Tudo Sobre Consórcio

Quanto devo dar de lance no consórcio para antecipar a contemplação?

Dar um lance ajuda a adiantar a contemplação no consórcio. Saiba avaliar o melhor valor e momento para dar esse passo!

Uma pergunta feita frequentemente pelos consorciados é: quanto devo dar de lance no consórcio para antecipar a contemplação? Essa é uma questão importante, pois tanto o valor ofertado quanto o momento interferem muito nas chances de obter sucesso.

Se você considera a possibilidade de dar um lance no consórcio, acompanhe este post com atenção. Aqui, explicaremos alguns detalhes do sistema de consórcios, falaremos sobre contemplação e daremos algumas dicas para você identificar o momento certo para dar um lance.

Além disso, vamos explicar por que é importante saber como manter a sua saúde financeira para que o lance não comprometa o seu dia a dia — nem o pagamento das parcelas do consórcio. Boa leitura!

Por que o consórcio é um bom negócio?

Existem diversos motivos que fazem do consórcio um bom negócio, mas, antes de especificá-los, vamos falar um pouco mais sobre o que é o consórcio.

O consórcio é uma modalidade de crédito diferente, pois se baseia no autofinanciamento. Assim, todos os participantes de um grupo fazem contribuições mensais, formando um fundo comum. Esse valor arrecadado mensalmente é usado para contemplar um ou mais participantes. Ou seja: todos os meses, um ou mais consorciados têm acesso à carta de crédito com o valor necessário para a compra do bem.

Além disso, podemos citar outros benefícios do consórcio, como listamos abaixo.

Poupança planejada

Um dos principais motivos que confirmam que o consórcio é um bom negócio é que se trata de uma poupança planejada. Em outras palavras, o consórcio é uma excelente opção para quem quer acumular o valor necessário para adquirir um serviço ou bem — imóvel ou móvel —, mas tem dificuldade para guardar um valor mensal por conta própria.

Economia compartilhada

Outro motivo que faz do consórcio um grande atrativo para muita gente é o conceito de economia compartilhada. Afinal, você conquista os seus objetivos com o seu próprio dinheiro e com o montante formado pela contribuição de todos do grupo, em vez de usar os recursos de um banco, como acontece em casos de empréstimos e financiamentos.

Ausência de juros

Outro lado positivo do que falamos no tópico acima é que você se livra da necessidade de pagar juros altos, que se convertem em uma dívida pesada. Ao aderir ao consórcio, é preciso pagar uma taxa administrativa, um valor que corresponde à remuneração da administradora pelos seus serviços de gestão e gerenciamento prestados aos consorciados.

Essa taxa de administração geralmente tem um valor bem mais acessível quando comparado a outras formas de aquisição parcelada. Não é à toa que muita gente está preferindo adquirir uma cota para garantir o seu imóvel novo. A Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC) divulgou a existência de 915 mil participantes ativos em abril de 2019 apenas no segmento imobiliário.

Existem outros bons motivos para fazer um consórcio, como a flexibilidade de pagamento, a diversidade de planos disponíveis e a possibilidade de adequar as parcelas mensais ao seu bolso. Mesmo assim, algumas pessoas preferem observar o lado negativo da modalidade, que é a espera pela contemplação. Se esse é o seu caso, continue a leitura que vamos contar como você pode tentar antecipar a contemplação no consórcio.

Como funciona a contemplação no consórcio?

Como falado, muita gente argumenta que, no consórcio, é preciso esperar pela contemplação para ter acesso à carta de crédito e, então, poder comprar o bem desejado. Bom, planejar-se financeiramente sempre é mais econômico e vantajoso, não é mesmo? Por isso, o ideal é que você tenha projetos de médio e longo prazo, para começar a investir neles antes de a necessidade bater à porta.

Quem precisa de um imóvel com urgência acaba se sujeitando a condições não tão boas e juros altos. Em alguns casos, pode até se deparar com algumas ciladas disfarçadas de oportunidades por falta de planejamento.

Por outro lado, se você projetar os seus próximos anos e se preparar com antecedência, a contemplação é apenas uma etapa na conquista dos seus sonhos.

No consórcio, ela se dá por dois meios:

1. sendo sorteado em uma das assembleias mensais;
2. dando um lance (que pode ser livre ou fixo).

