Tudo Sobre Consórcio

O que faz uma administradora de consórcio e como escolher a ideal?

Você sabe qual a importância da administradora de consórcio? Confira como ela impacta no sucesso do seu investimento!

Você pode não saber, mas a administradora de consórcio é a figura principal dessa modalidade de negócio. Seu impacto sobre os resultados é tanto, que uma má escolha pode colocar a perder meses (e até anos) de investimentos em seus sonhos.

Temos batido na mesma tecla em nossos posts: analise a administradora, antes de qualquer coisa, na hora de entrar em um consórcio! Você não corre riscos, desde que conheça o que está contratando e quem é a outra parte.

Para saber mais sobre esse assunto tão importante, acompanhe este post e veja como analisar as suas opções e garantir sucesso total em seu consórcio!

Qual é o papel da administradora de consórcio?

Imagine que você reuniu um grupo de 12 amigos. Durante um ano, cada um vai contribuir com R$500 para somar R$6.000 ao final do período e comprar uma moto. Todo mês, um vai ser sorteado e receber a bolada guardada. Passados os 12 meses, todos terão recebido suas motos e estarão felizes e realizados! Agora, considere as questões abaixo.

- Quem vai ser responsável por guardar o dinheiro recebido?
- O que acontece se um dos amigos desistir do negócio?
- Como fazer para que o outro, já com a sua moto, continue pagando sem atraso?
- Se a moto aumentar de preço, quem paga a diferença?

São pontos difíceis de organizar, não é mesmo? E a gente sabe que essas são apenas algumas das questões pelas quais uma administradora se responsabiliza em um consórcio.

Seu papel é tão importante que o Banco Central — responsável por regular a atividade no país — é quem decide quais empresas podem ou não operar. Ele avalia isso com base em uma série de requisitos.

No consórcio, ocorrem mensalmente as assembleias. De acordo com a Lei 11.795/2008, os grupos de consórcio só são de fato constituídos após a realização da primeira assembleia. Previamente agendadas no calendário de cada grupo, as assembleias configuram um momento de grande expectativa dos participantes do consórcio. Seja por meio de sorteio ou de lances, é nesse momento que novos contemplados são conhecidos.

O objetivo principal das reuniões de assembleia é a contemplação dos consorciados. No entanto, nessas reuniões também são tratados outros assuntos de interesse exclusivo do grupo, como a prestação de contas da administradora, por exemplo.

Em suma, a administradora é responsável por tomar todos os cuidados para fazer tudo de forma legal e trazer as melhores soluções para os seus consorciados. Se fizermos uma comparação, o papel da administradora é semelhante ao de um maestro que rege uma orquestra, porque ele precisa coordenar a atuação de cada músico para que o resultado saia perfeito.

Por que uma má escolha prejudica os resultados?

Com tanta responsabilidade, você já deve ter percebido a importância da boa escolha da administradora de consórcio, não é mesmo? Portanto, desconfie de falsas promessas. Se um vendedor ou administradora oferecer um consórcio de contemplação rápida, esse é um mau sinal.

Ninguém pode garantir que você vá receber a sua carta de crédito nesse ou naquele mês. Qualquer pessoa ou empresa que prometa isso já dá sinais de não ser nada confiável — e não é isso que você procura, certo? Afinal, a transparência é um traço fundamental para que essa aplicação renda de acordo com o esperado.

Além disso, se a empresa, por exemplo, não der baixa em pagamentos ou contemplações, vários problemas podem acontecer e atrapalhar os seus objetivos. Caso não dedique a devida atenção a um cliente que solicita atendimento, pode prejudicá-lo.

Por que é tão importante escolher bem a administradora de consórcio?

Como vimos até aqui, não há dúvida de que existem diversas vantagens em fazer um consórcio. Porém, para garantir que essa experiência seja a melhor possível, a escolha da administradora se mostra como um fator decisivo.

Pense bem: você deixaria uma quantia significativa de dinheiro guardada com alguém ou em alguma instituição que não conhece? A iniciativa de desconfiar da procedência também deve ser aplicada às empresas candidatas a administrar o consórcio que você pretende fazer.

