Meu Primeiro Imóvel

Quanto preciso para comprar um apartamento? Confira!

Você sabe quais os custos de comprar um apartamento? Explicamos todos os detalhes neste texto. Confira!

Você já se perguntou "quanto preciso para comprar um apartamento"? Essa é uma dúvida comum para muitas pessoas que estão em busca do seu primeiro imóvel próprio.

Como são vários custos envolvidos — mão de obra, decoração, instalações etc. — pode ser difícil achar uma resposta pronta, que sirva para todos os casos. Por isso, criamos este texto.

Durante a leitura, você encontrará um panorama sobre o tema, com os principais gastos ligados à aquisição de um apartamento. Acompanhe até o fim para saber mais e aproveite o conteúdo!

Afinal, quanto preciso para comprar um apartamento?

Em primeiro lugar, é preciso considerar que pagar somente pelo apartamento não basta, porque há diversas despesas relacionadas à compra. Sendo assim, se você está se planejando apenas com o valor que o proprietário ou a construtora estão cobrando, é melhor refazer as contas.

Para facilitar, preparamos uma listagem com os principais gastos para comprar o seu imóvel — eles estão separados em categorias. Veja, a seguir, quais são e as quantias que representam.

Documentações e impostos

O Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) é cobrado para a transferência da propriedade, e quem paga é o comprador. A taxa é aplicada sobre o valor do imóvel e muda de acordo com a cidade. Portanto, não se esqueça de verificá-la na prefeitura.

Outro documento fundamental é o Registro de Compra em Cartório. O montante exigido para emiti-lo varia conforme o estado e o preço do imóvel. Há, ainda, a escritura, que funciona como um contrato de compra e venda — o seu preço é definido por tabela, respeitando a faixa de valor do imóvel.

O jogo de certidões, por sua vez, não é obrigatório. Porém, o recomendado é não abrir mão dele, já que serve como garantia de que o proprietário não tem apontamentos em seu nome. Alguns despachantes cobram algo em torno de R$800 para realizar esse serviço. De modo resumido, pode-se dizer que todos esses gastos são equivalentes a um total que se aproxima de 5% do preço do apartamento.

Mudança

Você não vê a hora de morar no apartamento novo, não é mesmo? Contudo, para chegar até lá, será necessário sair de onde você reside atualmente. Por mais óbvio que isso pareça, muitos se esquecem de levar em conta o gasto com a mudança. O valor cobrado pelas empresas que atuam no ramo depende de algumas variáveis, como:

- a distância entre os imóveis;
- a quantidade de móveis, volumes e bagagem;
- os serviços agregados (empacotamento, proteção de objetos frágeis etc.);
- o número de ajudantes.

Pequenos reparos e reformas

O apartamento pode até ser novo, mas, ainda assim, exigir alguns consertos ou alterações. Como são imprevistos, fica difícil estimar um gasto mínimo, mas vale a pena manter uma reserva extra para esse tipo de situação. Alguns dos reparos mais frequentes são:

- encanamento entupido;
- torneiras quebradas;
- pintura descascada;
- portas emperradas;
- problemas na parte elétrica (fiação, lâmpadas e tomadas);
- troca de chuveiro.

Decoração

Mesmo que você queira seguir algumas tendências e investir no que há de melhor para deixar o seu lar aconchegante, é perfeitamente possível economizar com a decoração. Você pode, inclusive, aproveitar ou promover melhorias nos móveis antigos.

O ideal é visitar o apartamento algumas vezes antes de comprá-lo. A partir da vistoria, há como imaginar a forma com a qual você vai decorá-lo e estipular um teto para essa despesa.

Como se preparar para lidar com os gastos?

Para arcar com o preço do próprio imóvel, você precisará de um planejamento financeiro de longo prazo. Além de juntar esse dinheiro, você também deve evitar alguns erros frequentemente cometidos por quem quer comprar um apartamento e não consegue se planejar.

Imagine que ele custa R$300 mil. Para pagá-lo e ainda lidar com os gastos mencionados no tópico anterior, você precisará de um montante mais alto do que isso. Nesse caso, ter algo em torno de R$400 mil seria suficiente. Lembre-se de também manter uma reserva para situações emergenciais relacionadas à aquisição.

A primeira e mais importante regra para alcançar esse sonho é: monitore o dinheiro. Tente ficar por dentro de tudo que entra e sai da sua conta. Se possível, registre e categorize as receitas e as despesas — um aplicativo de controle financeiro pode ajudar bastante.

Depois, estabeleça algumas metas claras e possíveis, isto é, que sejam compatíveis com o seu padrão de vida. Se o seu salário permite que você economize R$1 mil por mês, por exemplo, permaneça com esse objetivo em mente. Aos poucos, você estabelecerá alvos ousados e se aproximará do total desejado.

Outra medida inteligente para juntar grandes quantias é fazer bons investimentos. Nesse sentido, um consórcio de imóveis tende a ser uma ótima alternativa, porque não exige nenhum tipo de entrada e ajuda a desenvolver disciplina financeira. Afinal, os consorciadosdevem estar em dia para participar dos sorteios ou ofertar lances.

Qual é a importância de um bom planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é um conjunto de práticas essenciais para quem quer aumentar o patrimônio ou fazer uma transação que envolve valores elevados. Ele também contribui para que o seu dinheiro possa render ao longo do tempo.

Ao fazer um consórcio para comprar o apartamento, você não precisa lidar com juros e tem a liberdade de escolher o valor das parcelas. Ainda assim, é de suma importância se planejar para honrar os compromissos que ele implica.

Além disso, em muitos casos, o planejamento é o único caminho para conquistar realizações maiores, como adquirir um carro, viajar para outro país ou fazer uma reforma. Isso porque essas ações demandam valores altos. Pense bem: você pode curtir um lazer com os amigos contando apenas com o seu salário, mas quão viável seria pagar por um intercâmbio sem se planejar com antecedência?

Enfim, você pode não ter uma resposta pronta para aquela pergunta — "quanto preciso para comprar um apartamento" —, mas, com as nossas dicas, é possível se planejar e fazer estimativas do custo total.

Se você gostou do conteúdo e quer continuar se informando, aproveite para baixar o nosso guia completo de compra de imóveis!
Guia De Compras De Imo Veis Como Adquirir Seu Primeiro Imo Vel Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.