Conheça 6 melhores formas de investimento para a melhor idade

Ainda não faz investimentos? Conheça as melhores formas de investimento para a melhor idade.
  • Atualizado em October 19, 2021
  • Publicado em March 3, 2021
  • Planejamento Financeiro

Existe idade adequada para começar a investir? Em qualquer momento de nossas vidas, especialmente quando somos idosos, a capacidade de aumentar a renda é benéfica. Assim como em qualquer outra época, os custos e as necessidades pessoais também precisam ser considerados, portanto, ignorar a situação financeira atual pode ser um grande equívoco.

Porém, saber escolher o investimento ideal é fundamental para obter todas as vantagens financeiras. Geralmente, a forma como o dinheiro é usado para isso pode garantir o pagamento das despesas e fazer novas aquisições. Além da autonomia individual, considerando a independência que o indivíduo conquistou, a idade madura é um dos melhores momentos para isso.

Mas, como saber quando é a hora certa para começar a investir? Veja abaixo quais são as nossas dicas e descubra as 6 melhores formas de investimento para a melhor idade. Boa leitura!

Saiba qual é seu perfil de investidor

Antes de começar a investir, você precisa determinar o seu perfil com base em seu orçamento. Essas informações são muito importantes para avaliar os benefícios das aplicações disponíveis.

Por meio desse tipo de análise financeira o investidor poderá determinar mais facilmente o verdadeiro valor que pode ser obtido a cada mês e evitar o erro de sacar fora do tempo recomendado.

Fique de olho nos riscos

A expectativa de vida do brasileiro sobe a cada dia, portanto, avaliar todos os riscos de um investimento é fundamental para prever se ele vale a pena a longo prazo. Refletir sobre a nossa situação financeira é um dever para pessoas de qualquer idade, mas principalmente quando envelhecemos.

Quando os investidores são mais cautelosos e desejam arriscar menos, recomenda-se a utilização de investimentos mais seguros, como títulos diretos do tesouro e fundos de renda fixa, mesmo sabendo que os retornos podem ser menores que em outros tipos de investimentos.

Avalie os prazos das aplicações

Diversos tipos de investimentos oferecem diferentes condições de resgate. Nesse caso, é importante avaliar cuidadosamente todas as condições antes de assinar qualquer tipo de contrato.

Em alguns cenários, os investidores geralmente definem metas pessoais para prever o lucro desse investimento, mas lembre-se de que algumas aplicações dependem totalmente do momento em que é feita. Portanto, antes de se decidir, avalie suas condições.

Primeiramente, entenda todas as possibilidades e termos disponíveis para a modalidade do seu interesse. É essencial realizar pesquisas de mercado para comparar prazos ou contar com a ajuda de consultores para ajudá-lo a selecionar as melhores formas de investimentos.

Veja quais são as melhores formas de investimento

Confira abaixo algumas das opções mais vantajosas para quem está na melhor idade.

1. Tesouro Direto

Trata-se de um plano fiscal nacional desenvolvido em cooperação com a BM&F Bovespa para que pessoas físicas possam adquirir títulos do governo federal pela Internet. No Tesouro Direto, o interessado empresta o dinheiro ao governo e arrecada com juros em prazo predeterminado.

Boa parte das corretoras não cobra taxas para você comprar os títulos do Tesouro Direto, e você pode escolher entre várias opções:

  • títulos prefixados: nesses títulos, o investidor sabe exatamente quanto ganha no momento de fazer o investimento;
  • títulos pós-fixados: títulos com rentabilidade atrelada a indicadores como a taxa Selic (os rendimentos dependem da oscilação do índice tomado como referência);
  • títulos híbridos: títulos com a rentabilidade formada pela variação da inflação e de mais uma taxa de juros prefixada.

2. Fundos de investimento

Esse é um dos métodos mais comuns no Brasil. É assim: algumas pessoas se reúnem e investem juntas. Todo o valor é dividido em cotas e cada participante tem a quantidade de ações igual ao valor do investimento. A gestão é realizada por uma empresa especializada.

3. Certificado de depósito bancário (CDB)

O retorno dessa modalidade é melhor que o da poupança. O certificado de depósito bancário é um investimento de renda fixa emitido por um banco. Dessa forma, os indivíduos emprestam dinheiro ao banco e obtêm uma taxa de retorno. Quanto mais tempo o plano durar, maior será a lucratividade.

4. Fundos imobiliários

Você pode usar fundos imobiliários para fazer a compra de uma parte de um imóvel (ou conjunto de imóveis). Essa parte é denominada de “cota”.

