Planejamento Financeiro

Descubra se investir em fundo imobiliário é a melhor alternativa para você

Investir em um fundo imobiliário ou comprar um imóvel? Entenda qual opção se encaixa melhor em seus objetivos!

Investir no mercado imobiliário é uma excelente forma de explorar um setor seguro e cheio de excelentes oportunidades. Pode acreditar: fazendo as escolhas certas, é possível garantir máxima segurança enquanto alavanca seu patrimônio. Entre as possibilidades disponíveis, resolvemos falar hoje sobre o fundo imobiliário.

Apesar de ainda não ser muito conhecida, essa alternativa traz boas chances de ganhos, sabia? Antes de resolver aplicar seu dinheiro em um fundo, no entanto, é preciso entender se esse é mesmo o melhor caminho. Afinal de contas, há outra oportunidade que também se destaca: a compra de imóveis.

Acompanhe os próximos tópicos para descobrir o que é melhor para sua vida: os fundos de investimento imobiliário ou compra de imóveis físicos.

O investimento em fundo imobiliário

Os fundos imobiliários funcionam basicamente como condomínios. Nesse tipo de aplicação, cada pessoa adquire uma parte (cota) e o valor de todo o grupo é movimentado por um gestor profissional, em conjunto.

Como se trata de uma grande quantia de dinheiro, é possível recorrer a condições diferenciadas. Por isso mesmo, o investimento não é feito apenas em um só imóvel. O dinheiro normalmente é aplicado, por exemplo, em:

lajes corporativas;
- galpões industriais;
- shoppings centers;
- projetos de construtoras e incorporadoras;
- hotéis e complexos turísticos;
- imóveis de hospitais e clínicas;
- centros de distribuição;
- universidades e centros educacionais;
- títulos imobiliários, como as Letras de Crédito Imobiliário (LCIs).

O rendimento desse investimento acontece de duas maneiras principais: uma das possibilidades é meio da compra e venda ou do aluguel dos imóveis, enquanto a outra é pela venda da cota por um valor maior do que o que foi pago inicialmente.

O fundo versus a compra de imóvel

Decidiu aplicar no segmento? Então saiba desde já que o fundo imobiliário não é a única opção. Ainda existe a possibilidade de adquirir um imóvel físico (ou mais) e lucrar por meio de venda ou aluguel. Como são alternativas muito diferentes, que tal conferir um comparativo entre elas? Veja quais são os principais pontos de diferenciação!

Simplicidade

Para tomar uma decisão coerente com suas necessidades e seu cotidiano, é essencial pensar na facilidade envolvida no processo de investimento, não concorda? 

No caso do fundo imobiliário, a proposta é, em tese, bastante simples: basta adquirir a cota e deixar que o gestor movimente os valores. Na prática, porém, é preciso ir além. Você vai ter que analisar vários fundos, suas taxas de rendimento, as condições impostas, as taxas cobradas e assim por diante. Só dessa forma conseguirá selecionar a alternativa ideal.

Já a aquisição de um imóvel, por outro lado, exige considerações sobre a localização, a possibilidade de valorização, o preço e outros aspectos. Vale ressaltar, no entanto, que a ajuda de uma boa imobiliária nesse processo é gratuita — ao contrário da assessoria de um bom gestor de investimentos.

Gestão

Por falar na administração do patrimônio, vamos à comparação: o fundo imobiliário é controlado por um profissional que movimenta todo o dinheiro lá investido. Você só tem que escolher em qual fundo aplicar para, depois, o gestor tomar as decisões. Parece bom, não é? Na realidade, porém, o que soa como sinônimo de praticidade pode se tornar ponto negativo. Nesse caso, você não tem sequer a possibilidade de participar da tomada de decisões. Ao mesmo tempo, se algum erro acontecer, terá que arcar com os prejuízos.

Ao comprar um imóvel físico, por outro lado, não é bem isso que acontece. Aliás, muito pelo contrário! Optando por esse investimento, você saberá exatamente como seu dinheiro será usado. Além do mais, se quiser uma ajudinha extra, basta contratar uma administradora imobiliária. Seja como for, as decisões finais ficam sempre na sua mão.

Risco

Já que falamos em perdas, não dá para negar que o fundo imobiliário traz alguns riscos. Vale lembrar que, como esse investimento é de renda variável, não permite saber o quanto você vai ganhar ou mesmo se vai receber mais que o aplicado. É um risco que você precisa escolher correr.

