aquele grupo que apresente as condições ideais para o seu caso. Vale destacar que, se você comprar uma carta de crédito e o bem adquirido tiver um valor menor do que o previsto, o dinheiro não é perdido.

É possível usar essa diferença, por exemplo, para pagar a documentação do bem ou ainda para quitar as próprias parcelas do consórcio. Existe outra possibilidade: se você tem flexibilidade para adquirir um bem com valor menor do que o previsto, pode usar essa diferença para dar um "lance embutido", isto é, usar parte do valor da carta de crédito como forma de pagamento do lance.

Assim, imagine que você entrou num consórcio de veículos e o valor da sua carta de crédito é de R$70 mil, mas pretende comprar um carro de R$55 mil. É possível ofertar um lance e utilizar parte da carta de crédito como forma de pagamento, já que receber uma carta de crédito menor não vai influenciar na aquisição que deseja fazer. Vale lembrar que é necessário consultar quais são as possibilidades de oferta de lance no seu contrato de adesão.

É possível desistir ou transferir uma cota?

Caso você desista do consórcio durante seu andamento, seu dinheiro será devolvido com as reduções e as condições previstas em contrato. Por isso, é importante ler o contrato atentamente e entender quais são essas condições antes de assinar.

O mesmo vale se desejar transferir sua cota para outra pessoa, vendendo-a a fim de recuperar os recursos investidos. Depois de saber as regras de sua administradora para essas situações, veja o quanto já foi pago por essa cota.

Nos casos em que a cota já foi contemplada, observe o valor do crédito disponível. As parcelas que faltam ser pagas também devem ser consideradas na hora de precificar. Algumas regras gerais para esse procedimento são:

  • ter conhecimento da situação geral da cota que está vendendo e informá-la corretamente ao comprador;
  • apresentar o extrato da cota;
  • consultar a administradora do grupo para saber de eventuais custos adicionais ou taxas para esse tipo de operação.

É permitido vender uma cota de consórcio?

Sim, existe essa possibilidade tanto para cotas que já foram contempladas quanto para aquelas que ainda não foram sorteadas. Essa é uma saída quando nos vemos em dificuldades financeiras que impedem a continuidade do pagamento das parcelas ou ainda quando nossos planos mudam.

No entanto, é preciso lembrar que, assim como qualquer outro compromisso de longo prazo, entrar em um consórcio exige planejamento financeiro. O consorciado inadimplente não pode participar das assembleias, dos sorteios, votar e efetuar lances, além de ter que pagar eventuais juros e multas sobre os valores das parcelas.

Agora, para vender uma cota de consórcio, é preciso, primeiro, encontrar um interessado em comprá-la. Pode ser uma pessoa física, como um amigo ou conhecido, ou uma empresa especializada nisso. Nesse último caso, é fundamental avaliar a idoneidade da organização para evitar problemas futuros.

Além disso, faça as contas para se certificar de que o valor oferecido pela cota vale a pena. As cotas já contempladas costumam receber ofertas mais vantajosas. Ainda assim, vale destacar que, caso esteja vendendo a sua cota para uma empresa, ela a revenderá para outra pessoa e vai querer ter lucro, ou seja, o valor oferecido a você provavelmente não será tão alto.

Como fazer essa transferência legalmente?

Após chegar a um acordo com o comprador sobre valores, é preciso entrar em contato com a administradora do consórcio e se informar sobre os procedimentos para fazer a transferência. É importante lembrar que a própria administradora precisa autorizar a transferência.

Em geral, a transferência é permitida para cotas contempladas e não contempladas. Dependendo do processo, a administradora pode realizar a avaliação da capacidade financeira do comprador interessado em assumir esse compromisso, bem como solicitar a apresentação de garantias. Isso pode variar de acordo com a situação da cota, por isso, é importante verificar o que consta no contrato de adesão.

Caso tenha parcelas em atraso e não exista a possibilidade de quitá-las, você pode tentar negociar com o comprador para que ele assuma esses valores atrasados, descontando-o do valor total de venda. Seja qual for o trato, só feche o negócio e transfira os valores depois da autorização da administradora.

Tendo em vista todas essas informações sobre cota de consórcio, você já tem tudo o que precisa para tomar uma decisão bem mais informada sobre o tema. Se a independência financeira está entre os seus objetivos, faz sentido escolher o melhor caminho para chegar até esse fim. Lembre-se de priorizar as possibilidades que se encaixam no seu perfil.

Sabendo dessas informações, você está apto a analisar bem as categorias e eleger um plano que combine com as suas ambições e necessidades. Assim, uma cota de consórcio pode se tornar a realização de um sonho.

E então, gostou do artigo? Aproveite para aprender mais sobre esse universo conferindo este nosso artigo com o glossário do consórcio e os principais termos com significados!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
monetization_on
Consórcio

Saiba como funciona a contemplação no consórcio

monetization_on
Consórcio

Consórcio para pequenas empresas: como usar para gerar expansão?

monetization_on
Consórcio

Lance fixo no consórcio: esclareça as suas principais dúvidas!