Morar fora do Brasil: como me preparar financeiramente para isso?

Está pensando em morar fora do Brasil? Então não deixe de ler o conteúdo que preparamos com tudo que você precisa saber para se planejar!
  • Atualizado em May 3, 2019
  • Publicado em May 3, 2019
  • Planejamento Financeiro

Muitas pessoas têm o sonho de morar fora do Brasil, mas a grande maioria não consegue realizá-lo devido à falta de um bom planejamento financeiro. Afinal, esse processo envolve desde gastos primários, como cuidar da documentação necessária, até despesas maiores e periódicas, como aluguel e alimentação. Como poucas pessoas dispõem de toda essa quantia de uma só vez, é necessário poupar aos poucos e de forma inteligente.

Então, se você está pensando em sair do país, mas não sabe por onde começar, elaboramos um passo a passo para ajudá-lo a concretizar esse desejo da melhor maneira possível. Continue lendo e confira!

Escolhendo a cidade

Antes de definir o local, é importante levar em consideração qual é o motivo da sua ida ao exterior. Por exemplo, uma pós-graduação, um curso de línguas, um mestrado, uma graduação ou apenas para trabalhar e explorar o mundo.

Quando você tiver definido o seu objetivo, chega o momento de começar a pesquisar as cidades que oferecem o que você está buscando. Como possivelmente você ficará em dúvida sobre qual será o melhor destino, será preciso analisar alguns aspectos mais relevantes — como, principalmente, o custo de vida.

Busque informações sobre a moeda do local, os custos com acomodação, alimentação, transporte e até os entretenimentos. Assim, você será capaz de ter uma base de quanto gastará por mês em cada um dos destinos, o que pode ser um fator decisivo na hora da escolha.

Um outro fator a ser levado em consideração é a documentação exigida para a sua entrada no país, a exemplo do visto de permanência. Pensando nisso, uma dica é optar por países cujas leis são mais acessíveis em relação à imigração. Além disso, pense a respeito do clima, cultura, qualidade de vida, taxa de desemprego e situação econômica do país, antes de se aventurar.

Planejamento financeiro e investimento

Sem dúvida, morar fora do Brasil exige um planejamento financeiro de longo prazo. E seja qual for a forma pretendida para poupar dinheiro, esse é um passo muito importante. Mas, antes de definir o modo como você vai investir, entenda o que é preciso levar em consideração a fim de elaborar o seu orçamento.

O primeiro passo é pesquisar sobre o custo de vida no país, colocando em uma planilha os custos com aluguel, comida e contas básicas — como água, luz, internet, transporte e saúde. Depois de analisar os custos, é hora de definir a data e efetuar a compra das passagens aéreas. Além disso, o ideal é já reservar um casa, por pelo menos um mês, para ficar e ter tempo de procurar uma residência fixa.

Considerando o consórcio como alternativa

Poupar dinheiro nem sempre é uma tarefa fácil, não é mesmo? Por isso, muitas pessoas estão avaliando formas de organizar as finanças, a fim de conseguir realizar a viagem ou projeto dos sonhos. Nesse caso, o consórcio é uma ótima opção. Afinal, ele é uma forma de aquisição de bens ou serviços, no qual várias pessoas, com o mesmo objetivo, se reúnem para poupar em grupo, formando um autofinanciamento.

Para aderir ao consórcio, você deve escolher uma administradora de sua confiança, autorizada pelo Banco Central, e adquirir uma cota. O valor total da sua carta de crédito é parcelado conforme o plano escolhido e, à medida em que são pagas as parcelas, é formado o saldo de caixa, para possibilitar a contemplação dos integrantes do grupo.

A contemplação é o momento em que o consorciado tem acesso à sua carta de crédito para realizar o seu projeto que, neste caso, é morar fora do Brasil. Ela acontece de forma mensal, por meio de sorteios ou lances. A oferta de um lance é a antecipação de parcelas do consórcio e possibilita acelerar a contemplação.

Esse tipo de investimento é uma das formas mais simples e eficazes de aplicar os seus recursos, além de ser 100% garantido. Aliás, uma das vantagens é a ausência da cobrança de juros, tendo apenas uma taxa de administração, que geralmente tem um valor mais acessível quando comparada a outras formas de aquisição parcelada.

Outro ponto positivo dessa modalidade de investimento é que você consegue parcelar o valor total do que deseja adquirir, sem precisar dar nenhuma entrada. Ainda, a carta de crédito não perde o seu poder de compra, pois a administradora sempre atualiza o valor do bem ou serviço e reajusta as parcelas, tudo de acordo com o contrato assinado por ambas as partes.

Uma outra vantagem do consórcio é que ele é muito flexível. Ou seja, você pode definir o prazo do seu plano, além de escolher parcelas que realmente cabem no seu bolso e que não vão comprometer o seu orçamento.

O planejamento financeiro é a essência de qualquer projeto na vida, principalmente quando ele envolve uma mudança radical, como morar fora do Brasil. Por isso, adquirir cotas de um consórcio, com pagamento parcelado e programado de acordo com as suas possibilidades financeiras, é uma facilidade que só agrega ao seu projeto de residir no exterior.

Com o consórcio, você consegue se programar e realizar os seus sonhos respeitando as suas necessidades financeiras. Assim, o consórcio se mostra uma excelente opção de investimento para quem deseja morar fora do Brasil.

Já está pronto para fazer as malas? Então, que tal baixar agora mesmo um eBook com dicas essenciais para quem está começando a investir e aprender mais sobre o assunto? Vamos lá!
cta-guia-do-investidor-iniciante-como-evitar-os-erros-mais-comuns
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Economizar, poupar e investir: você entende a diferença?

attach_money
Planejamento Financeiro

Guardar dinheiro ou investir? Saiba o que considerar na decisão

attach_money
Planejamento Financeiro

Plano de aposentadoria privada: entenda melhor como funciona