Com um investimento em imóvel físico, por outro lado, surge um ponto muito importante que deve ser destacado: trata-se de um acréscimo ao seu patrimônio pessoal. Assim, sua família poderá desfrutar do bem como quiser ou precisar. Em vez de risco, é segurança.

Custo

Outra grande diferença está nos custos. Quem analisa de fora pode até achar que comprar um imóvel é uma opção muito mais cara. É o que você pensa também? Pois pare por um momento para detalhar melhor os reais custos envolvidos e, a partir daí, entender se isso é verdade.

Por mais que o valor possa parecer menor no caso de um fundo imobiliário, não se esqueça de que ele precisa ser pago de uma só vez. Há inclusive alguns que apresentam custos bem elevados, como os que exigem aplicação de R$100 mil ou mais. Ao adquirir um imóvel, por outro lado, é possível fazer o pagamento em parcelas, ao longo de muitos anos, tempo durante o qual já dá para usufruir do bem.

Além disso, um fundo imobiliário engloba outros custos, como a taxa de administração, a taxa de performance paga ao gestor e os impostos associados. Na compra de um imóvel físico, os custos são associados são menores e também podem ser diluídos, não pesando tanto no bolso.

Liquidez

Muita gente acha que imóveis têm baixa liquidez, mas a verdade é que são várias as oportunidades de ganho com esse investimento. Você pode alugar seu imóvel por longos períodos ou aproveitar a locação por temporada, por exemplo. Também tem a chance de:


adquirir para reformar e vender em seguida;
- esperar um momento de alta valorização para a revenda;
- comprar na planta e vender depois de pronto.

O contexto dos fundos imobiliários é diferente. Sabia que muitos só oferecem rendimento a cada seis meses ou mesmo no final do período contratado? Essa pode não ser, assim, a melhor forma possível de conquistar renda.

Para escolher entre essas alternativas, o ideal é pensar no seu perfil de investidor. Qual o nível de risco que está disposto a assumir? Quanto conhecimento você tem sobre o mercado financeiro? Quanto controle você deseja ter sobre suas aplicações? A partir dessa análise, é possível encontrar uma resposta adequada.

Ao comparar as duas opções, entretanto, também fica fácil notar que a aquisição de imóveis é especialmente vantajosa por trazer:

benefícios fiscais ao se comprar um imóvel com o valor da venda de outro;
-aumento do valor de avaliação do imóvel por mudanças no bairro ou na cidade;
- possibilidade de renda mensal com o aluguel;
- maior facilidade para encontrar e aproveitar oportunidades.

A compra do imóvel com consórcio

Caso decida que a aquisição de um imóvel é melhor que recorrer ao fundo imobiliário, é hora de pensar sobre como efetivamente fazer a compra. Para tornar a alternativa ainda mais vantajosa, saiba que é possível usar o consórcio nesse processo.

Nesse caso, você vai fazer parte de uma espécie de poupança coletiva. O grupo é formado com pessoas que desejam adquirir o mesmo bem, neste caso, um imóvel. Você define o valor da sua carta de crédito de acordo com o que deseja adquirir e essa quantia será dividida em parcelas ao longo do prazo de duração do plano. Ou seja: você pode comprar imóvel sem ter guardado dinheiro!

Mensalmente, um ou mais participantes são contemplados e tem acesso à carta de crédito. A contemplação acontece por meio de sorteios que são realizados durante as assembleias ordinárias. Se preferir, também é possível dar lances para tentar antecipar sua contemplação e poder, enfim, fazer a tão sonhada aquisição.

O melhor de tudo é que essa alternativa tem muitas vantagens, como as seguintes:

não é preciso dar entrada;
- todo o valor do imóvel pode ser pago em parcelas acessíveis;
- não há taxa de juros, apenas a taxa de administração, que é um percentual prefixado e diluído nas parcelas;
- possibilidade de investir em imóveis prontos, na planta ou em construção;
- maior poder de negociação, pois a carta de crédito equivale a compra à vista.

Para explorar essa oportunidade, basta entrar em contato com uma boa administradora, que tomará todas as providências necessárias. Pronto para começar essa jornada rumo a um investimento extremamente positivo?

Como você viu, o fundo imobiliário certamente não é a única alternativa para investir nesse setor. Comprar um imóvel também é uma boa opção que se torna ainda mais vantajosa com a ajuda de um consórcio!

Para desvendar tudo o que essa modalidade tem a oferecer, aproveite para baixar nosso e-book sobre consórcio de imóveis!
Consorcio De Imoveis Tudo Que Voce Precisa Saber Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.