Meu Primeiro Imóvel

Casa para casal sem filhos: como escolher a melhor opção?

Aprenda a identificar suas necessidades e perfil, para então escolher o melhor imóvel possível!

Hoje em dia, o número de famílias formadas por duas pessoas tem aumentado. Há casais que não querem ter filhos e aqueles que somente estão adiando esse momento, mas ambos têm necessidades diferentes dos casais com crianças.

Uma casa para casal sem filhos depende do estilo de vida dos moradores. Pensando nisso, criamos este post para ajudar você a identificar suas necessidades e perfil, para então escolher o melhor imóvel possível. Continue a leitura e confira!

Escolas

É normal que pessoas com filhos optem por morar perto de boas escolas, para que não precisem se locomover muito na hora de levar e buscar as crianças — ou para que, dependendo da idade, elas possam fazer o trajeto sozinhas.

Geralmente, os valores de aluguel e compra dos imóveis próximos a escolas podem ser influenciados, ficando um pouco mais caros.

Se você não pretende ter filhos em um futuro próximo, evite morar em regiões próximas a escolas. Muitas delas acabam sendo ruidosas, além de apresentar congestionamentos no trânsito na hora de entrada e saída.

Rotina

Se você trabalham bastante e ficam pouco tempo em casa, não há motivo para morar em um imóvel muito grande. Por isso, apartamentos menores podem funcionar bem para vocês.

O casal sem filhos que trabalha bastante é o tipo que mais pode se beneficiar de um apartamento pequeno, porém bem localizado — próximo ao trabalho, supermercados e restaurantes.

Assim, é possível focar em diminuir o tempo de locomoção entre o lar e os compromissos, o que impacta significativamente na qualidade de vida do casal, bem como diminui os gastos em transporte e combustível.

Economia

Casais sem filhos são os que mais conseguem economizar na hora de juntar dinheiro para realizar um sonho, como adquirir a casa própria. Isso porque eles são mais organizados e sóbrios com seus gastos, e não contam com todas as despesas extras de quem tem crianças.

Se o seu foco é economizar, você pode optar por morar em um apartamento pequeno, em um prédio com poucas comodidades — ou seja, com um valor baixo de condomínio e em um bairro que não seja tão caro.

Comodidades

Hoje em dia, existem muitos condomínios com ótimas áreas comuns voltadas para os adultos, contendo academia, churrasqueira, entre outros. Se você gosta de morar em lugares bem equipados, essa é a melhor opção para você.

Embora o valor do condomínio seja mais caro, se você sabe que vai usufruir bastante dessa infraestrutura, vale a pena pagar por isso. Afinal, você não terá que arcar com a mensalidade de uma academia externa, nem gastará tempo e dinheiro deslocando-se até ela.

Animais de estimação

Dependendo do animal de estimação que você tem ou pretende ter, é melhor optar por uma casa, e não por um apartamento. Cães de grande porte, por exemplo, precisam de bastante espaço para gastar suas energias.

Quem tem mais de dois gatos também pode se beneficiar mais morando em uma casa, ou pelo menos em um apartamento com bastante espaço e com telas, para evitar acidentes com os bichinhos.

Cães pequenos, coelhos, hamsters e pássaros, por exemplo, são pets que cabem em todo lugar.

Hóspedes e visitas

Para algumas famílias, poder receber a visita de amigos e familiares com frequência é uma prioridade. Nesse caso, é preciso levar em conta o perfil de seus visitantes para escolher um imóvel compatível.

Em uma casa para casal sem filhos, geralmente, basta ter somente um quarto. No entanto, se você e sua esposa gostam de receber hóspedes, ou têm familiares que moram longe e costumam visitar, é fundamental levar isso em conta.

Apartamentos com dois quartos são mais caros do que os que têm somente um. Mas, enquanto não estiverem recebendo ninguém, vocês podem utilizar o quarto extra para desenvolver algum hobby com mais privacidade: leitura, bordado, prática de instrumentos musicais, jogos, entre outros.

Tipo de bairro

Na hora de escolher onde morar, um dos pontos mais importantes é compreender o tipo de bairro em que seu novo imóvel estará localizado, sendo que cada um tem suas vantagens.

Os bairros residenciais costumam ser muito mais sossegados, com menos trânsito, por exemplo — o que significa menos barulho e poluição. Em geral, os imóveis são maiores. Para quem gosta de morar em sobrado, a oferta é bem maior nesse tipo de bairro.

Sua desvantagem é que será necessário se locomover mais, seja de carro ou de ônibus, para ter acesso à maioria dos comércios e serviços.

A faixa de preço dos imóveis em bairros residenciais varia muito. Alguns bairros apresentam alto padrão, sendo mais caros que os comerciais. Outros, por ficarem mais afastados das áreas importantes da cidade, têm alugueis baixos.

Os bairros comerciais são exatamente o oposto. Neles, é possível ter acesso a uma grande variedade de lojas e serviços com facilidade. Porém, nessas áreas há mais trânsito e os imóveis são menores.

Segurança

Seja uma casa para casal sem filhos ou não, é fundamental morar em uma região segura. Por isso, mesmo que o seu foco seja economizar dinheiro, pesquise bastante se a área escolhida tem muitos assaltos ou se fica próxima a locais perigosos.

Muitas vezes, são anunciadas ótimas casas a preços baixos, porque elas ficam em uma localização ruim. No entanto, nem todos os imóveis baratos estão em áreas perigosas. É preciso procurar bastante.

Também é muito importante procurar saber se o prédio em si é seguro — ou seja, se conta com câmeras, se há alguém para verificar quem entra e sai.

Agora que você já sabe o que deve considerar na escolha da casa nova, que tal aprender a selecionar o revestimento ideal para ela? Leia nosso post sobre o assunto!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.