Meu Primeiro Imóvel

Comprar casa para alugar: será que essa estratégia vale a pena?

Está em dúvida se comprar casa para alugar é um bom investimento? Veja como adotar essa estratégia!

Investidores estão sempre de olho no mercado imobiliário, principalmente por conta da possibilidade de segurança patrimonial e da boa rentabilidade. Mas será que de fato vale a pena comprar casa para alugar?

Neste artigo, nós vamos analisar as respostas para esta questão, buscando orientá-lo no melhor caminho para adotar essa estratégia de investimento. Confira:

Características gerais dos investimentos

O primeiro aspecto a ser considerado diz respeito às características gerais dos investimentos, que devem ser confrontadas com aquelas que são específicas dos imóveis.

Nesse sentido, convém observar que qualquer investimento pode ser analisado a partir de três pontos de vista que dizem respeito à rentabilidade, ao risco e à liquidez que a aplicação oferece.

Ora, é possível dizer que a boa rentabilidade na maioria das vezes está associada aos investimentos de alto risco. Portanto, o inverso também costuma ser verdadeiro: investimentos muito seguros normalmente são pouco rentáveis.

Seguindo outra linha de raciocínio podemos confrontar a rentabilidade com a liquidez. Por esse ponto de vista é possível dizer que investimentos seguros e que apresentam boa rentabilidade costumam exigir um longo prazo de aplicação, o que torna a liquidez reduzida.

O ideal seria que um investimento fosse muito rentável, que fosse seguro e apresentasse boa liquidez. Porém, dificilmente é possível agrupar em uma mesma aplicação as três qualidades em alto nível.

Veja o exemplo da Caderneta de Poupança, que é um investimento seguro, que tem ótima liquidez, mas que não apresenta boa rentabilidade. O mercado de ações, por sua vez, também tem boa liquidez, pode apresentar ótima rentabilidade, mas é de alto risco.

Os fundos de renda fixa, em outra medida, são seguros, podem apresentar boa rentabilidade, mas exigem longos prazos de aplicação para que sejam verdadeiramente compensadores.

Fazer um investimento em imóveis

Os imóveis são investimentos que oferecem uma grande segurança patrimonial. Diferentemente das aplicações bancárias e das ações das empresas que são representadas por registros de transações e por documentos, os imóveis significam bens concretos que são palpáveis.

Ao mesmo tempo, ainda que não tenha liquidez imediata e que esta sofra influência direta da situação econômica do país, um imóvel com o valor adequado para o mercado em que ele está inserido, que seja ofertado para o público certo, sempre encontra um comprador interessado.

Portanto, podemos afirmar que um imóvel é um investimento bastante seguro e que apresenta liquidez razoável. Porém, pelo ponto de vista da rentabilidade, talvez esse tipo de aplicação não esteja passando pelo melhor momento no Brasil.

Comprar casa para alugar x aplicações

É fato que a remuneração que imóvel oferecerá ao seu proprietário dependerá de uma série de fatores que influenciarão o valor da locação. Contudo, é possível dizer que, na média, os aluguéis estão pagando mensalmente cerca de 0,5% do valor do imóvel.

Isso significa que um que custe R$ 500 mil poderá ser alugada por algo em torno de R$ 2,5 mil por mês. Se no lugar de comprar casa para alugar, com os mesmos R$ 500 mil for feito um investimento em CDB, por exemplo, que em junho de 2017 pagou próximo de 0,7% no mês, a rentabilidade seria de R$ 3,5 mil. Ou seja, R$ 1 mil a mais do que o aluguel.

Porém, é preciso observar os investimentos de renda fixa, como o CDB, também sob o ponto de vista da segurança.

Ainda que aplicação do nosso exemplo seja garantida pelo Fundo Garantidor do Crédito (FGC), que é o mesmo que garante a Caderneta de Poupança, é preciso ressaltar que esta garantia se limita a R$ 250 mil de um mesmo cliente e que esteja sob a guarda de um único banco.

