Sustentabilidade

Sustentabilidade econômica: os pilares e desafios encontrados

Será que você tem atitudes economicamente sustentáveis? Saiba como mudar seu dia a dia com ações simples!

Falar sobre cuidados com o meio ambiente está cada vez mais comum — felizmente! Mas você sabia que o desenvolvimento sustentável envolve outros fatores além do ambiental? A sustentabilidade econômica e a social são mais dois pilares que fazem parte desse conceito.

Não conhecia ainda essa forma mais complexa de ver as coisas? Sem problemas! Nós vamos facilitar para você explicando em detalhes o que isso significa e mostrando como colocar em prática ações econômicas mais sustentáveis. Que tal? Confira este post e fique bem informado sobre esse assunto tão importante!

O que é sustentabilidade econômica?

Vamos começar definindo a ideia de sustentabilidade ou desenvolvimento sustentável: ela representa a preocupação em atender as necessidades das sociedades no momento presente, mas sem prejudicar a capacidade do planeta de continuar gerando recursos para o futuro.

Em outras palavras, é reconhecer que o meio ambiente coloca alguns limites para o desenvolvimento. Afinal, se o crescimento de um país depender da utilização desenfreada de recursos naturais, chegará o dia em que eles não existirão mais. Por isso, preservar o ambiente é essencial.

A sustentabilidade é composta por três pilares fundamentais:

- ambiental — relacionado ao uso dos recursos naturais;
social — diz respeito às condições de vida das pessoas;
- econômico — envolve a produção, a distribuição e o consumo de bens e serviços.

Portanto, a sustentabilidade econômica significa pensar sobre os processos econômicos de maneira mais profunda e responsável. Há muitos anos, antes de esse tema começar a ser discutido, os resultados financeiros eram praticamente os únicos que importavam em uma empresa.

Com o tempo, isso foi mudando. Hoje em dia, é preciso buscar formas de crescer economicamente causando menos impactos ambientais. É o que muitas empresas estão fazendo. Algumas ações envolvem, por exemplo, economizar recursos, trabalhar com matéria-prima reciclável ou investir em projetos de recuperação ambiental.

Mas aplicar o conceito de sustentabilidade econômica não vale apenas para grandes negócios. Você também pode fazer isso com pequenas ações no seu cotidiano. O melhor é que, além de contribuir para a preservação da natureza, existem outros benefícios — como sobrar mais dinheiro no bolso ao final do mês. Que tal aprender atitudes simples que podem fazer muita diferença?

Como colocar a sustentabilidade econômica em prática?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o conceito da sustentabilidade econômica e a sua importância para a sociedade, chegou o momento de colocá-la em prática. Para tornar essa tarefa mais simples, apresentamos algumas dicas a seguir:

Opte por empresas sustentáveis

Uma contribuição muito grande que você pode dar ao desenvolvimento sustentável da sua região e de todo o mundo é escolher consumir produtos de empresas que abracem essa causa. Com algumas pesquisas sobre a história do empreendimento, é possível descobrir se a responsabilidade com o meio ambiente é um valor importante para essas companhias.

Assim, pequenas mudanças na sua forma de consumo podem reverberar muito, pois você ajudará os negócios sustentáveis a crescerem no mercado. Uma dica interessante é comprar produtos biodegradáveis ou que usem materiais recicláveis na sua produção.

Compre do pequeno

Você provavelmente já deve ter visto alguma iniciativa estimulando a valorização do pequeno produtor ou prestador de serviço. Com esse ponto de vista sobre o consumo, a discussão sobre a importância de comprarmos dos pequenos comércios de nossa região tem voltado à tona.

Se você está preocupado com a sustentabilidade econômica e quer pautar suas atitudes com base nesse conceito, essa é uma boa maneira de começar. Ao valorizar o pequeno empreendedor, você garante o aumento da qualidade de vida, bem como a não manutenção do poder econômico em apenas alguns grupos.

Além disso, você diminui a cadeia produtora, fazendo com que o lucro seja mais bem dividido entre todos os participantes, e também reduz a necessidade de longos fretes, ajudando a limitar a emissão de poluentes.

Adote um estilo de vida minimalista

Você já pensou em diminuir seu consumo, seja de produtos, seja de serviços? Essa é outra prática que leva a uma sustentabilidade econômica. Pode parecer difícil começar a pensar sobre isso, mas, na verdade, existem várias atitudes simples que indicam um estilo minimalista.

Por exemplo, provavelmente há roupas e acessórios que você não utiliza com frequência, certo? Sendo assim, adotar o minimalismo é ter uma nova visão sobre isso — com ele, você deixa de comprar o que não é necessário e pode, até mesmo, vender objetos pouco usados. Assim, é possível ganhar algum dinheiro com eles.

Você também pode se inspirar em diversas iniciativas que acontecem na internet. Uma das mais famosas, é o armário cápsula, que nos ensina a viver com algo em torno de 30 peças de roupas.

