Tudo Sobre Consórcio

Quer saber se um consórcio é confiável? Veja como avaliar

Invista seu dinheiro com segurança! Confira as nossas dicas para escolher um consórcio confiável para seus negócios.

Escolher um consórcio confiável é muito importante para se ter sucesso nesse tipo de investimento. A avaliação desse quesito é feita majoritariamente com base na administradora que o mantém, pois é a ela que o consorciado precisa recorrer sempre que necessário.

Ela é também quem organiza as assembleias e emite as cartas de crédito. E, por trás de tudo isso, há algo extremamente importante. Para manter o poder de compra do dinheiro que você investe no consórcio, ela precisa administrar os pagamentos mensais de todos os membros dos inúmeros grupos, escolhendo bons fundos de investimento e garantindo a melhor rentabilidade possível.

Entenda como analisar a confiabilidade de um consórcio e leia outras informações importantes sobre o assunto neste post que preparamos especialmente para você!

A importância de planejar seus investimentos

Investir de forma planejada é o segredo do sucesso. Quando você pensa antes de realizar uma escolha, diminui os riscos de perder dinheiro e sair prejudicado de várias formas. Por isso, é importante avaliar:

- os custos envolvidos, incluindo taxas, tarifas e juros;
- a rentabilidade de cada opção, para ver qual tem melhor retorno;
- a idoneidade da oferta, avaliando a instituição e os serviços.

Um investimento, na prática, é uma opção de negócio em que você decide usar seu dinheiro. Uma aplicação no mercado financeiro, um consórcio e até um financiamento bancário são investimentos. Para saber qual é mais rentável para você, é preciso ponderar os custos e a rentabilidade.

Essa rentabilidade pode ser medida de várias formas: em aumento do patrimônio, solução de outros problemas colaterais e em qualidade de vida, por exemplo.

Veja a compra de um carro. Ela envolve gastos de aquisição e traz despesas no dia a dia, como manutenção, impostos e combustível. Então, fica a pergunta: como isso pode ser considerado um investimento? A questão é que há contrapartidas.

Ninguém, em sã consciência, rasga dinheiro à toa. Assim, uma pessoa investe em um carro não apenas pensando nos custos, mas em economizar seu tempo livre, seu desgaste físico (já que ela não vai ter que depender do transporte público), entre outros benefícios.

Assim, um bom planejamento também evita que você tome decisões equivocadas. Às vezes, um vendedor ou uma propaganda podem apontar inúmeras vantagens que, na prática, não se realizam. Ou seja, o retorno esperado não é verdadeiro. No consórcio não é diferente, e é sua pesquisa e ponderações que vão dizer:

- o nível de segurança do retorno;
- os custos da operação, que variam entre administradoras;
- as vantagens que apresenta, quando comparado a outras opções, como empréstimos, financiamentos, entre outros.

O uso inteligente do consórcio para adquirir patrimônio

Acumular patrimônio é, no mundo atual, mais que uma decisão. É consequência do seu sucesso e segurança para mantê-lo em longo prazo. Ao investir em imóveis, por exemplo, você cria uma reserva sólida para o futuro e pode lançar mão dela em momentos de necessidade ou repassá-la aos filhos. Além disso, investir em um imóvel próprio e um carro novo são formas de fazer seus esforços profissionais se converterem em uma merecida melhoria na qualidade de vida.

No processo de aquisição de patrimônio, o consórcio aparece como uma das opções mais inteligentes. Se você faz um paralelo com os custos de operações bancárias como leasing, financiamento e empréstimo, percebe que no Custo Efetivo Total (CET) é a cota do consórcio que sai na frente — e com uma larga diferença.

Os bancos têm juros altos e, pior, compostos. Ou seja, mês a mês eles aumentam um pouco do seu saldo devedor. Quanto maior o tempo da operação, mais peso trazem ao bolso e mais caro se torna o crédito tomado.

Um consórcio não tem juros. Os custos para sua operacionalização também têm peso sobre o valor final, mas são muito menores que os de um financiamento ou empréstimo. Se você faz uma tabela comparativa e multiplica as parcelas pelo número de meses saberá quanto, de fato, vai pagar.

A questão-chave aqui é o planejamento. Quando você projeta seu futuro, a aquisição de patrimônio deixa de ser vista como uma necessidade (que geralmente é urgente) e passa a ser uma escolha, tomada com calma, sem equívocos e tão vantajosa quanto possível.

A necessidade de escolher um consórcio confiável

Mas as vantagens que mencionamos só se realizam quando você escolhe um consórcio que é, de fato, confiável. De nada adianta oferecer benefícios enormes se, na hora da contemplação ou quando você precisa entrar em contato (seja para tirar dúvidas, registrar reclamações ou solicitar atendimento), não pode contar com a administradora.

Ela é a responsável por tornar o consórcio viável e trazer o melhor retorno possível. Quando você paga a taxa de administração está subsidiando a atuação de especialistas que vão estudar o mercado financeiro e definir os melhores fundos para aplicar o dinheiro recebido dos consorciados. Isso é feito para maximizar o poder de compra do consórcio e garantir que, dentro do prazo contratado, todos possam receber e utilizar sua carta de crédito.

O fundo de reserva é um valor que você paga mensalmente, incluído na parcela do seu consórcio, e que serve para cobrir custos eventuais e trazer proteção contra imprevistos. A boa administração de cada grupo evita problemas que podem consumir esse saldo e garante que, ao final do período de pagamento, ele volte para os consorciados.

Assim, você pode perceber que a escolha da administradora vai além da questão da idoneidade. Ela trata também de expertise e conhecimento de mercado e protege seu investimento em vários aspectos. Por isso, não há motivo para pular a etapa essencial de pesquisa.

Dicas para avaliar o melhor consórcio

Mas como escolher o melhor consórcio e saber se ele é mesmo confiável? A resposta está nas dicas que elencamos a seguir e que podem servir como guia na hora de bater o martelo. Portanto, tome nota:

- escolha o bem que deseja adquirir e sua faixa de preço;
- prepare uma lista com as administradoras com maior tempo de mercado, que têm mais expertise de negócios;
- faça comparações utilizando simuladores online ou vá diretamente a uma loja ou franquia;
- limite sua lista de opções, buscando maior economia;
- pesquise a lista de instituições autorizadas a operar no site do Banco Central e veja se essas empresas estão de acordo com a lei;
- veja também o ranking de reclamações no mesmo site;
- consulte sites de reclamação e confira o índice de resposta e satisfação dos clientes;
- visite as redes sociais das empresas que chamaram sua atenção para analisar o nível de interação com o público e os materiais que publicam (eles indicam o quanto a organização conhece sobre seu ramo de atuação);
- entre em contato pelos canais oferecidos (site, telefone e chat online) para ver a qualidade do atendimento;
- opte pelas administradoras que oferecerem maior transparência na negociação, explicando todos os custos e o funcionamento do consórcio.

Seguindo essas dicas você garante o sucesso de sua aplicação, pois vai investir em um consórcio confiável e escolher as melhores condições.

Quer entender se o consórcio é a melhor opção para você? Então baixe gratuitamente nosso eBook especial sobre a diferença entre consórcio e financiamento.

Consórcio X Financiamento Entenda A Diferença E Qual É A Melhor Opção Para Você

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.