Planejamento Financeiro

Comprar carro ou casa? Qual deve ser a prioridade dos recém-casados?

Quem casa, quer casa? Nem sempre esse ditado popular é a melhor solução. Saiba o que adquirir após recém-casado.

Comprar carro ou casa? Praticamente, de cada dez recém-casados, uma dezena possui esse tipo de dúvida, não é mesmo? Tomar decisões de longo prazo, como essas, é uma das necessidades de quem se une em matrimônio.

Apesar da exigência de se ter respostas prontas, nem sempre os casados há pouco tempo estão preparados para escolher onde investir o dinheiro, gerenciado agora de maneira conjunta.

Embora o casal tenha consciência de que é importante construir patrimônio, para possuir um futuro melhor, por vezes ele não dispõe dos recursos totais necessários para comprar todos os bens de uma só vez, logo, precisa optar entre adquirir um imóvel ou um veículo.

Para ajudá-lo a bater o martelo com mais fundamento, expomos em seguida várias dicas do que você e seu cônjuge devem refletir antes de escolher entre comprar carro ou casa. Acompanhe!

Faça um planejamento financeiro

Como você talvez já saiba, a vida de casado é bem diferente da vida de solteiro. Se antes cada um podia cuidar do próprio dinheiro, adquirir o que mais gostava, gastar sem pensar no futuro, entre outros, depois do matrimônio as finanças precisam ser planejadas em parceria, para que sejam atendidas as necessidades de toda a família.

Dessa forma, os recém-casados devem listar as fontes habituais de renda que possuem e todos os gastos mensais. A partir desse diagnóstico, eles poderão realizar um planejamento financeiro eficiente, que deve prever quantias destinadas para cada categoria de despesa, como moradia, alimentação, transporte, saúde e lazer, além de metas de economia.

Com essa análise da vida financeira, o casal estará mais preparado para decidir se deve comprar carro ou casa. Afinal, o diagnóstico permite que os cônjuges identifiquem a capacidade de pagamento da dupla e, como consequência, o quanto eles podem desembolsar na aquisição de bens.

Analise o impacto do valor do bem no orçamento doméstico

Na maior parte das vezes, o custo de um imóvel será maior do que o preço de um automóvel. Como são bens duráveis, com valor significativo, geralmente os casais não dispõem das quantias totais para essas aquisições de uma vez só. Por isso, eles têm que priorizar o que vão comprar primeiro ou encontrar formas alternativas de conquistar tais necessidades.

Nesse momento da vida a dois, há um grande risco de a família recém-formada entrar no endividamento crônico, principalmente se resolverem realizar um financiamento para adquirir imóvel e veículo de uma só vez ou mesmo um dos bens.

Como essa modalidade de crédito, oferecida geralmente por bancos e financeiras, possui uma considerável taxa de juros embutida, é comum as pessoas pagarem o dobro ou até o triplo do valor do bem na quitação total.

No dia a dia da família, muitas vezes uma aquisição desse porte, quando é financiada, torna-se um peso no orçamento doméstico, já que compromete uma parte considerável da renda por vários anos.

Então, a família em formação fica pressionada por bastante tempo, o que pode até comprometer a convivência e a harmonia no lar, devido às privações.

Por outro lado, quando o casal opta por formas de aquisição mais econômicas, como o consórcio de imóveis ou de carros, utiliza o dinheiro com eficiência, uma vez que nessa modalidade não há cobrança de juros, porque são os próprios participantes dos grupos que se unem para se autofinanciarem, sob a coordenação de uma administradora.

Mesmo que no consórcio o casal não receba o bem imediatamente, a economia gerada por essa forma de aquisição contribui para que a família não se endivide, afinal, não precisará dar uma entrada para entrar no grupo, mas apenas pagar as parcelas habituais.

Caso prefira, o casal pode utilizar o dinheiro que daria de entrada em grupo para oferecer um lance e, com isso, antecipar a conquista do bem.

Uma das vantagens do consórcio é que o contemplado recebe uma carta de crédito, a qual possibilita uma negociação à vista. Desse modo, o casal terá maior poder de barganha para pedir um desconto na hora de comprar carro ou casa. 

Leve em conta os objetivos do casal para comprar carro ou casa

A família pretende logo ter um filho ou os recém-casados preferem primeiro se estabilizar e investir na carreira? A resposta para essa pergunta dará um importante fundamento na decisão de comprar carro ou casa.

Se o casal prioriza, inicialmente, aperfeiçoar a formação profissional e buscar uma melhor colocação no mercado de trabalho, pode ser útil adquirir antes um automóvel para facilitar os deslocamentos do dia a dia e deixar a compra de uma casa para depois.

Assim, por não estar preso a um território, o casal pode se sentir mais confortável para eventualmente trocar de cidade, numa possível oferta de emprego. Por esse motivo, o aluguel pode ser suportável, se o casal pretende estar pronto para uma mudança repentina.

Em outra situação, se a prioridade for gerar um filho, é interessante ter a segurança de uma moradia própria, para que a criança possa se desenvolver e a família tenha condições de criá-la com tranquilidade. Nesse caso, o aluguel poderia representar certa vulnerabilidade, principalmente se a economia não estiver bem e houver chance de queda na renda.

Seja qual for a opção dos recém-casados, é recomendável primeiro preparar a futura situação antes de sair da realidade atual, para que essa transição seja a menos custosa em termos financeiros.

Por exemplo, caso os dois trabalhem, um pode ficar responsável pelo pagamento do aluguel e outro pela parcela do consórcio. Assim, a família evita os juros excessivos de um financiamento e não deixa de ter uma moradia para os anos iniciais de convivência.

Já no caso dos deslocamentos, pode ser útil utilizar o transporte público ou os serviços de aplicativos, para economizar e programar a compra do próprio automóvel com mais folga financeira.

Como você pode notar, não há uma receita única para os recém-casados quando o assunto é comprar carro ou casa. Assim, os objetivos e a realidade de cada casal vão definir qual é a melhor escolha.

Você ainda tem alguma dúvida sobre como adquirir um imóvel ou um veículo? Então, veja o infográfico: "Consórcio x financiamento: entenda qual é a melhor opção".