Sorteios mensais

Mensalmente, no mínimo um consorciado é sorteado para receber a carta de crédito e, assim, adquirir o seu bem. Vale lembrar que, mesmo depois de contemplado, é necessário dar continuidade aos pagamentos das parcelas. Esse valor vai subsidiar a aquisição para os outros membros do grupo, nas assembleias seguintes.

Para ter direito de participar do sorteio, só é necessário estar com os pagamentos das parcelas em dia.

Oferta de lances

Os lances são ofertados previamente à realização da assembleia. Eles aumentam exponencialmente as chances de o consorciado ter acesso antecipado à carta de crédito.

Geralmente, são contempladas as cotas que oferecerem os maiores lances. Entretanto, nesse quesito, as particularidades do contrato de cada grupo devem ser observadas. Isso acontece porque as contemplações são pagas com o dinheiro do fundo comum. Então, antes de definir qual (ou quais) lance será contemplado, é necessário avaliar os recursos do grupo.

O que é o lance e quais são os tipos existentes?

Para deixar bem claro, vamos a uma explicação simples e sucinta sobre o que é o lance. O lance é um valor que o consorciado oferece como forma de antecipar algumas parcelas do consórcio ou amortizar parte do valor das parcelas, mantendo o mesmo prazo, de acordo com a configuração do grupo. Essa ação tem a intenção de antecipar o recebimento da carta de crédito.

Quer um exemplo prático de como funciona a oferta de lance em um grupo? Digamos que você adquiriu uma cota de R$ 100 mil reais, parcelando o valor em 100 meses. Depois de pagar 20 parcelas, você decidiu que é a hora de ter acesso à carta de crédito. Para isso, resolve ofertar um lance de R$ 30 mil e acaba contemplado. Isso significa que receberá a carta de crédito de R$ 100 mil e poderá decidir entre continuar pagando o saldo devedor em 80 parcelas, com valor mensal menor ao pago até o momento, ou quitar as últimas parcelas e manter o valor pago mensalmente.

Esse foi um exemplo genérico que ilustra bem a situação de oferta de lance. Ainda vale ressaltar que cada grupo tem as próprias regras sobre o assunto, mas eles se dividem, basicamente, em dois tipos: lance livre e lance fixo. Continue a leitura e entenda a diferença entre eles.

Lance livre

No lance livre, é aceito qualquer valor ou percentual escolhido pelo consorciado. Normalmente, vence o leilão quem fizer a maior oferta antes da assembleia. Em caso de empate, a administradora pode fazer um sorteio entre os lances para determinar o contemplado.

Entretanto, há uma ressalva: nem sempre dois lances do mesmo valor são, necessariamente, iguais. Isso porque a administradora considera o lance de maior percentual em relação à carta de crédito. Imagine o cenário: o consorciado A tem uma cota de R$ 200 mil e o consorciado B tem uma cota de R$ 100 mil. Se os dois ofertarem um lance de R$ 20 mil, o indivíduo B estará oferecendo 20% do valor da carta de crédito, enquanto o A fez uma oferta de 10%. Logo, o indivíduo B terá prioridade no desempate.

Lance fixo

O lance fixo estipula um valor (ou percentual) preestabelecido, determinado em contrato. Da mesma forma como acontece no caso do lance livre, se mais de uma pessoa fizer uma oferta será realizado um sorteio para definir o contemplado.

É importante ressaltar que nos dois casos você só paga o lance se ele for o vencedor.

Tipos de pagamento

O pagamento do lance pode ser feito com recursos do próprio consorciado ou descontando o valor da carta de crédito, que é conhecido como lance embutido.

Se o consorciado não for contemplado, a carta de crédito continuará intacta e ele não precisa pagar o lance.

Quais são as vantagens e as desvantagens em antecipar a contemplação?

Antecipar a contemplação pode ser uma grande vantagem, especialmente para quem paga aluguel e poderá reverter esse valor para outros investimentos depois de se mudar para o imóvel próprio.

Também é uma boa pedida para quem encontrou uma boa oportunidade de negócio, como um imóvel bem localizado e abaixo do preço de mercado, por exemplo.

