Franquia de seguro: entenda o que é e como funciona

Na dúvida sobre como funciona uma franquia de seguros? Neste post a gente explica tudo. Confira!
  • Atualizado em November 4, 2021
  • Publicado em September 24, 2019
  • Planejamento Financeiro

A franquia de seguros é a participação obrigatória do segurado em um sinistro, ou seja, é o valor que ele deve pagar em determinados tipos de sinistro para que a seguradora realize os reparos devidos.

Esse é um tema que ainda gera muitas dúvidas, como quando a cobrança pode ser feita, quais são os modelos de franquia e se vale a pena arcar com esse custo.

Neste post, vamos explicar o que é franquia de seguro, quando ela pode ser aplicada e quais são seus tipos, como franquia ampliada, básica e reduzida. Continue lendo e fique por dentro do assunto!

O que é franquia de seguros?

Franquia de seguros nada mais é do que a participação obrigatória do segurado para que o bem para o qual contratou o seguro, seja veículo, residência ou condomínio, seja reparado em eventos de sinistro que tenham cobertura na sua apólice.

No caso específico do seguro auto, uma pessoa que fez a contratação e sofreu uma batida leve no seu carro, por exemplo, aciona o seguro e, para fazer o reparo, deve arcar com a franquia estipulada no seu contrato. Nessa situação, o valor é pago diretamente à oficina mecânica após a seguradora aprovar os reparos e autorizar o serviço.

Quando a franquia deve ser paga?

Uma das principais dúvidas de quem pensa em contratar um seguro é quando a franquia deve ser paga. Para esclarecer essa questão, listamos abaixo os tipos de sinistro que exigem o pagamento desse valor e aqueles nos quais a franquia não se aplica. Confira!

Sinistro integral

Nesse tipo de sinistro em automóveis, o bem é considerado irrecuperável ou os danos superam 75% do seu valor. Dessa forma, o segurado tem direito a ser ressarcido sem precisar pagar a franquia do seguro.

A franquia também não deve ser paga quando o veículo é furtado ou roubado e não é recuperado.

Sinistro parcial

O sinistro parcial é quando os danos no bem segurado são inferiores a 75% do seu valor. Nesse caso, o pagamento da franquia de seguro é obrigatório.

Esse tipo de sinistro pode acontecer, no caso de veículos, quando há situações como causas naturais, colisões ou furtos e roubos. Ele é considerado parcial quando o automóvel é recuperado, mas tem avarias, por exemplo.

Sinistro com envolvimento de terceiros

Outro tipo de sinistro é aquele que envolve terceiros. Caso a pessoa tenha um seguro para o seu carro e se envolva em um acidente de trânsito com outro veículo, por exemplo. No entanto, é preciso que o seguro contratado contemple danos a terceiros em sua cobertura.

Sinistro de imóveis

No seguro de imóveis, a existência da franquia pode variar conforme as coberturas que você contratou. Por isso, é interessante ter em mãos a apólice do seu seguro, que é um direito seu ou ainda conversar com o seu corretor de seguros que é a pessoa legalmente constituída para intermediar o seguro entre o cliente e a seguradora.

Quando não preciso pagar a franquia do seguro?

A isenção da franquia é uma possibilidade oferecida em alguns casos. Além de conferir essa particularidade do seu contrato, em caso de dúvidas, é recomendado buscar informações diretamente com a sua seguradora.

No caso da cobertura de veículos, os casos mais comuns de isenção são:

Acidente com perda total

A perda total é definida quando, após um acidente, os danos a serem consertados correspondem a 75% ou mais do valor do veículo. Nesse caso, é feita uma análise do custo-benefício e significa que os estragos foram muito grandes e não compensaria mais arrumá-lo. A seguradora devolve o valor integral da Tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas)

Esse é o caso mais comum, pois como não há reparos a serem feitos, não há motivo para que a franquia seja cobrada. Como resultado, o segurado não tem nenhum custo adicional e recebe o valor integral da apólice contratada.