Ou seja, os outros R$ 250 mil da aplicação exemplificada ficariam descobertos ou teriam que ser investidos em outro banco. Além disso, é preciso considerar que o valor aplicado não sofreria nenhuma valorização patrimonial, a não ser aquela oferecida pela rentabilidade do período.

Investir em patrimônio e valorização

Os imóveis, por sua vez, são reconhecidos como um patrimônio sólido que apresenta real capacidade de valorização. Sendo assim, além da rentabilidade proporcionada pelo aluguel, também é preciso considerar o aumento do valor patrimonial que o imóvel apresenta ao longo do tempo.

De fato, a valorização de um imóvel depende de uma série de circunstâncias que, em grande medida, estão associadas a questões localizadas de mercado. Portanto, existem locais onde os imóveis perderam valor no último ano, ao passo que outros valorizaram muito pouco. Todavia, há aqueles onde a valorização foi extrema.

Por exemplo, de acordo com o site Agente Imóveis, especializado em avaliações imobiliárias, o preço por metro quadrado de imóveis em Ipanema, no Rio de Janeiro, não sofreu variação entre junho de 2016 e junho de 2017. Já no bairro Santa Teresa, também no Rio, os imóveis perderam, em média, 5% do valor em um ano.

Por outro lado, na contramão das tendências de estabilidade ou de baixa, os imóveis localizados no bairro Sion, em Belo Horizonte (MG), alcançaram valorização de 12% em um ano!

Isso representa uma valorização média de 1% ao mês que, acrescida dos 0,5% de remuneração do aluguel, chegaria a 1,5% ao mês, o que é excelente mesmo para as aplicações mais rentáveis.

Diante desse fato, vale uma dica: para aproveitar as boas oportunidades de mercado é preciso pesquisar bastante. Isso torna possível encontrar um imóvel que ofereça boa perspectiva de valorização e que também alcance um bom preço de aluguel.

Avaliar o mercado

Outro ponto que deve ser visto com cuidado por quem deseja comprar uma casa para alugar diz respeito às perspectivas dos mercados de locação existentes, considerando os tipos dos imóveis e os lugares onde eles estão situados.

Nesse aspecto é importante destacar que há locais em com grandes ofertas onde muitos imóveis permanecem fechados por longo tempo, sem encontrar inquilinos, o que significa prejuízo para o proprietário.

Por isso é essencial buscar casas onde o mercado de locação esteja aquecido. Nesse sentido, as locações por temporada — que são aquelas firmadas por prazo inferior a 90 dias — podem ser uma excelente alternativa.

Vale destacar que, mesmo não permanecendo alugados pelo ano inteiro, os imóveis de locação por temporada podem oferecer remuneração média mensal maior do que aqueles de locação permanente.

Além disso, considerando os atrativos da cidade onde ele está localizado, é possível dizer que a locação é certa naqueles períodos de maior procura, o que também garante a rentabilidade.

Apostar em investimentos de longo prazo

Outro ponto a ser considerado é o prazo de permanência do investimento em um imóvel que, preferencialmente, deve ser longo. Esta é uma característica muito interessante, uma vez que a ela pode ser aliada a alguma linha de crédito que permita parcelar a compra também em longo prazo.

Por exemplo, se você fizer um consórcio para adquirir uma casa para alugar e for contemplado por sorteio ou por lance, poderá comprar o imóvel imediatamente. Assim, com o recurso do aluguel recebido, será capaz de arcar com as parcelas do consórcio. Ou seja, o próprio imóvel gerará os recursos para que ele seja pago, o que é um excelente negócio.

Agora que você já tem informações suficientes para analisar se vale a pena comprar casa para alugar, veja também o nosso infográfico sobre as diferenças entre consórcio e financiamento e saiba as vantagens de cada modalidade de aquisição.