Planeje suas compras

Outra atitude economicamente sustentável é manter o consumo sob controle. É comum que as pessoas adquiram produtos por um desejo impulsivo, sem planejar ou pesquisar preços antes de fazer a compra. Entretanto, ter esses cuidados pode fazer muita diferença no seu orçamento.

Ter um planejamento financeiro também é um passo para a sustentabilidade econômica, pois você tem melhores condições de controlar as próprias finanças e tomar decisões conscientes em relação ao dinheiro. Com isso, é possível, por exemplo, evitar dívidas e pagamento de juros — que são vilões da economia.

Economize recursos

Com algumas atitudes básicas no seu dia a dia, você pode realizar importantes mudanças no modo de vida e na utilização de produtos e recursos naturais. Uma delas é diminuir o uso do carro, por exemplo, optando por fazer pequenos trajetos em transportes alternativos ou combinando carona sempre que possível.

Além disso, os cuidados em relação ao consumo de água e energia são muito importantes. Muitas coisas são simples de serem feitas, como ficar atento para apagar luzes e fechar torneiras, diminuir o tempo de banho e desligar da tomada os aparelhos que não estão em uso.

Reaproveite e recicle

O ideal para ter atitudes de sustentabilidade econômica é optar por produtos com menor impacto ambiental — evitar o uso de descartáveis e de sacolas plásticas, substituindo por materiais mais duráveis, é uma boa ideia.

Quando isso não for possível, o indicado é praticar o reaproveitamento. Por exemplo, as sacolas trazidas do supermercado podem ser utilizadas em atividades domésticas. Além disso, alguns produtos são vendidos na forma de refil. Dessa maneira, você aproveita a mesma embalagem de plástico e economiza na próxima compra.

Já os materiais que não forem reutilizados na sua casa, como latas, vidros e papéis, podem ser separados para a reciclagem.

Diminua o consumo de carne

Reduzir o consumo de alimentos de origem animal é um passo interessante para quem busca equilibrar a dieta e colaborar com o planeta. Se você acredita que não consegue ser vegano, não tem problema. Um bom passo é considerar, ao menos, a redução do consumo de carne, seja branca, seja vermelha, no seu dia a dia.

Existem diversos movimentos que buscam equilibrar o cardápio de quem não consegue eliminar a carne completamente. Você também poderá contar com a ajuda da internet para conhecer novas receitas em que não seja necessária a utilização de nenhum ingrediente de origem animal.

O não consumo ou a redução do consumo de carne é um importante aliado para a sustentabilidade econômica. Além de fazer um bem para o meio ambiente, você ainda notará a diminuição da sua conta no supermercado, uma vez que, por mais comum que seja comer um bife no almoço, nós não podemos negar que o preço da carne está cada vez mais alto.

Por isso, uma dica é optar pelo flexitarianismo, que tem se tornado comum, propondo a redução de alimentos de origem animal, mas sem tirá-lo completamente da sua vida. Que tal pensar sobre isso?

Quais são os principais desafios para a sustentabilidade econômica?

Contribuir com o desenvolvimento sustentável deve ser uma responsabilidade compartilhada tanto por pessoas quanto por empresas e órgãos governamentais. Entretanto, ainda existem alguns obstáculos para o avanço dessa ideia.

A atuação das empresas é um desses problemas. Muitos negócios não conseguem equilibrar suas expectativas econômicas com as responsabilidades ambientais e sociais que devem ter. E esse ponto esbarra em outro desafio: a fragilidade na fiscalização das leis ambientais pelos órgãos do governo.

Apesar de o Brasil ter leis avançadas sobre o assunto, muitas vezes elas não são aplicadas como deveriam porque falta um suporte ao cumprimento das regras. Essas dificuldades mostram que nossa sociedade tem muito que caminhar rumo ao desenvolvimento sustentável.

E por fim, mas não menos importante, aliás, muito longe disso, está a falta de conhecimento e discussões sérias sobre o assunto. Nesse sentido, você já está dando uma importante contribuição ao ler este post e aprender nossas dicas. Quando a sociedade entende a importância de pensar em um desenvolvimento sustentável, ela também se torna mais crítica em relação às suas ações diárias, incluindo a escolha de lojas, supermercados, marcas de roupas, entre outros.

Portanto, o investimento em educação a respeito da sustentabilidade econômica é fundamental para que tanto as empresas quanto o governo sintam a pressão de melhorar os seus processos internos.

Agora você já sabe mais sobre sustentabilidade econômica e consegue colocá-la em prática na sua vida. Sem dúvida, os benefícios valem o esforço. Com algumas atitudes simples, é possível colaborar com o fortalecimento dessa ideia e ainda usufruir de benefícios financeiros!

Aproveite para aprofundar nesse tema! É só baixar nosso e-book sobre consumo consciente para entender a sua importância e como colocá-lo em prática!

Consumo Consciente Entenda A Importancia E Saiba Como Colocar Em Pratica Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.