Vítima de roubo ou furto e o veículo não foi recuperado

Esse exemplo é semelhante à situação de perda total. Caso o segurado tenha sido vítima de roubo ou furto sem a recuperação do veículo, não haverá cobrança da taxa de franquia. Quando isso acontece, o segurado deve comunicar o crime o mais rápido e após o registro do boletim de ocorrência, a polícia tem até 30 dias para encontrar o veículo.

A seguradora também deve ser notificada e vai acompanhar as investigações. Ao final do prazo, se o veículo não for encontrado, o cliente receberá o valor estipulado na apólice de acordo com o preço atualizado que corresponde a 100% da tabela FIPE.

Sinistro com valor inferior a franquia do seguro

Essa é uma das cláusulas que o contratante do seguro deve prestar atenção. Em caso de acidentes cujos reparos sejam inferiores a franquia, não haverá cobrança de franquia. Contudo, o proprietário do carro é responsável pelo pagamento dos reparos.

Danos causados por terceiros

Ao se envolver em um sinistro é sempre necessário identificar de quem é a responsabilidade pelo acidente. Nesse caso, cabe a quem causou o acidente arcar com os reparos. Se essa pessoa possuir o próprio seguro, este deve ser acionado para lidar com o conserto.

Se o responsável não for segurado, a sua seguradora cobrirá os gastos, porém ira cobrar o ressarcimento de quem causou o acidente.

Queda de raio

Essa é uma das situações imprevisíveis e que podem causar prejuízos graves. Por isso, a contratação de uma apólice de seguro completa é uma boa prática. Nesse caso, o segurado estará isento da cobrança de franquia e a seguradora assume a responsabilidade pelos reparos ou pelo valor do reembolso caso o veículo seja declarado como perda total.

Vale destacar que os seguros residenciais básicos não são incluídos nessa regra. Por outro lado, os pacotes com proteção mais ampla pode conter cláusulas que preveem a cobrança de franquia.

Quais são os tipos de franquia de seguros para automóveis?

Agora que você sabe quando a franquia de seguros deve ou não ser paga, é importante entender quais são as modalidades para escolher a mais adequada às suas necessidades. Entre as franquias de seguro disponíveis estão a básica, a ampliada e a reduzida. Veja como funciona cada caso abaixo.

Básica

A franquia de seguros básica é a mais comum nas apólices. Nela, o segurado deve contribuir financeiramente nos prejuízos indenizáveis por evento, como uma batida leve, no caso do seguro de automóvel.

Ampliada

A franquia ampliada é aquela que tem valor de mais de 100% da opção básica. A porcentagem pode chegar até a 200%. Ao contratar um seguro com a franquia ampliada, o segurado tem maior participação financeira nos prejuízos indenizáveis. Por outro lado, tem maior desconto no valor do seu seguro.

Qual a vantagem da franquia reduzida?

No decorrer deste texto já apresentamos os detalhes da franquia e como funciona a sua aplicação em caso de sinistro. Além do modelo normal, existem seguradoras que oferecem uma opção chamada de franquia reduzida.

Quem opta pela franquia de seguros reduzida paga 50% do valor da versão básica. Nessa situação, o contratante tem menor participação nos prejuízos passíveis de indenização. No entanto, o valor cobrado pelo seguro é mais alto.

Antes de contratar o seu seguro, é importante ter em mente que, geralmente, o valor da franquia equilibra o preço final do produto. Ou seja, quanto menor a franquia e ou participação no sinistro a ser paga pelo segurado, maior será o valor da apólice do seguro.

Como saber qual é o melhor tipo de franquia?

Diante das opções de franquia disponíveis no mercado, podem surgir dúvidas sobre qual contratar. Algumas dicas são úteis para orientar a decisão.

Uso do veículo

Quem roda muito com o carro ou o utiliza para trabalhar tem, em tese, mais chances de ter que acionar o seguro. Nesses casos, vale a pena contar com uma franquia reduzida, ainda que isso implique em uma apólice de seguro mais cara.

Se você sai com seu veículo com menor frequência, pode cogitar um seguro com a franquia básica, já que não vale a pena pagar mais pela apólice diante de uma probabilidade menor de acidente.

