Confira 9 práticas e hábitos que vão ajudar você a sair das dívidas!

Quer sair das dívidas de uma vez por todas? Então, este conteúdo é pra você. Confira as melhores dicas!
  • Atualizado em November 17, 2020
  • Publicado em November 17, 2020
  • Planejamento Financeiro

O cenário de instabilidade econômica tem gerado muitos endividamentos. E muita gente fica sem saber como sair das dívidas e começar a economizar dinheiro nessa situação. Com as cobranças constantes, algumas pessoas buscam empréstimos com juros altos.

Sair do vermelho é indispensável para o planejamento e organização financeira, até porque quanto mais dívidas você faz, mais incontrolável fica a situação.

Felizmente, é possível superar essa condição. Basta ter foco e determinação. Por isso, reunimos neste post as 9 melhores práticas e hábitos para você sair das dívidas com louvor. Veja!

1. Conhecer o valor total das dívidas

A primeira atitude para fugir do endividamento é listar todos os débitos atrasados. Encare a sua realidade. Utilize um aplicativo de contas pessoais ou pegue um caderno e anote todas as contas que devem ser pagas. Registre também os credores, as datas de vencimento e a taxa de juros.

Anote as despesas básicas, tanto fixas quanto variáveis: água, aluguel, educação, gás, luz, telefone, internet, parcelamentos, supermercado, feira, medicamentos, despesas médicas e odontológicas. Considere também a sua média de despesas com as atividades de lazer, que não podem ficar de fora.

Essa etapa é essencial porque dá uma visão detalhada de todos os débitos. Pode causar espanto no início, uma vez que você não tinha conhecimento desses números, mas é necessário encarar a realidade. O objetivo não é fazer com que você se sinta mal por ter chegado a esse ponto, mas que tenha disposição para solucionar o problema.

2. Controlar os gastos e evitar supérfluos

O orçamento doméstico precisa fazer parte do seu cotidiano. Não queira fazer isso somente quando estiver com dívidas. A intenção desse procedimento é evitar gastar mais do que recebe, deixando as contas em dia.

Para isso, você terá que renunciar a algumas coisas. É óbvio que não é preciso abrir mão de tudo, mas itens e serviços supérfluos devem ser reduzidos. Estude profundamente quais são seus maiores gastos e identifique o que é possível eliminar.

Que tal evitar comer na rua todos os dias e levar almoço de casa para trabalhar? Também é possível rever pacotes de serviços de TV a cabo e telefone, por exemplo, escolhendo o mais econômico. Na hora de passear, priorize os ambientes gratuitos. Além disso, utilize comparadores de preços, visite os varejistas para conferir o que você precisa comprar e só leve para casa depois de constatar a qualidade e os benefícios.

Por fim, os mercados promovem dias específicos da semana para promoção de carnes, frutas e verduras. Aproveite esses momentos para abastecer a despensa e a geladeira. Você também pode frequentar feiras livres; porém, não se esqueça de pedir descontos.

3. Renegociar com os credores

Antes de fazer qualquer pagamento, entre em contato com os credores e renegocie os seus débitos. Grande parte das instituições que estão com as contas em aberto desejam receber o pagamento e têm interesse em negociar com você.

Não se acanhe e peça descontos, ainda mais se você descobrir que os juros cobrados são abusivos. Firme o compromisso de quitar apenas o que couber no seu orçamento. Tente fazer de forma gradativa e consciente para não adquirir mais dívidas.

4. Perder o costume de usar o cartão de crédito com frequência

Crie o hábito de deixar o seu cartão de crédito em casa. Ao agir dessa forma, você não fará compras impulsivas. Fuja de endividamentos que serão jogadas para os próximos meses e que poderão limitar sua renda. É indiscutível que existem muitos benefícios no uso do cartão de crédito, mas é importante usá-lo com sabedoria, para que ele não se transforme em um vilão.

5. Criar metas de priorização

Definir um plano de ação para pagamentos é essencial para evitar erros no planejamento financeiro. Logo, se você tem alguns débitos em aberto, classifique-os por ordem de relevância. Embora você queira se livrar de todas as dívidas o quanto antes, geralmente isso não é possível.

Priorize as que contêm maiores juros, como o cartão de crédito e o cheque especial. As taxas elevadas criam um efeito incontrolável, impedindo a resolução do problema. Outra sugestão é definir um prazo realista para quitar tudo. Dessa forma, você mantém foco no seu objetivo.

6. Evitar parcelamentos

Na missão de como sair das dívidas, evite as compras parceladas. Fracionar o preço total em mensalidades dá uma impressão falsa de que a aquisição não prejudicará a renda. Porém, quando as parcelas se acumulam, o impacto nas finanças é grande. Além disso, é preciso considerar os juros embutidos nas parcelas. Assim, a melhor solução é juntar o valor para comprar produtos ou contratar serviços à vista.

7. Aproveitar a renda extra

Sabe o 13° salário ou o saldo do FGTS que você conseguiu sacar? Aproveite esse dinheiro para pagar uma parte (ou o total) dos seus débitos. Se você não tem esses recursos financeiros, pode cogitar uma renda extra, como prestar consultoria online, produzir artigos de texto, editar vídeos, fazer delivery ou atuar como motorista de aplicativo nas horas vagas. A internet está aí para facilitar esse processo.

8. Separar uma reserva de emergência

Após quitar tudo e eliminar hábitos financeiros prejudiciais, dê um passo adiante: separe uma quantia mensal para montar um fundo de emergência. Essa reserva de emergência precisa ter uma quantia equivalente a três meses de gastos para suprir imprevistos, como doenças, reforma de casa ou manutenção corretiva de automóvel.

9. Aprender sobre educação financeira

Conhecimento é essencial para todas as áreas da vida e, no quesito endividamento, isso não é diferente. Quando estudamos números e aprendemos técnicas de comportamento, fica mais fácil tomar atitudes. Portanto, invista em educação financeira.

Saber sobre finanças é fundamental para fazer compras conscientes, identificar golpes e aprender como pagar débitos acumulados que prejudicam a nossa vida e a nossa saúde mental.

Para ficar por dentro do tema, leia jornais e livros, faça cursos online, acompanhe canais no YouTube, siga economistas nas mídias sociais e apenda a usar as planilhas de gastos. Todo esse aparato pode abrir sua mente. Em pouco tempo, o assunto será de fácil assimilação e virará algo prazeroso de aprender. Teste e comprove!

E então, o que achou das nossas recomendações de como sair das dívidas? Esperamos que este conteúdo possa ajudar você da melhor forma. Para isso, coloque as dicas em prática agora mesmo. Você verá que sua vida financeira será mais tranquila e prudente.

E depois dessas dicas importantes, o que acha de baixar nosso guia prático sobre controle financeiro?
cta-controle-financeiro-guia-pratico
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

7 dicas de como se preparar para o mercado de trabalho

attach_money
Planejamento Financeiro

Franquia de seguro: entenda o que é e como funciona

attach_money
Planejamento Financeiro

Passo a passo para declarar seu Imposto de Renda 2021