Tudo Sobre Consórcio

Entenda como é calculada a taxa de administração do consórcio

O consórcio cobra uma taxa de administração, bastante inferior aos juros dos financiamentos. Saiba mais neste post.

O consórcio tem se consolidado no mercado nacional como uma opção mais vantajosa que o financiamento, especialmente pela ausência da cobrança de juros. Só em 2017, houve mais de dois milhões de adesões a grupos de consórcio no Brasil, demonstrando que os consumidores enxergam as vantagens do consórcio na aquisição planejada de bens.

Essa é uma estratégia de longo prazo para aquisição de bens ou serviços de alto valor, como compra ou reforma de imóveis ou, ainda, para aquisição de veículos. A compra é feita de forma coletiva, com a formação de grupos para aquisição de bens de determinado tipo e valor.

Para garantir que os interesses do grupo sejam preservados, com o cumprimento da sua finalidade, os valores e transações são acompanhados por uma administradora, empresa profissional e especializada em gerir o consórcio.

No consórcio não há cobrança de juros, nem de parcelas intermediárias. Além disso, a remuneração do serviço prestado pela administradora é feita por meio da taxa de administração. Mesmo com taxas e despesas, o resultado final no custo efetivo da aquisição do bem por meio de consórcio é bastante inferior aos financiamentos.

Quer aprender como funciona e como é calculada a taxa de administração do consórcio? Continue acompanhando este artigo e entenda melhor o assunto!

Aprenda o que é a taxa de administração do consórcio

A taxa de administração é um dos itens que compõe a parcela do consórcio. O consorciado paga um percentual prefixado em contrato com a administradora, como remuneração pelos serviços prestados durante toda a duração do grupo. O valor da taxa é definido em contrato e incide sobre o valor total do bem ou serviço pretendido. A administradora de consórcio é livre para fixar seu percentual. Vale lembrar que a ela deve ser autorizada e credenciada pelo Banco Central do Brasil (BACEN).

Além da taxa de administração de consórcio, o valor da parcela é composto por percentuais relativos à formação de fundo comum, fundo de reserva e do valor do seguro, que em alguns grupos é obrigatório.

O fundo comum é o valor que todo consorciado paga para formar um fundo destinado a aquisição de um bem, que servirá para compor o saldo para as contemplações mensais. A contribuição mensal do fundo comum é obtida mediante um percentual (%) sobre o valor do crédito contratado.

O fundo reserva é destinado a proteger o funcionamento do grupo cobrindo eventuais inadimplências e outras despesas relacionadas aos consorciados/grupos.

O seguro de vida é um benefício para consorciados ou herdeiros no caso de algum sinistro.

Descubra qual o trabalho realizado pela administradora

O trabalho da administradora de consórcios é bastante complexo e envolve as diversas etapas do contrato de consórcio, começando muito antes da adesão dos consorciados aos grupos.

A administradora inicia realizando estudos e análises técnicas para verificar os tipos de grupos que serão formados, sua viabilidade econômica e financeira e todas as características dos grupos em concepção.

Nessa fase inicial, a administradora define todas as regras que farão parte do contrato de consórcio, tais como: prazo, quantidade de participantes, valores das cartas de crédito, critérios de atualização, quantidade e frequência de contemplações por sorteio e lance, funcionamento de assembleias, meios de comunicação com os consorciados e outras regras que sejam úteis para o bom funcionamento do consórcio.

Depois de definidas todas as regras, consolidadas no contrato, inicia-se a oferta de adesão aos grupos para os interessados.

Após as assinaturas dos contratos e efetivo início dos pagamentos dos consorciados, o trabalho continua com a administração dos valores recebidos, realização de aplicações financeiras dos valores, organização das assembleias de consórcio previstas no contrato, comunicação com os consorciados, administração de lances, contemplações e liberação de crédito aos contemplados.

Além disso, a administradora também deve gerir todo valor que não seja procurado e também os pagamentos em atraso, comprometendo-se, ainda, a realizar cobranças e a devolução dos valores daqueles que tenham se desligado do grupo e não tenham sido contemplados.

Veja como é feito o cálculo da taxa de administração do consórcio

O valor da taxa de administração é sempre contratado na assinatura do contrato, tendo como base um percentual do valor da carta de crédito, que será diluído em cada uma das parcelas mensais.

Na prática, a taxa de administração de consórcio representa um percentual mensal que compõe o valor da parcela contratada.

Exemplo

No caso de uma taxa de administração de 15%, com pagamento de 60 parcelas mensais, o resultado da taxa de administração diluída nas parcelas mensais consiste em 0,25% da parcela mensal.

Ou seja: caso o bem custe R$ 60.000,00, o valor mensal referente à taxa de administração é de R$ 150,00.

Para esse exemplo, consideramos amortização igualitária mensal. Alguns grupos podem exigir antecipação da taxa.

É importante se manter informado, realizar simulações e descobrir qual o melhor grupo para ingresso antes da contratação. Pense na parcela que se ajusta melhor ao seu orçamento e também nas condições contratuais que sejam mais adequadas a sua realidade.

Saiba as regras que a administradora deve seguir

O sistema de consórcios no Brasil é regulamentado pela Lei nº 11.795/2008 e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil. Essa regulamentação e fiscalização garantem a solidez do mercado de consórcios, que possui regras claras de funcionamento.

A regulamentação do sistema busca a manutenção da segurança das contratações e a preservação dos direitos dos participantes.

Importante esclarecer que só podem atuar como administradoras de consórcios as empresas que preencham os requisitos da Lei e sejam devidamente autorizadas pelo Banco Central. Por isso, é importante pesquisar e só contratar consórcios com empresas autorizadas.

Taxa de administração como garantia de segurança ao consorciado

O bom funcionamento dos grupos de consórcio está diretamente ligado à atuação constante das administradoras. O trabalho dessas empresas garante a segurança do sistema de consórcios, bem como que os participantes realizarão seu objetivo de aquisição de bens de maneira sustentável, econômica e conforme estabelecido na legislação vigente e no contrato.

O pagamento da taxa de administração do consórcio garante ao consorciado a prestação de serviços durante todo o contrato. A administradora presta assistência integral, que inclui todos os procedimentos para gestão do grupo, comunicação com os participantes, transparência e eficiência, assegurando o máximo de segurança e cumprimento do contrato.

Agora que você já entendeu como funciona a taxa de administração do consórcio, visite nosso canal no YouTube para aprender como escolher um consórcio!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.