Vai se casar? Então, está na hora ofertar um lance e tentar conquistar a carta de crédito. Afinal, como o ditado já diz: quem casa quer casa!

Por outro lado, ofertar um lance pode ser uma desvantagem se você comprometer a sua reserva de emergência ou a renda mensal da família. Se for o caso, reflita sobre adiar o lance até que as condições financeiras estejam mais favoráveis.

O que é preciso levar em consideração ao dar um lance?

Agora que você já sabe que pode, sim, tentar antecipar a sua contemplação no consórcio, preparamos algumas dicas sobre como determinar o valor ideal de lance. Porque, como dito antes, não é qualquer oferta que é contemplada. Continue a leitura e descubra em que é preciso estar atento para ofertar um lance eficiente — e vencedor!

Fique atento às assembleias

Acompanhar as assembleias é um fator determinante para o sucesso do seu lance. Nesse momento, é possível entender o tamanho do seu grupo, o comportamento dos outros consorciados e, principalmente, compreender as regras.

Avalie o histórico do grupo

Conhecer o histórico do grupo também é um passo importante. Ao avaliar a quantidade e o valor médio dos lances ofertados anteriormente, você pode se preparar melhor para fazer uma boa oferta. Afinal, quem deu lance? Qual foi o valor ofertado? Quantas pessoas foram contempladas?

Assim, você também evita ofertar um lance alto demais e que possa prejudicar suas finanças.

Tenha atenção ao calendário

O calendário também pode reservar boas surpresas. Perceba se no final do ano há mais lances — ou lances de valores maiores —, incrementados pelo 13º salário dos participantes, por exemplo. Se for o caso, prepare-se para fazer uma oferta em datas menos concorridas, como os meses de janeiro a março, já que o primeiro trimestre do ano é conhecido pelo acúmulo de tributos e outras despesas extraordinárias, como a matrícula e o material escolar.

Utilize o seu FGTS

Considere utilizar o seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) como lance no seu consórcio imobiliário. Essa ação não vai comprometer as suas finanças mensais e poderá antecipar a concretização do seu sonho da casa própria.

Ou seja, para determinar o valor ideal de lance para ofertar no seu grupo de consórcio é importante observar, tomar notas e planejar.

Como saber quanto devo dar de lance no consórcio?

Depois de saber o que levar em consideração ao ofertar um lance, ainda está em dúvida sobre qual é o valor ideal? Faça algumas reflexões — e contas!

O lance médio é de 30% do valor da carta de crédito. Se você quer dar um lance abaixo disso, é melhor esperar um pouco, avaliando o nível de oferta dos primeiros meses. Nesse período, as propostas tendem a ser mais numerosas, considerando que muitos ingressam no consórcio já planejando o lance. Caso você também pretenda fazer uma oferta já de início, procure um grupo em andamento.

Lances de 30% a 50% têm boas chances de saírem vencedores, sendo assim, são sugestões para períodos de maior oferta. Se você não tem essa quantia, tudo bem: acima de 20% já é um valor razoável para oferecer, mas identifique o momento certo.

Cabe lembrar que a compra de uma casa ou apartamento, novos ou na planta, pede segurança financeira. Por isso, é importante ter um saldo de reserva para enfrentar imprevistos, como a necessidade de um reforma, a regularização dos documentos ou melhorias no imóvel. Então, fique atento para não perder as rédeas das suas finanças.

Todos os seus passos devem ser planejados e se adequar às suas finanças. Ou seja, todas as decisões precisam se encaixar bem no orçamento, sem prejudicar o pagamento das parcelas, para não colocar em risco o seu investimento.

A conquista da casa própria é um momento muito importante, por isso merece alegria e comemoração. Dívidas, pendências financeiras, inadimplência e outros apertos não combinam com essa fase, não é mesmo? Dessa forma, aproveite o tempo antes da sua contemplação no consórcio para obter a sua independência financeira. Pode até parecer difícil no início, mas com prática, boa vontade e objetivos bem definidos é totalmente possível.

Agora que você já sabe quanto deve dar de lance no consórcio, que tal se perguntar: por que não fazer meu consórcio agora mesmo? Faça uma simulação e avalie que opção cabe no seu bolso!

Simule Seu Consorcio

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.