Se você está em dia com os pagamentos das parcelas, a contrapartida mínima que deve vir do outro lado é uma boa gestão do investimento, não acha? Entretanto, nem todas as organizações que atuam no ramo têm a mesma experiência no assunto.

Como escolher uma boa administradora de consórcios?

Alguns critérios podem facilitar essa tarefa. Na prática, são sinais que você consegue perceber facilmente e que trazem indícios da atuação da empresa no mercado e do seu zelo perante os clientes.

Observe-os com atenção para garantir a escolha de uma boa administradora e a tranquilidade durante todo o tempo de vigência do seu consórcio. Confira, logo abaixo, os mais importantes!

Pesquise muito

Mais do que escolher uma prestadora de serviços exemplar, é imprescindível que você entenda o funcionamento da modalidade como um todo — do início ao fim. Essa medida também é útil porque ajuda a entender quando fazer um consórcio.

No site da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC) é possível encontrar uma relação completa com as empresas associadas e obter outras informações sobre elas.

Avalie a transparência

Uma empresa transparente explica sempre de forma clara aos seus clientes todos os detalhes das suas operações. Com a administradora de consórcios, essa qualidade pode ser observada na explicação dos termos dos contratos. Portanto, busque aquela que mostrar detalhadamente questões como:

- valor da taxa de administração e outros custos, mostrando como são incluídos no saldo devedor;
- forma de reajuste do consórcio, explicando o índice utilizado;
- processo de contemplação, seja ele por sorteio ou lance.

Quando encontrar a administradora ideal para o consórcio, pergunte como é feita a divulgação dos contemplados do grupo, como é o sistema de informação e comunicação, acesso à área do cliente. Enfim, certifique-se de que você compreenderá o funcionamento do consórcio e, quando precisar, terá alguém que tire as suas dúvidas e, até mesmo, auxilie a calcular lances, se for o seu desejo.

Na hora da contratação, leia o contrato de adesão e veja se todas as cláusulas estão claras. Uma administradora transparente deixa tudo devidamente registrado e fica à disposição para tirar todas as suas dúvidas.

Entenda como funciona o reajuste

Apesar de já termos dito isso no tópico anterior, o reajuste é um ponto que demanda, de fato, certo cuidado, porque pode ocasionar algumas surpresas em pessoas que não se informam com antecedência.

Antes de tudo, é preciso entender que ele é algo benéfico. Os reajustes são maneiras de manter o poder de compra da carta de crédito. Do contrário, se ela ficasse desvalorizada por conta da inflação, a modalidade não seria tão indicada para realizar aquisições em médio e longo prazo.

Como a prática é recorrente, o importante é que você verifique o índice aplicado antes de assinar o contrato. Assim, há como se planejar para lidar com eventuais acréscimos no valor das parcelas — nada pior do que ter um gasto inesperado nas contas a pagar, concorda?

Cabe ressaltar que ele se aplica tanto para quem é contemplado quanto para quem ainda não foi, isto é, ele vale para todos os participantes, porque garante o acesso ao bem referencial.

Os parâmetros variam conforme o bem a ser adquirido, mas o três índices mais utilizados são:

IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo);
Tabela Fipe — geralmente usada para quem compra um veículo;
INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) — válido para a aquisição de imóveis.

Fique longe de promessas verbais e propagandas exageradas

Como mencionamos, não há nenhuma forma legal de assegurar ao consorciado que a contemplação ocorrerá em um momento específico. Contudo, como a ideia soa atrativa, algumas administradoras acabam se valendo dessa propaganda para largar na frente da concorrência.

Essa prática não é nada benéfica e acaba prejudicando a credibilidade do setor. Caso alguma proposta desse tipo chegue até você, recuse-a prontamente — trata-se de um indício que reflete a falta de transparência da administradora em questão.

Além disso, todas as obrigações e deveres que você assume com esse investimento devem constar no contrato. Alguns vendedores podem fazer promessas verbais para agilizar a assinatura, mas elas de nada adiantam se não estiverem registradas no documento oficial.

