Planejamento Financeiro

5 maneiras de investir com pouco dinheiro e ter um bom retorno

Investir com pouco dinheiro é possível! Veja as opções que separamos para que você tenha um bom retorno financeiro.

Se o seu objetivo é ter um futuro estável e sem preocupações, investimentos já deveriam fazer parte da sua rotina. Investir em um consórcio, no Tesouro Direto ou em outras aplicações disponíveis é o segredo para quem quer se garantir lá na frente.

Apesar de esses investimentos atraírem cada vez mais interessados, infelizmente ainda existe o mito de que a pessoa precisa investir alto para ter um bom retorno.

Pois saiba que nem sempre é necessário aplicar todo o seu patrimônio para ter bons resultados. Isso porque existem várias alternativas para investir com pouco dinheiro e receber um bom retorno. Para provar, apresentamos neste post 5 maneiras de investir pouco e ganhar muito. Acompanhe!

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros. Nessa espécie de aplicação, os títulos são emitidos pelo próprio Governo Federal para serem negociados no mercado, com o objetivo de financiar diversos setores públicos, tais como saúde, educação e assistência.

É interessante observar que esse investimento surgiu como uma forma de democratização entre os investidores, motivo pela qual as aplicações geralmente começam com valores baixos, como R$30.

Apesar de ser um investimento de baixo risco, o investidor tem um bom retorno financeiro, já que a rentabilidade é superior à da caderneta de poupança. Portanto, o Tesouro Direito é uma ótima opção para quem quer investir pouco dinheiro, já que é acessível e tem inúmeras opções de aplicação, que podem ser escolhidas conforme o objetivo financeiro do investidor.

Caso queira investir no Tesouro Direito, você precisará ter cadastro em uma instituição credenciada no Tesouro Nacional.

2. Crédito de Depósito Bancário (CDB)

O Certificado de Depósito Bancário, ou CDB, também é uma boa alternativa para quem está pensando em investir pequenos valores. O CDB, na verdade, nada mais é do que um empréstimo que você faz a um banco. Esse empréstimo pode ocorrer de duas formas:

- prefixado: nessa modalidade o investidor já sabe, desde o início, qual a rentabilidade do título no dia do seu vencimento. Ou seja, já sabe, de antemão, qual será o seu lucro;
- pós-fixado: nesse caso, a rentabilidade dependerá de fatores externos, como a variação da inflação e a taxa de juros entre a data de aplicação e o resgate do título.

Também é considerado um investimento de baixo risco e, se o banco falir, o Fundo Garantidor de Crédito assegura a devolução de até R$250 mil.

Em média, os investimentos são a partir de R$100 e podem ser feitos, inclusive, pelo site do banco em que você tem conta-corrente. Além disso, o Imposto de Renda incide apenas sobre o rendimento, que é pago no dia do vencimento do título ou do seu resgate.

3. Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

A Letra de Crédito do Agronegócio, ou LCA, é um investimento composto por vários títulos de crédito destinados ao agronegócio, que são garantidos por hipotecas. Nesse tipo de investimento, a pessoa empresta seu capital a uma instituição financeira que, posteriormente, destina a verba para financiamentos da agropecuária.

A LCA é considerada um investimento de baixo risco, mas com uma rentabilidade alta. É bastante atrativa por permitir aplicações de baixo valor, não ter incidência do Imposto de Renda e, mais que isso, contar com um Fundo Garantidor de Crédito.

Uma dica para quem quer investir mais de R$250 mil é aplicar em títulos de diversas instituições, garantindo a segurança do crédito e um bom retorno financeiro.

4. Previdência Privada

A previdência privada é indicada para quem quer investir pouco com o objetivo de complementar a futura aposentadoria ou realizar um projeto em longo prazo. Nesse investimento, a pessoa precisa contribuir por um determinado período, conforme estipulado em contrato.

Existem dois planos de previdência privada: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

No PGBL, a pessoa consegue abater os pagamentos na declaração do Imposto de Renda, que podem chegar a 12% da renda anual na declaração do IR. Já no VGBL, que é indicado para quem faz a declaração simples do Imposto de Renda, não é possível realizar o abatimento dos valores pagos no IR.

Uma outra vantagem é que, no momento da retirada, a tributação é flexível. Isso pode acontecer de duas formas:

- regressiva: começa em 35% e, a cada dois anos, reduz 5% até o limite mínimo de 10%, independentemente do valor resgatado;
- progressiva: a tributação varia entre 7,5% e 27,5%, podendo ocorrer a isenção caso os valores resgatados sejam baixos. A tabela progressiva é uma boa opção para quem tem valores para descontar no Imposto de Renda, como despesas médicas.

Um ponto negativo da previdência privada é que não existe um fundo garantidor, portanto, se a instituição falir, você corre o risco de perder o seu investimento.

5. Consórcios

O consórcio é uma espécie de compra coletiva, na qual diversas pessoas se unem, em grupos que são gerenciados por uma administradora, para comprar um determinado bem. Nessa modalidade, não há cobrança de juros, razão pela qual é possível adquirir produtos ou serviços por um valor mais acessível, se comparado a outras formas de crédito. Vale ressaltar que há cobrança de taxa administrativa, uma opção muito mais atrativa que os juros de um financiamento.

O consórcio também é considerado um investimento de baixo risco, pois proporciona a vantagem de o investidor saber, no momento da contratação, o valor da carta de crédito que receberá ao ser contemplado.

Outro fator positivo é a certeza da contemplação, ou seja, não existe o risco de você perder o seu investimento. A administradora do consórcio é quem cuida de toda a parte burocrática para assegurar o recebimento da carta de crédito. Além disso, o consórcio preserva o poder de compra do consorciado, pois as parcelas do plano são reajustadas conforme as alterações no valor do bem.

E mais um ponto importante é que esse investimento é fiscalizado pelo Banco Central do Brasil (BACEN), que verifica se as administradoras têm condições para oferecê-lo. No site do BACEN, periodicamente, são divulgadas as instituições que estão aptas a comercializar planos de consórcio.

Esses são os principais investimentos para quem pretende investir com pouco dinheiro e obter bons resultados financeiros. Agora que já mostramos as características mais importantes de cada um deles, cabe a você decidir qual é o melhor para o seu bolso e os seus objetivos.

Quer saber mais sobre o assunto? Então baixe nosso eBook gratuito que trata sobre os 5 erros mais comuns de quem está começando a investir. Confira!

Guia Do Investidor Iniciante Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.