7 tipos de Fundos Imobiliários que você precisa conhecer!

Quer saber quais são os principais tipos de fundos imobiliários e como funcionam? Leia este artigo!
  • Atualizado em May 30, 2022
  • Publicado em May 30, 2022
  • Seu imóvel

O mercado imobiliário não se refere apenas à compra, venda ou locação de imóveis residenciais ou comerciais. Existem vários tipos de Fundos Imobiliários (FIIs) que são indicados para pessoas que querem investir em empreendimentos dessa área, por exemplo, hospitais, galpões logísticos, shoppings centers etc. A maioria deles possibilita a distribuição de dividendos mensais como se fosse um aluguel.

Sendo assim, os investidores têm a oportunidade de viver das aplicações em FIIs em vez de apostar em imóveis físicos que dão mais trabalho e preocupação. Esse tipo de negócio oferece várias vantagens obtidas por meio de aplicações baratas e simples. Por esse motivo, há um grande volume de carteiras sendo emitidas continuamente para os interessados.

Gostaria de saber quais são os principais tipos de Fundos Imobiliários e como funcionam? Acompanhe a leitura!

Compreenda o conceito de fundo imobiliário

Os Fundos Imobiliários são uma boa opção de investimento para quem quer aproveitar as oportunidades desse setor. Os grupos de investidores se reúnem para criar recursos e apostar nos FIIs. O dinheiro é usado para diversificar as suas carteiras, investir em condomínios, hotéis, centros comerciais, escritórios e outros empreendimentos.

Com isso, os profissionais conseguem obter lucros provenientes das vendas, arrendamentos ou aluguéis, os quais são divididos de modo proporcional. Cada investidor recebe conforme a quantidade de cotas relacionadas àquele Fundo Imobiliário que faz parte da sua carteira. As gestoras especializadas administram os valores e fazem a distribuição.

Descubra quais são os principais tipos de Fundos Imobiliários

Os FIIs têm se mostrado uma excelente alternativa para quem pretende aplicar os seus recursos financeiros. Vale destacar que há vários tipos de Fundos Imobiliários que podem ser encontrados na Bolsa de Valores para montar uma carteira de investimentos interessantes. Veja a seguir quais são as principais opções para começar a investir!

1. Fundos de Compra e Venda

Fundos de Compra e Venda têm um risco maior, já que envolve várias transações. O objetivo é comprar imóveis quando os preços estão mais baixos e com sinais de valorização no futuro para depois vendê-los por valores maiores.

Para isso, é preciso conhecer bem o mercado, bem como os fatores que influenciam os preços — local do imóvel, riscos ambientais, arredores, desempenho da economia. Pelas oscilações, é mais indicado para perfis de investidores arrojados e dispostos a arriscar mais. Uma boa estratégia de diversificação é combinar a compra e venda com o aluguel.

2. Fundos de Desenvolvimento

Já os Fundos de Desenvolvimento são os ativos concentrados na aquisição de terrenos que servirão para construir novos empreendimentos, os quais posteriormente serão vendidos ou alugados. Em virtude da burocracia existente na licitação das obras e das mudanças constantes nesse mercado, há vários riscos associados, mas os seus rendimentos são bastante elevados.

Os gestores fazem investimentos para construir imóveis que sejam revendidos e gerem lucros. Alguns investidores consideram os Fundos de Desenvolvimento Imobiliário como os mais arriscados. Contudo, eles reconhecem o seu enorme potencial de retorno. Portanto, são indicados para pessoas que são tranquilas e entendem os riscos do negócio, como a liberação do habite-se ou da licença ambiental.

3. Fundos de Recebíveis Imobiliários

Os Fundos de Recebíveis Imobiliários, por sua vez, são os únicos considerados como investimentos puros de renda fixa. Isso ocorre porque aquele que compra os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) está comprando o direito de obtenção de crédito para a construção ou a aquisição de imóveis. É importante analisar essas oportunidades disponíveis no mercado.

4. Fundos de Tijolo

Fundos de Tijolo são a maioria no mercado e se tratam de investimentos feitos em unidades imobiliárias que já estão prontas. Geralmente referem-se a imóveis comerciais, como agências de bancos, galpões industriais, centros logísticos, supermercados, entre outros empreendimentos de grande porte. O lucro dos investidores é proveniente dos contratos de locação dos espaços.

5. Fundos de Papel

Os Fundos de Papel são o tipo mais conservador na opinião de alguns investidores. Com eles, o investidor aposta em ativos de renda fixa que são baseados nas dívidas do setor imobiliário, tais como as Letras Hipotecárias, as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e os Certificado de Recebíveis Imobiliários. Requer o investimento em diversos papéis de forma simultânea.

6. Fundos de Renda

É muito fácil compreender o funcionamento dos Fundos de Renda. Nessa modalidade, o gestor efetua a compra do imóvel e depois faz a locação para os lojistas. Depois, pega a renda líquida mensal e divide entre os quotistas. Contudo, se o espaço ficar vago, ocorre uma interrupção no recebimento e na distribuição da renda.

Desse modo, esses fundos são semelhantes às aplicações de renda variável e o seu sucesso depende do desempenho do varejo e do mercado imobiliário. Se as vendas estão em alta e a economia vai bem, a vacância é menor. Inclusive os contratos de locação desses espaços preveem que o preço dos aluguéis pode variar conforme o faturamento das lojas.

Os Fundos de Renda relacionados aos galpões industriais ou às lajes corporativas são menos diversificados. Um prédio com escritórios de alto padrão, por exemplo, não contam com centenas de inquilinos. Para diminuir os riscos, os gestores podem adquirir mais de um empreendimento.

7. Fundos de Fundos

Os Fundos de Fundos, ou FoFs, são os recursos dos cotistas utilizados para fazer outros investimentos nas cotas de outros fundos com o objetivo de gerar diversificação para os investidores. Essa oportunidade é relevante por oferecer acesso a opções que estão mais restritas a profissionais qualificados e com gestão profissional, por preços menores.

Esses são os 7 tipos de Fundos Imobiliários que você precisa conhecer! Quer obter mais informações sobre o assunto? Então continue lendo e descubra se investir em fundo imobiliário é a melhora alternativa para você!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
home
Seu imóvel

Averbação de imóvel: o que é, como fazer e qual sua importância?

home
Seu imóvel

Decoração 2022: veja as tendências e aplique na sua casa!

home
Seu imóvel

Crédito imobiliário: conceito, aplicações, vantagens e riscos