Os fundos são investimentos mais diretos para os investidores que precisam de uma renda extra, pois eles recebem a cada mês uma parte do aluguel dos imóveis do seu fundo. No entanto, esse é um investimento de renda variável e, por isso, é recomendado para perfis de investidores que têm renda suficiente para aderir a riscos.

Antes de comprar um fundo imobiliário, é muito importante consultar uma corretora de investimentos ou um especialista em investimentos para estudar esse movimento.

5. Criptomoedas

Criptomoedas são moedas digitais que servem como meio de troca, assim como as moedas tradicionais. A diferença é que elas não são emitidas por nenhum governo e podem ser usadas em todo o mundo, sem barreiras geográficas, desde que a outra parte as aceite como forma de pagamento ou troca.

A mais conhecida delas é o bitcoin. A principal característica das criptomoedas, de um modo geral, é a volatilidade muito alta, o que pode fazer uma pessoa rentabilizar bastante ou perder dinheiro em pouco tempo. Por isso, é um investimento de alto risco.

É possível investir em bitcoin e em outras criptomoedas por meio das "exchanges", que são corretoras especializadas nesse tipo de investimento.

6. Ações

Ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio de uma empresa e passa a participar dos seus lucros e prejuízos. É um tipo de investimento que requer muito estudo porque envolve uma análise criteriosa do mercado onde aquela corporação está atuando. Pode ocorrer que a empresa entre em declínio e perca totalmente seu valor rapidamente. Por isso, também é muito importante conhecer bem a empresa em que você vai investir e, de preferência, contar com consultores especialistas para obter alguns direcionamentos.

No mercado financeiro, é possível comprar ações de várias empresas e manter uma carteira de investimentos diversificada.

Tenha uma reserva de emergência

Para investir, você deve primeiro controlar suas finanças. Como mencionamos, é importante entender os recursos disponíveis de cada um, porém, um bom investidor sempre deixará reservas emergenciais para circunstâncias imprevisíveis, não havendo necessidade da utilização dos recursos investidos.

Situações de emergência são comuns, não só entre os idosos, mas em todas as idades. No entanto, se você deseja transferir fundos para um investimento, planeje reservar uma certa quantia para um investimento de alta liquidez e que seja bastante seguro.

Procure ajuda profissional

O principal objetivo de fazer aplicações na melhor idade é a obtenção de mais qualidade de vida. O investimento é uma necessidade financeira que deve estimular o lazer com a família, viagens e a realização de sonhos pessoais. No entanto, é recomendável procurar ajuda profissional de quem entenda do assunto, seja ele o gerente do seu banco ou um consultor de investimentos.

Ninguém melhor que um especialista para dar a orientação adequada sobre o assunto, mostrando quais são os reais riscos e custos. Sempre é importante ter a visão de alguém que entende do mercado para orientar você se a aplicação está alinhada aos seus objetivos e suas expectativas. Dessa forma, você terá a certeza de que está fazendo o melhor negócio.

Estude a possibilidade de participar de um consórcio

O mercado financeiro é, sem dúvidas, uma excelente maneira de rentabilizar seu dinheiro para conquistar sonhos que dependem de um bom planejamento das finanças. Porém, existe uma alternativa menos arriscada para quem não tem pressa de realizar seu investimento, que é o consórcio.

Basicamente, o consórcio é formado por um grupo de pessoas com um interesse em comum, que se reúnem para poupar dinheiro com o objetivo de adquirir um bem ou serviço. Os consorciados pagam as parcelas formando uma espécie de fundo comum, promovendo o autofinanciamento.

Toda essa organização é promovida por uma empresa especializada, que é chamada de administradora, cuja escolha deve ser feita com base na reputação e na qualidade do serviço.

Você já se convenceu da importância de investir na melhor idade? Como em outras fases da vida, essa é uma necessidade financeira e exige planejamento para alcançar os melhores resultados.

Antes de começar a investir e definir qual será a sua estratégia, faça muitas pesquisas e se comunique com especialistas da área para saber quais são as melhores formas de investimento para o seu caso. Sempre haverá opções vantajosas para o seu caso.

Quer realizar sua conquista utilizando um consórcio? Veja as vantagens e quando essa alternativa é ideal para você!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Investir em startup: benefícios, riscos e como fazer de maneira ideal

attach_money
Planejamento Financeiro

23 lugares para viajar no Brasil e conhecer (lista atualizada 2022)

attach_money
Planejamento Financeiro

Entenda a importância da educação financeira infantil