Situação financeira

Outro ponto importante diz respeito à sua situação financeira. Se você tem um orçamento mais apertado no dia a dia, uma franquia menor pode significar um alívio significativo no bolso caso seja necessário contar com a cobertura contratada.

Por fim, a franquia ampliada é mais recomendada para as pessoas que desejam ter a proteção de um seguro, mas que não podem desembolsar um valor elevado na apólice.

Quais cuidados a observar na hora da contratação do seguro auto?

Independentemente do tipo de franquia presente no seguro auto, vale uma dica: dirigir com cuidado é a melhor forma de obter cotações melhores na hora da contratação, já que as seguradoras levam esse histórico em conta para determinar os preços cobrados.

Não omitir informações na hora de fazer a cotação também ajuda você a obter preços condizentes com sua realidade, sem que isso vire um problema no futuro.

Quais coberturas contratar?

Assim como escolher o tipo de franquia, definir quais coberturas incluir ou excluir da apólice pode ser uma tarefa difícil para o motorista na hora de fechar negócio e garantir a proteção do seu veículo.

Novamente, avaliar suas necessidades e o quanto você gostaria de desembolsar por esse serviço costuma ser o caminho mais fácil para acertar nessa decisão. Com isso em mente, priorize os seguintes pontos:

  • conheça quais são as coberturas básicas (também chamadas de compreensivas);
  • avalie as coberturas adicionais;
  • considere a necessidade de serviços como carro reserva ou guincho 24 horas;
  • saiba qual é a área de abrangência da apólice.

Por fim, acompanhe com cuidado todas as cláusulas da apólice. Elas contemplam detalhes importantes do seguro, que vão afetar a utilização quando for necessário. Não assine até sanar todas as suas dúvidas e não hesite em esclarecer todos os pontos.

Sempre vale a pena pagar a franquia?

Há situações em que a franquia deve ser paga para que o segurado possa realizar os devidos reparos em sua casa ou carro. No entanto, dependendo do valor cobrado para o conserto, pode não valer a pena acionar o seguro. Os valores de franquia de seguro residencial são iguais para todos. Já no automóvel o valor da franquia é definida pelo modelo de carro. Por isso, essa taxa varia bastante.

É importante avaliar se realmente é interessante abrir um chamado de sinistro. A regra é simples: recorrer à seguradora só vale a pena se o valor do conserto/reparo for superior à franquia do seguro contratado.

Outro ponto a ser considerado na hora de recorrer ou não à seguradora em caso de sinistro é o bônus que você pode receber por usar pouco (ou não usar) o seguro. Muitas seguradoras fazem uma classificação dos seus segurados de acordo com o número de vezes que eles acionaram os seus serviços. Pessoas que não se envolvem em sinistros, ou simplesmente não acionam o seguro para nenhuma ocorrência, podem receber descontos no valor da sua apólice futura.

Ou seja, pode valer a pena arcar de forma integral com o valor de determinados reparos, quando o custo está abaixo da franquia ou mesmo ligeiramente acima, já que essa atitude preserva o desconto que você conseguirá nas negociações futuras.

Agora que você sabe o que é uma franquia de seguros e como ela funciona, pesquise e leia atentamente as opções oferecidas pela sua seguradora para escolher aquela que vale mais a pena para o seu perfil e as suas necessidades. Assim, você terá o respaldo necessário caso algum imprevisto atinja seu bem. Isso dá a tranquilidade necessária para aproveitá-lo da melhor forma possível.

Se você tem curiosidade de saber mais detalhes sobre os cuidados que os proprietários de veículos devem tomar, nós temos vários posts em nosso blog. Confira o nosso artigo sobre a depreciação de veículo e como funciona o cálculo.
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Planejamento financeiro do casal: 9 ideias para executar em casa

attach_money
Planejamento Financeiro

Vale a pena investir em criptomoedas? Veja os benefícios e entenda se você tem perfil

attach_money
Planejamento Financeiro

Investir em startup: benefícios, riscos e como fazer de maneira ideal