Considere a qualidade do atendimento

Se você não tem todas as suas dúvidas sanadas e não sentiu que o atendimento foi completo antes da contratação, imagine como pode ser depois que tiver ingressado no consórcio? Portanto, analise a disponibilidade da empresa.

Faça perguntas por blogs institucionais ou redes sociais e ligue para a Central de Atendimento para tirar dúvidas. Essa é uma forma de saber o quanto ela está disponível para os seus clientes — você pode precisar manter contato durante toda a vigência do seu consórcio.

Nada pior do que precisar de uma ajuda e não ter a sua solicitação atendida de forma rápida e eficaz, não é mesmo?

Assim como acontece na relação com outras prestadoras, certifique-se de que você terá direito a um suporte solícito e focado em resolver as demandas apresentadas. Uma boa maneira de se informar a respeito é conversando com pessoas que já usaram o serviço ou procurando opiniões pela web.

Opte por uma administradora experiente

Faça uma breve reflexão: como você escolheria um médico ou um professor particular para a sua família? Além de analisar as condições de pagamento, seria interessante conhecer a experiência do profissional e entender se ele já se habituou a trabalhar com determinada atividade, concorda?

No mundo das administradoras, é necessário estabelecer um critério semelhante para guiar a sua decisão. Isso porque algumas empresas, por mais idôneas que sejam, não têm uma trajetória tão longa.

Assim como acontece em qualquer área, a expertise é um elemento indispensável para lidar com eventuais complicações. Existem organizações que se mantêm entre as líderes do setor por décadas — esse é um indício extremamente positivo sobre a atuação da empresa e mostra que ela é uma boa parceira para ajudar a investir seu dinheiro.

Verifique a reputação dos vendedores

Nem sempre os responsáveis pelas vendas de uma administradora são profissionais exemplares. Muitos deles não são representantes oficiais e se aproveitam de nomes já estabelecidos no mercado para conduzir ações fraudulentas.

Portanto, ao conversar com um vendedor, tenha certeza de que ele conta com uma autorização expressa para representar em contatos comerciais. Vendedores que não se empenham em deixar esses detalhes claros são motivos de desconfiança.

Em contrapartida, bons profissionais demonstram a preocupação que a organização tem para conduzir tratativas transparentes.

Encontre as taxas mais vantajosas para você

A taxa de administração, uma das mais relevantes da modalidade, faz parte da parcela do consórcio. Trata-se de um percentual prefixado em contrato que se justifica pelos serviços referentes à administração do grupo, como o próprio nome diz.

Esse valor é cobrado em virtude da complexidade do trabalho realizado pelas administradoras, pois cabe a elas a tarefa de gerir todos os pagamentos, inclusive os atrasados.

Sendo assim, encontre uma companhia que consiga oferecer uma boa relação entre custo e benefício. Dessa forma, você arca com os valores que julgar como mais vantajosos e tem a segurança de estar operando com uma empresa confiável e eficiente.

Observe a sua credibilidade no mercado

Não é sem motivo que algumas empresas estão há tanto tempo no mercado. A legislação é firme com os consórcios, e o Banco Central acompanha de perto o seu desempenho.

Uma administradora que tem problemas pode conseguir algum espaço, mas dificilmente vai se manter firme ao longo dos anos. Portanto, dê preferência àquelas que têm mais renome no mercado.

Veja as mídias sociais que têm sistema de avaliação, como Facebook e Google, além de checar qual é o ranking de cada administradora. Também verifique sites especializados, como o Reclame Aqui, e confira os órgãos de defesa do consumidor.

Uma outra boa fonte de consulta é o ranking de reclamação do próprio Banco Central, que mostra as empresas com maior índice de queixas registradas por seus clientes.

Agora, você já sabe qual é o papel da administradora de consórcio e entende por que ela é tão importante. Seguindo essas dicas, você pode fazer uma escolha bem acertada.

Fazer um consórcio é uma forma de investir o seu dinheiro de forma segura. Confira nosso vídeo e veja dicas para escolher o melhor consórcio para você.

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.