Meu Primeiro Imóvel

7 erros ao contratar um consórcio imobiliário: veja como evitá-los!

Conheça os principais erros que devem ser evitados ao contratar um consórcio imobiliário e faça um investimento seguro.

A contratação de um consórcio é sempre uma boa alternativa para quem busca adquirir bens e serviços sem pagar os juros que um empréstimo comum cobraria. No entanto, apesar de ser um processo relativamente simples, alguns cuidados precisam ser tomados na hora de escolher o seu investimento.

Por esse motivo, reunimos uma lista com os principais erros que devem ser evitados por quem está pensando em contratar um consórcio imobiliário. Assim, você poderá investir com segurança e garantir um bom retorno financeiro. Continue a leitura e anote nossas dicas!

1. Não pesquisar sobre a administradora do consórcio

Muitas pessoas são atraídas por propostas fáceis e contratam um consórcio imobiliário sem fazer uma pesquisa prévia sobre o histórico da empresa. No entanto, antes de realizar qualquer investimento, é fundamental verificar se a administradora tem autorização para operar no mercado.

Faça uma investigação na internet e converse com pessoas mais experientes no assunto. Uma boa prática para evitar erros ao contratar um consórcio imobiliário é acessar o ranking de reclamações de todas as administradoras, presente no site do Banco Central, instituição que regula o sistema de consórcio.

2. Contratar um consórcio sem planejamento

Uma boa prática para garantir uma negociação segura é fazer um planejamento financeiro antes de entrar no grupo, levando em consideração quais serão os seus gastos durante o prazo do consórcio. Essa prática é importante porque evita que você seja surpreendido com despesas extras e não tenha reserva financeira para pagá-las.

Nesse sentido, o ideal é escolher o crédito e parcelas de acordo com a renda. Com o planejamento financeiro adequado ao seu orçamento, maiores são as chances de conquistar seus objetivos e chegar ao final do consórcio sem contratempos.

3. Atrasar o pagamento das parcelas

Quando as parcelas de algum consorciado ficam atrasadas, a administradora pode recorrer às ações previstas em contrato para resguardar o poder de compra do grupo. Dentre as práticas de mercado, o consorciado não contemplado com parcelas atrasadas não concorrerá na assembleia, além de estar sujeito ao pagamento de multas e juros. A inadimplência, em alguns casos, também poderá levar ao cancelamento da cota.

Se o consorciado contemplado ainda não adquiriu o bem, a inadimplência poderá causar o cancelamento da contemplação e até mesmo da cota, além de ser um fato que poderá impedir a liberação do crédito para a aquisição do bem.

Já para o consorciado contemplado que adquiriu o bem, estar em dia com as parcelas é fundamental para evitar o pagamento de encargos de mora e eventuais despesas referente à cobrança dos valores em atraso, bem como a retomada do bem ofertado como garantia.

Ao ter a cota cancelada, na legislação vigente, o consorciado deverá aguardar a contemplação para reaver o dinheiro investido. É importante frisar que será cobrada uma multa pelo cancelamento que, geralmente, gira em torno de 10% sobre o fundo comum pago.

4. Não observar as taxas do investimento

A contração do consórcio envolve alguns custos adicionais que devem ser levados em consideração.

É necessário efetuar o pagamento de uma taxa à empresa administradora do consórcio. Outro fator que também deve ser levado em consideração é o valor para assegurar o chamado fundo de reserva, que tem por objetivo garantir o funcionamento do grupo, cobrindo despesas e eventuais inadimplências por parte dos investidores.

Algumas administradoras também oferecem o seguro que, quando contratado, é um benefício para o consorciado ou herdeiro em caso de sinistro.

Para se manter em dia com o consórcio, é importante conhecer cada valor que será cobrado, pois somente assim você poderá custear o investimento sem ter complicações futuras. Por isso, para evitar imprevistos, informe-se sobre as taxas que compõe a parcela e inclua todas elas no seu planejamento financeiro.

5. Não acompanhar as assembleias do grupo

As assembleias são reuniões mensais, presenciais ou online, que ocorrem entre os consorciados de um grupo e a respectiva administradora do consórcio. De acordo com a Lei 11.795/2008, os grupos de consórcio só são de fato constituídos após a realização da primeira assembleia.

O objetivo principal da assembleia é a contemplação dos consorciados. No entanto, nessas reuniões também são tratados outros assuntos de interesse exclusivo do grupo, como a prestação de contas da administradora, por exemplo.

Verifique no contrato de adesão do plano o calendário e acompanhe sempre que possível. Algumas administradoras deixam disponíveis aos consorciados a gravação das assembleias, uma facilidade a mais aos clientes que não têm condições de acompanhar ao vivo.

6. Desconsiderar os reajustes

O valor das cotas não é eternamente fixo, pois, conforme o bem ou serviço escolhido, ele poderá sofrer a influência de determinados índices legais. Na verdade, esse reajuste é necessário para que a carta de crédito escolhida não perca o seu poder de compra no mercado.

Por exemplo: é possível que um consórcio para compra de um imóvel tenha suas parcelas atualizadas pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Nesse sentido, a administradora pode atualizar o valor do crédito e, consequentemente, das parcelas.

A grande vantagem é que, analisando tudo isso previamente, você fica preparado para efetuar o pagamento dentro do vencimento, sem que isso comprometa a sua renda mensal e garante o seu poder de compra ao longo do plano de consórcio.

7. Ter pressa na contemplação do consórcio imobiliário

Quem busca investir em um consórcio deve estar ciente de que essa é uma modalidade de longo prazo. Dessa forma, não é recomendado que você invista se estiver precisando adquirir bens ou serviços com urgência.

As contemplações são feitas a partir de sorteiros entre os consorciados. Caso você queira ter uma chance dupla e não depender apenas da sorte, poderá ofertar um lance.

Portanto, apesar de a contemplação ser garantida, não há prazo certo para que isso ocorra. Por isso, é fundamental que você tenha paciência durante o prazo do investimento, assim você evitará aborrecimentos desnecessários.

Agora que você já sabe quais são os principais erros ao contratar um consórcio imobiliário, faça um bom planejamento financeiro e analise as opções antes de investir. Dessa maneira, você terá a certeza de que fez um bom negócio e garantirá um retorno financeiro que atenda as suas expectativas!

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue em nosso blog e tire todas as suas dúvidas! Aqui, você encontrará diversos materiais claros e objetivos que o ajudarão a investir e criar um patrimônio. Aproveite e entenda melhor como investir em um consórcio para comprar um imóvel e sair definitivamente do aluguel!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.